Blogroll

15 de fev de 2010

Carnaval de A a Z

Os rostos se misturam, o contato é inevitável, a tristeza não existe. Todas as classes estão presentes, vibrando com os momentos de alegria, na maioria das vezes pelo tradicional frevo rasgado. Não importa, pobre, rico, branco, negro, criança ou adulto. A homogeneidade de classes sociais, raças ou faixa etária não existe. A mistura é o encanto dessa festa onde seus trajes passam despercebidos, pouco importa se estás de terno e gravata ou com camiseta e bermuda.

Em União dos Palmares, o tradicional relógio, ritmado ao som do frevo leva alegria aos anônimos e "ilustres" palmarinos que se mostram em sincronia. As orquestras com seus metais, elevam a temperatura do público, arrancam sorrisos a cada marchinha carnavalesca. Fantasias, sprays, corantes, tudo faz parte. Inclusive se sujar! Até aqui tudo bem...

Como nem tudo em União são às mil maravilhas, surgem críticas à todo instante. Pessoas que reclamam das atrações oferecidas, mas não arredam o pé da praça! No meu caso, a crítica vai para as promoções políticas. Sempre acontecem nessa terra de um dono só. Locutores à cada instante saúdam os donos de União e o novo "morador" da cidade candidato a Federal. Isso ao meu ver, é o que estraga as coisas. Aproveitam a "massa" reunida para vangloriar meros politicos que não fazem mais que sua obrigação em oferecer pão e circo a população. Só que essas máscaras caem após o carnaval. A "massa" sabe muito bem disso!

Mesmo com todos esses fatos politicos, o sorriso continua estampado na "cara" dos foliões. Não são atos dessa magnitude que irão tirar o brilho dos festejos.

O Carnaval continuará sendo a única festa de A a Z, principalmente aqui na "Terra da Liberdade".

Dallas Diego

1 Deixe seu comentário:

"(...) o sorriso continua estampado na 'cara' dos foliões."

Sinto muito, na minha não! Acho o carnaval uma festa deplorável, na qual todas as pessoas se reunem, dançam e são felizes. Uma merda!

Mas, pensando bem, eu não sou folião.