Blogroll

16 de fev de 2009

FILME: "A vida dos Outros"

Vencedor do Oscar 2007 de melhor Filme Estrangeiro, “A vida dos outros” (Das Leben der Anderen) é um filme alemão, com roteiro e direção de Florian Henckel von Donnersmarck. Este é mais um filme que, através de relatos fictícios intercalados, visa dar ênfase aos marcos históricos verídicos, que acontecem no plano de fundo. Desta vez, está em cena a reconstruída Berlim Oriental de 1984, dominada por um Estado soviético que busca manter uma espécie de socialismo exacerbado no Poder, através do controle e da dominação da sociedade.

Através de cenas muito bem elaboradas, o filme mostra como as pessoas que viviam naquela região tinham seu direito de liberdade de pensamento rechaçado e esquecido; bem como a forma impecável que agiam os agentes da Stasi (polícia secreta da Alemanha Oriental), diante de suas intuições de “conspiração contra o Poder”, interceptando qualquer tipo de suspeita. Donnersmarck ainda nos oferece dados verídicos, ao longo do filme, sobre indivíduos que realmente descobriram, após a queda do muro de Berlim em 1989, que pessoas próximas a elas (maridos, irmãos, vizinhos) eram espiãs da Stasi, sob o intuito de não perder o cargo de emprego ou a vaga na Universidade.

É possível até fazer um encadeamento do roteiro do filme com o livro “1984” de George Orwell, que, na verdade, fora escrito em 1948 (troca dos dois últimos algarismos do título). O livro relata, através da ficção, como agia o regime totalitário na Inglaterra (denominado como Big Brother) e critica figuras como Churchill, Stálin e Hitler, num alerta às sociedades futuras sobre o não direito de expressão, que já existia naquela época.

Por fim, conservando alguns trechos da Sinfonia Apassionata, de Beethoven, a preferida de Lênin, “A vida dos Outros” leva o espectador a refletir acerca de seus antepassados (nem tão distantes assim) e a estacionar olhos e quadril em cima de uma poltrona, por cerca de 137 minutos, em busca de pura adrenalina.

Sara Albuquerque.

Para interesses visuais, o “Youtube” oferece o trailer do filme.

4 Deixe seu comentário:

Os regimes que ocorreram na Alemanha Oriental, até na Ocidental, e em alguns outros países europeus e asiáticos, não podem ser confundidos e tidos como "Socialismo" na concepção da raíz da idéia.

Ah! Não assisti esse filme nem li esse livro. Uma pena.

Ah! Recomendo o livro e o filme, Wenndell. Concordo com você: o que existiu não tem nada a ver com o socialismo tão sonhado por Marx, onde as pessoas estivessem em situação de igualdade em seus direitos e deveres. Na verdade, o nome "socialismo" serviu apenas para mascarar um regime altamente repressor e desconhecedor do termo "democracia". Infelizmente.

nessa época era mesmo o comunismo q reinava.