Blogroll

14 de jun de 2014

ÚLTIMAS: NOVA REDUÇÃO DO FPM CAUSA DESESPERO EM PREFEITOS ALAGOANOS


Enquanto os prefeitos alagoanos correm para Brasília para pedir aumento na verba do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), o governo federal voltou a fazer uma redução considerável no valor enviado para as prefeituras. Neste dia 10 de junho, os gestores encontraram as contas das prefeituras com 40% a menos no repasse do FPM.

A situação afeta quase 100% dos municípios alagoanos, que amargam a redução do FPM com limitação de despesas no município. O prefeito de Quebrangulo, Manoel Tenório, afirmou que a redução inesperada traz um reflexo preocupante e negativo para as cidades que dependem financeiramente da verba do governo federal.

A esperança de ter uma recompensa financeira ainda este mês é a única medida para garantir o pagamento das contas e o funcionamento dos serviços. “Tem muitas prefeituras aqui em Alagoas que somente irão conseguir pagar a folha dos servidores. Mas e os outros serviços básicos do município”, ressaltou Tenório.

De acordo com o prefeito, somente na cidade de Quebrangulo já houve aumento salarial do magistério em 8% e está sendo discutido ganho salarial dos agentes de saúde na Câmara Municipal dos Vereadores.  “O governo federal não está tendo o respeito de ouvir e atender as reivindicações dos municípios. Infelizmente só quem sofre com isso é a população”, pontuou, Tenório acrescentando que mais de 80% dos municípios brasileiros estão na mesma situação, conforme informações da Confederação Nacional dos Municípios (CNM).

Associação dos Municípios Alagoas (AMA) informou que a redução aguardada era de 16%. O presidente da AMA, o prefeito Jorge Dantas, garante que essa redução inviabiliza todo planejamento financeiro existente nas cidades. “Desde a Marcha a Brasília, até agora só tivemos promessas. O Governo Federal acenou com o aumento de 1% no Fundo de Participação dos Municípios (FPM), sendo 0,5% em 2015 e mais 0,5% (acumulando em 1%) em 2016”, completou Dantas.

Fonte: Cada Minuto

---

Continuo me impressionando com a desgraçada capacidade desses supostos gestores municipais serem caras-de-pau. Um município é um ente estatal que além de receber as verbas federais (que são essas reclamadas pelos nobre prefeitos) tem a sua disposição inúmeras outras verbas como o tão bom e velho recolhimentos de impostos, lucros com empresas públicas (ex: SAAE), além do acesso a muito dinheiro do governo federal advindas de projetos que, apesar do povo não ver, estão lá nos papéis e o dinheiro nas contas bancarias.

É como se você morasse numa casa e além de trabalhar, receber ajuda de seus pais ricos ainda tivesse uma extensa linha de crédito disponível. Como um empreendimento desses pode fracassar ao ponto tenebroso de deixar de pagar seus funcionários? A explicação é óbvia, porém de difícil materialidade probatória devido às benesses de ser o governo, em qualquer âmbito: roubo do dinheiro do povo.

Agora, depois que a ignóbil presidenta da república resolve cortar mais um pouco das verbas fixas municipais para suprir sua própria máquina corrompida e corrompedora, esses senhores que são mais nocivos para o erário que enxame de gafanhotos em plantação de milho, vem agruparem-si em uma associação que nada mais faz que cobrar aumentos de verbas para os municípios visando não melhorias sociais, mais sim mais verbas para serem desviadas.

Sinceramente, prefeitos gabirus eu acho é pouco já que os nobres senhores venderam a muito suas porcas almas ao diabo através de seus pecados capitais. Contudo, temo pelo povo ignorante que elegeu, é açoitado na dignidade durante 4 anos enquanto eles sempre se reelegem e vivem luxando.

Walter A.
wjr_stoner@hotmail.com / facebook.com/walterblogTM



0 Deixe seu comentário: