Blogroll

12 de jan de 2015

EDITORIAL: nada é tão ruim que não possa piorar

Neste ano que começa, em vez de votos e promessas de boas ações e mudanças que vêm com a mesma rapidez que se vão, devemos apenas agradecer o que já temos, já que tudo poderia ter sido pior. Usando como parâmetro de observação fenomenológica no que diz respeito à nossa política o modo de visão dos "governistas" do PT, devemos sempre ter em mente aquele velho ditado popular: "nada é tão ruim que não possa piorar". Não obstante, uma vez que já correram tantos dias sem um textinho sequer aqui no blog, venho eu em respeito aos nosso poucos porém inteligentíssimos leitores agradecer, apenas agradecer, a esses 14 anos de governo socialista-progressista.*

Obrigado ao PT pelas 60 mil mortes violentas no ano de 2014. Poderia ser 63, 65, 70 mil jovens alienados que pelos menos se transformam em números para fomentar políticas públicas segregatórias e auto-falidas. Obrigado por não investigar muito menos punir os verdadeiros assassinos de nossa juventude: os políticos e agentes públicos corruptos, seus simpatizantes e afins. Obrigado por instituir uma Comissão da Verdade a ser instalada à custos milionários para punir os já punidos pelo tempo e pela consciência e distribuir pensões capitalistas à famílias de bandidos travestidos de "guerrilheiros a favor da democracia", uma vez que lutavam para trocar uma ditadura por outra. Obrigado por varrer para debaixo do tapete da história que morreram mais jovens apenas no ano passado do que durante todo período da ditadura.

Obrigado por me taxar de extremista por apenas citar esses fatos, mas só pra esclarecer eu não quero nenhuma ditadura no meu país, nem a dos generais de direita (que torturaram/mataram 434 pessoas em 40 anos) muito menos dos terroristas de esquerda que fornecem logística política para que morram 60 mil brasileiros por ano! Comissão da (Meia) Verdade, investiguem o indenizem as famílias dos 750 mil jovens que morreram no Brasil, em sua maioria durante o governo do PT. Lembrando que a ONU diz que bastam "apenas" 10 mil mortes anuais para ser declarado estado de Guerra Civil. Ou seja, temos corpos para instalar burocraticamente 6 guerras civis por ano aqui. Ou melhor, investiguem e punam e deem pensão também as famílias dos policias e militares mortos cumpridos seus deveres. Desde a época da ditadura até os dias de hoje.


Obrigado por endeusar os criminosos políticos, terroristas, corruptos e demais estirpes que formam o lumpemproletariado. Obrigado aos petistas gramscianos por adentrarem, com nosso conivência claro, em nosso subconsciente através das mais variadas expressões da baixa cultura, sempre de maneira meticulosa, planejada com o intuito de vencer não pela potência das idéias, mas sim pelo cansaço, pela exaustão, pela lavagem cerebral propriamente dita e posta em prática. Quer exemplo: a preocupação da mídia em exibir a briga entre o dep. Jair Bolsonaro  (PP-RJ) e a dep. Maria do Rosario (PT-RS): ela defensora de bandidos, abortistas, estupradores, vadios e toda sorte de gente que compõe os setores mais escrotos da sociedade; ele, relator de um projeto de lei que propõe a castração química de estupradores. Ela o provocou chamando-o de estuprador [trazendo para o campo da realidade fática os dizeres de Lenin: chame-os daquilo que você é, acuse-os daquilo que você faz](!) e ele caiu respondendo à altura porém sem decoro para um parlamentar: "se eu fosse estuprador, você não seria estuprada nunca!". Isso bastou para tirar o foco da discussão relevante e transformar em vítima a perpetradora já que a deputada defensora de bandidos agora pedia a cassação do deputado que prega penas mais duras para criminosos. Ainda há dúvida quanto a inversão de valores reinante? A mídia prontamente começou a divulgar os pedidos insólitos de cassação de Bolsonaro e calou-se no que dizia respeito a atividade de defensora de bandidos da deputada Rosario e sobre o projeto de lei que impunha castração química, nada.

Os principais intelectuais de esquerda, principalmente aqueles que sucederam o italiano Antonio Gramsci, apostam na destruição da moral e da cultura para implantação de um regime socialista/comunista sem guerras. Eles sabem que cultura nenhuma hoje em dia aceitaria ser subjugada à força para implantação do comunismo aos moldes chineses, norte-coreano ou soviético. É mais fácil inverter os valores, minando o consciente coletivo, transformando o certo em duvidoso e depois em errado. Obrigado petistas por cortarem 7 bilhões de reais da Educação do orçamento da União para o ano ano que corre. Obrigado por mentirem sobre o pré-sal, que deve ser tão pré, tão pré, que só existiu na pré-história. Obrigado por não instituírem um piso para a segurança pública. Obrigado não conseguirem pagar o piso para o professor. Obrigado por criarem o bolsa-presidiário. Obrigado por defenderem assassinos, estupradores, traficantes e todo naipe de psicopatas através do tão renomado Direitos Humanos. E obrigado por vocês, líderes políticos, aumentarem seus salários para quase 34 mil reais.

Obrigado ao advogado do PT, Dias Toffoli, que por hora é ministro do Superior Tribunal Eleitoral (!), por garantir ser infalível o sistema de computação de votos através da urna eletrõnica, mesmo vários países terem apontado falhas em nossas urnas como no caso da perícia feita nos EUA à pedido do ex-dep. João Lyra inconformado com a derrota para Teotônio Vilela: confirmado fraudes, as urnas foram prontamente queimadas pela Justiça. Obrigado também por contratar a empresa venezuelana Smartmatics, com sede nos EUA porém de capital venezuelano, para apurar nossos votos mesmo ela sendo ré em diversos processos de fraude na Venezuela e nos EUA. E sempre, sempre devemos agradecer a imprensa, por não nos mostrar nada disso no Fantástico ou Jornal Nacional, seu expoente maior. Obrigado aos blogueiros e colunistas, que de tão preparados intelectual, política e socialmente, nos inundam toda semana com irrisórias críticas a um governo que paga seus salários, direta ou indiretamente através dos patrocínios dos veículos de comunicação. Obrigado a vocês jornalistas por além de tecer inócuos comentários, ainda tiram do governo sua grande parcela de culpa, desviando a atenção para a "violência policial" culpando 20 mil homens pelo erro de um como hoje no jornal Nacional no caso da estudante morta dentro de um carro durante uma abordagem mal sucedida; "racismo", gayzismo, futebol, e raras e vagas denúncias de "falta de educação", "falta de saúde" aqui e acolá, que mais parecem repetecos. Culpando os porcos, não seu dono. Apontando apenas efeitos sem explicar causas. Obrigado jornalistas por, diante de tantas denúncias de irregularidades nas eleições, dizerem que era "choro de perdedor" o pedido formal do candidato da oposição para uma auditoria.

Obrigado aos ditos "intelectuais", formadores de opiniões, do tipo do Jô Soares que hostiliza e insufla os demais da platéia a constranger o único que discordou de suas idéias ilógicas, dando uma notícia pela metade no caso Bolsonaro x Rosario. Obrigado ao PT por gerir mal à 12 anos os 35,7% do PIB que pagamos de impostos todos os anos. Ou seja, Quase 5 meses de trabalho para os ladrões fazerem suas festas. Obrigado ao PT, através da prefeitura de São Paulo por financiar parte da logística do PCC - facção criminosa participante do Foro de São Paulo - como já demonstram inúmeras investigações quase sempre arquivadas. Obrigado ao governador Geraldo Alckimm por nomear um ex-advogado do PCC para a secretaria de Segurança Pública. E por fim, obrigado a você que não leu esse texto, pois está mais preocupado com a novela das 8, com a vida do vizinho, com a mulher do amigo, em roubar, em enganar, corromper mentes e/ou corpos, tirar proveito por menor que seja, em elevar a ignorância à regra, em marginalizar quem lê e busca a sabedoria e principalmente, zombar de Deus. 

*devido a já pública e notória incapacidade de intelecção dos ptistas, militantes, simpatizantes e afins, venho por meio deste asterisco esclarecer que esse é um texto de essência irônica/sarcástica.

Janeiro, 2015.

Walter A.
wjr_stoner@hotmail.com




0 Deixe seu comentário: