Blogroll

23 de dez de 2008

ÚLTIMAS:

Governo vai incrementar saúde em mais de R$ 21 milhões

Provida - O programa visa estruturar as unidades de urgência regionais, com foco no acolhimento do paciente e na sua inserção na rede estadual de atendimento à urgência e emergência dentro do Sistema Único de Saúde em Alagoas. Ele é composto por dois módulos, sendo que o primeiro abrange a implantação do atendimento pré-hospitalar móvel de urgência e emergência em 11 pólos de microrregiões e será regulado pelo Samu instalado em Maceió e Arapiraca.

O segundo módulo compreende a implementação da Rede Hospitalar de Urgência e Emergência em nove municípios, incluindo quatro sedes regionais (São Miguel dos Campos, Santana do Ipanema, Arapiraca e União dos Palmares) e cinco sedes de microrregiões (Porto Calvo, Penedo, Delmiro Gouveia, Palmeira dos Índios e Viçosa).

"Além do repasse financeiro, as cidades estão recebendo um kit Provida, que será orçado em R$ 42 mil, destinado a ajudar na compra e manutenção de insumos para as unidades hospitalares. No caso do primeiro módulo que versa sobre a descentralização do Samu, as ambulâncias foram compradas no pregão realizado na última quinta-feira dia 18", explicou a gerente dos Programas, Marta Celeste. Este programa vai investir R$ 370 mil/mês, ou seja, R$ 4,4 milhões/ano.

Prohosp Especialidade – O Prohosp Especialidade contempla as especialidades de média e alta complexidades, como cirurgia cardíaca adulto e infantil, traumatologia, saúde auditiva, UTI, entre outras áreas. O programa tem como objetivo estruturar e fortalecer a assistência materno-infantil nas 13 microrregiões de saúde do Estado, com recursos na ordem de 890 reais/mês, ou seja, R$ 10,6 mi/ano, ampliando o acesso às diversas especialidades da rede, como cardiologia, otorrinolaringologia, oftalmologia, traumatologia, neurologia, neurocirurgia, terapia intensiva adulto e pediátrica, cirurgia geral, transplante, entre outros.

O Programa de Implementação da Rede de Atenção Materno-Infantil de Alagoas (Promater) será posto em prática neste mês, depois de ter sido assinado os Termos de Compromisso entre os hospitais participantes e a Secretaria de Estado de Saúde (Sesau). Ele prioriza descentralizar a estrutura dos leitos obstétricos, reestruturar as salas de parto para uma melhor assistência ao recém-nascido e garantir o transporte adequado de gestantes e recém-nascidos em Alagoas, formando uma rede capacitada. Este programa vai investir R$ 518 mil reais/mês, ou seja, R$ 6,2 milhões/ano.

Em Maceió, habilitaram-se no Promater a Casa de Saúde Santo Antônio, o Hospital São Rafael, a Maternidade Nossa Senhora de Fátima e a Unidade de Saúde Paulo Neto; em Arapiraca, a Maternidade Nossa Senhora de Fátima e o Hospital Regional; em Palmeira dos Índios, a Maternidade Santa Olímpia; em União dos Palmares, o Hospital São Vicente de Paulo; em São Miguel dos Campos, a Santa Casa de Misericórdia; em Porto Calvo e Penedo, a Santa Casa de Misericórdia; em Coruripe, o Hospital Carvalho Beltrão; em Viçosa, o Hospital Municipal; em Piranhas e Santana do Ipanema, o Hospital Dr. Arsênio Moreira; em Joaquim Gomes, a Unidade Mista Ana Anita Fragoso, e, em Pão de Açúcar, a Unidade Mista Dr. Djalma Gonçalves.

"Com a implantação do Promater estaremos resolvendo o histórico problema da Rede de Atenção Materno-Infantil em Alagoas, além de descentralizar o atendimento de médio e baixo risco para as 13 microrregiões de saúde e desafogar o atendimento no alto risco, que hoje é realizado na Maternidade Escola Santa Mônica e o Hospital Universitário", lembrou a gerente.

Avança Saúde - Ao todo, o volume de recursos investidos soma R$ 21,2 milhões/ano e fazem parte do Avança Saúde. Lançado o ano passado pelo governo federal, tem previsão de investimentos no sistema de saúde de Alagoas de R$ 548 milhões até 2011, no sentido de reestruturar o sistema e implantar políticas de fortalecimento da saúde.

Participaram da solenidade o vice-governador, José Wanderley Neto; a secretária da Assistência e Desenvolvimento Social do Estado, Solange Jurema; o presidente da Associação dos Municípios Alagoanos, Jarbas Omena; os deputados estaduais Alberto Sexta-Feira. Kátia Freitas Lisboa e Sérgio Toledo; entre outros.

Fonte: Secretaria de Estado da Comunicação - Júlio Cezar / Ednar Costa / Carlos Melo - Com adaptações.

1 Deixe seu comentário:

Que bom! VAmos ver se a saúde em Alagoas vai p/ frente e que os hospitais interioranos estejam preparados p/ suprir as necessidades de suas cidades e desafogue realmente o atendimento da rede hospitalar na capital!