Blogroll

3 de jul de 2011

MÚSICA: Morphine

Morphine
The Night, 2000.

É possível fazer rock sem guitarras? Mark Sandman, vocalista e baixista, provou que sim [e rock dos bons]. Com o saxofonista Dana Colley e o baterista Billy Conway, Sandman inovou o bom e velho rock and roll com a fundação do Morphine no ano de 1989, na cidade de Cambridge, Massachussets, EUA.

Sandman tinha a proposta de criar uma musicalidade autentica, e ao excluir a guitarra da banda o músico alcançou a vanguarda do rock, apesar de muitos críticos e amantes de música não simpatizarem muito com a idéia de se fazer rock sem as estridentes, barulhentas e sedutoras guitarras.

Durante 10 anos, conquistando fãs e produzindo apresentações aclamadas [o baixo de Sandman possuía apenas 2 cordas], a banda faz os críticos darem o braço a torcer, recebendo resenhas elogiosas das principais revistas especializadas com o lançamento, em 1993, do álbum Cure For Pain. Com esse disco a banda ganha credibilidade a o reconhecimento mundial, fazendo turnês nos 4 cantos do mundo, lotando casas de shows alternativos e festivais importantes como o Dynamo, na Alemanha e o festival Glastonbury, na Inglaterra.

Em 1999, Mark Sandman entra definitivamente para os anais da música morrendo de enfarte em pleno palco durante a turnê do disco Like Swimming, lançado em 1997 na cidade italiana de Palestrina. Para consolar sua legião de fãs, Sandman deixou pronto esse álbum que vos recomendo: The Night. Mais elaborado que Cure For Pain, com técnica aprimorada, Morphine deixou de herança um grande disco de rock, calcado na mais majestosa fonte de inspiração: o blues. Faixas como A Good Woman Is Hard To Find, So Many Ways, Like A Mirror e Top Floor Bottom, são vigorosos rock com uma belíssima moldura blueseira. Imperdível. Clique aqui para se deleitar com Morphine através de nosso HD Moderno.

Walter Amaral
wjr_stoner@hotmail.com / @walter_blogTM

0 Deixe seu comentário: