Blogroll

30 de abr de 2010

EDITORIAL: O clima pesou.

Calor insuportável. Terremotos agora são comuns. Trovões cortam o céu sob o sol do meio dia. A chuva castiga sul/sudeste do país chove praticamente a um ano. Você já parou pra pensar o que realmente está acontecendo acima de nossas cabeças? Ou continua preocupado demais com a vida social imposta, a qual não permite que as pessoas se desliguem um único minuto pra prestar um pouco de atenção nas forças e fenômenos naturais que nos permitem viver? Pois é. Desastres naturais são cada vez mais comuns assim como já é comum a apatia da humanidade diante de tudo, principalmente quando o assunto é salvar a própria espécie.

Enquanto estamos presos na nossa própria representação da realidade, os governos senhores de nossas vidas, já ligaram o sinal de alerta para as próximas desgraças que, se ainda não incluiu você e eu no repertório, estão bem próximo de acontecer. Não, não sou nenhum maluco que perde o tempo com o que não é válido. Junto fatos e teorias para buscar entendimento para simplesmente não ser pego de surpresa. Em minha busca solitária, encontrei algumas respostas nada acalentadoras para explicar a "revolta" da natureza além das já conhecidas desculpas que não explicam muita coisa: "aquecimento global", "el niño", "la niña", etc., etc...

Uma das possíveis respostas que achei não foi nada otimista. Segundo cientistas da NASA, o sol está "fora de controle", liberando descargas de plasmas e radiação como nunca se viu antes. No passado, os cientistas achavam que a Terra era mais influenciada pela lua , que por sua vez rege os mares, e por seus planetas vizinhos. Mas, com a chegada de fenômenos inesperados, foi-se descobrindo que o Sol, além de dar "vida", sustentação ao sistema planetário no qual estamos inseridos, é também o "regente" de nosso clima, mesmo estando tão distante, pois não é apenas luz e calor que ele faz chegar até nós e as mudanças de estação por culpa da translação é só o básico de demonstração da nossa ligação com o astro. E ele tem se manisfestado de forma "atípica" ultimamente, segundo os cientistas da NASA.

- início da explosão -

Arcos de fogo surgem de uma região ativa na superfície do Sol nas imagens captadas pela sonda Stereo (acima) em 27 de janeiro e divulgadas pela Nasa nesta semana. Os arcos são, na realidade, plasma, matéria superaquecida composta por partículas eletricamente carregadas em movimento (elétrons e íons). A proeminência (ou ejeção de massa coronal) registrada pela Sonda Stereo estende-se por centenas de milhares de quilômetros na atmosfera externa do Sol, a coroa solar e tem efeitos aqui, no nosso planeta. Cientistas da Nasa avaliam que a forma dessa ejeção, mais estreita, e sua velocidade são atípicas.

depois da explosão o jato de plasma anormal atravessa o astro-mor

Ejeções de massa coronais podem causar problemas na Terra. As partículas de energia podem danificar satélites, causar problemas de comunicação e navegação em aviões e interromper o fornecimento de energia em residências e indústrias. Alguns estudiosos dizem ser possível até mesmo as explosões solares interferirem em nossos pensamentos e consequentemente em nosso comportamento. Para entender os efeitos da atividade solar sobre a Terra, a Nasa mantém 18 missões de observação da estrela. O último reforço é a SDO (Solar Dynamics Observatory), lançada em 11 de fevereiro. A SDO vai tirar fotos detalhadas do Sol a cada 0,75 segundo. A cada dia, enviará à Terra 1,5 terabyte de informação. Alguns desses dados confirmam que o Sol nos ultimos tempos tem causado desde pane em aviões até incêndios gigantescos em florestas pelo mundo.

As explosões solares espalham eletróns pelo espaço. Eletróns buscam atómos que os encaixem. Mas o número de átomos e partículas formadas com a absorção dos elétrons em excesso liberadops pelas explosões desgovernadas do Sol, causam um tipo de "inflação" física, pois não haveria lugar para o excesso de elétrons liberados. Especificamente no nosso planeta, os elétrons em excesso juntamente com a radiação, além de causar danos materias, supostamente se alojariam diretamente em nosso núcleo terrestre, aumentando sua massa, sua temperatura, etc.
Levando essa teoria por verdadeira, esse seria uma das razões dos frequentes terremotos em regiões localizadas em meio as placas tectônicas e não nas junções das mesmas, como já é esperado. Traduzindo para o popular: o Sol explode, o excesso chega aqui, aquece a Terra que "incha" e treme. E se o Sol continuar do jeito que está, bastante "temperamental", corre-se o risco de vulcões antes adormecidos voltem à ativa, assim como o vulcão Eyjafjallajoekull, na Islândia, que deixou inoperante a maioria dos aeroportos internacionais europeus ao lançar uma nuvem de partículas vulcânicas na atmosfera.

Outra questão que surge: porque a mídia (tv, jornal, grandes sites, etc.) não divulgam essas notícias desagradáveis? Pelo fato de serem mais do que desagradáveis e evitar o pânico. É de se convir que se a maioria das pessoas tomarem para si informações como essas, bastante complexas de serem entendidas, digeridas, terminem por se transformarem em pessoas totalmente sem pudores, imorais e anti-éticas elevando ao extremo suas piores características egoístas, visto que o fim da sociedade e, consequentemente, da vida como conhecemos, está bastante próximo. Para entender esse questionamento devemos primeiro entender que fomos criados para servir. Lembra daquela clássica canção da Legião Urbana: "quando nascemos somos programados a receber o que vocês nos empurraram com os enlatados do U.S.A(...)". Nosso país é uma cópia circense dos EUA e de seu "american way of life", o jeito norte-americano de viver.

A Terra já passou por esse período de incerteza solar antes. Maias, Egípcios, Gregos, Nórdicos, Hindus, Budistas, Islamicos, Judeus. Todos os povos religiosos arrumaram seu jeito de avisar aos povos posteriores e não é que eles sejam videntes. Eles repassavam lembranças de antepassados. Existe ao redor da Terra uma força magnética que mantém todas as partículas que formam nossa atmosfera unidas. É chamado de Campo Magnético Terrestre. Um imã só aponta para o Norte, porque existe esse Campo. E é esse campo que dá sustentação ao núcleo de nossa orbe, mantendo as crostas inferiores em constancia, permitindo que as placas tectônicas onde vivemos permaneçam estáveis, pois apesar do chão aparentar ser bastante grosso, por analogia, a crosta em estamos é comparável à casca de um ovo, a clara são as crostas de rocha derretida e a gema é o núcleo. Uma vez que o Sol está interferindo (quantificar ou qualificar a interferência nem mesmo a NASA sabe) em nosso Campo Magnético com as explosões solares, o núcleo (a gema) termina por esquentar por causa da carga extra de elétrons e radiação aumentando a densidade das crostas intermedíarias (clara) e rompendo a superfície terrestre (casca do ovo) formando terremotos, maremotos, etc.

Campo Magnético Terrestre afetado pelo Sol

O problema está aí. Os cientistas vão descobrindo pouco a pouco, através de fatos isolados a enrascada em que a humanidade entrou, uma vez que demos às costas a Natureza, apenas sugando seus recursos deliberadamente. Deus buscou caminhos para nos alertamos e a História está cheia de exemplos de povos que foram varridos da face da Terra por não observarem os erros passados. A História está cheia de povos que alcançaram o ápice tecnológico possível à época, mas que ao não usarem para o promover o bem e a harmonia, termiram confundindo dádiva com direito e a corrupção geral dos costumes derrubaram à base de suas existências. A humanidade de hoje, não observa mais o passado e vive o presente com uma ânsia desmedida pelo futuro. E isso vai causar a fim de nossa sociedade.

As religiões nos dão conforto emocional para enfrentar esse "problema". Aprender com povos antigos que passaram por esse ciclo é o mínimo que podemos fazer. Uma coisa é certa: Deus está mandando recados que não podem passar despercebidos. Mude sua mente, mude suas atitudes e não pense que porque o fim está proximo, "aproveitar a vida" siginifica agir deliberadamente, irracionalmente, vulgarmente. O estilo de vida norte-americano que todos seguimos hoje em dia está prestes a cair e não é se trancando dentro de nosso próprio ego que conseguiremos enganar as Forças Superiores que tudo gerem, muito menos conseguiremos enganar nossa alma, nossa essência.

Prestar mais atenção no mundo e esquecer um pouco de nós e das pessoas que nada nos acrescentam é o primeiro ensinamento que captei desses acontecimentos. O segundo ensinamento foi o de prestar mais atenção aos que os povos do passado tem a nos dizer. Só quando olharmos para dentro de nós mesmos, poderemos compreender que a nossa vida está presa a um mundo irreal recoberto de matéria física. Enquanto não tomarmos consciencia disso, seguiremos perdidos, com o sentimento de vazio cada vez mais enraizado no peito, enganados pelas doses diárias de alegrias momentâneas e descargas hormonais ocasionadas por fatos banais que nos mantém cada dia mais presos ao que não tem a mínima relevância. Devemos nos preparar e buscar sermos pessoas melhores de que nós mesmos somos nesse instante e não melhor do que o próximo, pois o dia em que os últimos serão os primeiros já pode ser visto no horizonte.

Abril, 2010.
Walter A.
Editor
www.twitter.com/walter_amaral
Bookmark and Share

8 Deixe seu comentário:

Caro Walter,
fiquei com algumas dúvidas a respeito deste seu texto. Buscando ser objetivo farei uma pergunta por vez e medida que esta for sanada, se a sua paciência o permitir, abordarei a próxima. Minha primeira dúvida é:

Diante desta sua frase: "... a História está cheia de exemplos de povos que foram varridos da face da Terra por não observarem os erros passados." pergunto.

Como o erro da humanidade pode ser responsável por estas explosões solares?

Att,
Claudemir Leandro

Os erros do passado q me refiro ñ diz respeito as explosões e sim ao modo de vida de povos anteriores à nossa sociedade conteporanea q, ao chegarem no ápice de seus cohecimentos, inclusive conseguido calcular essas explosões desgovernadas, deixaram de lado os valores q os fizeram evoluir para se apegar à coisas mais "banais", como guerras, etc. etc.

Por exemplo: a sociedade de hj conseguiu evoluir de maneira extraordinaria a ciencia.. mas a ciencia n serve ao homem em si. serve ao interesse de poucos homens e isso implica em repetir erros de povos passados.

É mais q obvio q ñ podemos nada fazer em relação as explosões, mas poderiamos começar a viver em pro da nossa evolução, viver em pró de nossa manutenção como espécie abençoada q somos.. Esperar o Cais gerando mais caos ñ é uma atitude de seres "racionais".

Walter, talvez eu não tenha sido tão claro na pergunta. Vou tentar esclarecer.

Já havia entendido que quando você se referiu aos erros passados quis dizer o modo de vida dos povos anteriores. Mas você atribuiu as catástrofes naturais, no meu entender, como consequência desses erros. Bem, analisando a frase.

"...História está cheia de exemplos de povos que foram varridos da face da Terra por não observarem os erros passados."

Esta frase, do ponto de vista lógico quer dizer o seguinte: Se os homens observassem os erros passados então os povos não seriam (poderiam não ser) varridos da face da terra.

Em outras palavras você refere que o motivo destas mortes foram por causa dos erros passados.

Bem, o que queria dizer com a pergunta do post anterior é isto:

Como pode estas catástrofes naturais ser consequência do erros dos homens?

Se você não queria dizer isto, então a frase dá margem a ambiguidade. E podemos passar para a próxima pergunta.

2) Você escreve a sequência:
"Prestar mais atenção no mundo e esquecer um pouco de nós e das pessoas que nada nos acrescentam é o primeiro ensinamento que captei desses acontecimentos. O segundo ensinamento foi o de prestar mais atenção aos que os povos do passado tem a nos dizer. Só quando olharmos para dentro de nós mesmos..."

Vamos dissecar este trecho.

Primeiro: prestar mais atenção ao mundo (esta a prioridade).
Segundo: esquecer um pouco de nós.
Terceiro: prestar mais atenção aos que os povos do passado tem a nos dizer.

Aí você escreve: "Só quando olharmos para dentro de nós mesmos (...) enquanto não (...) seguiremos perdido".

Esta última não pode ser uma conclusão, pois foge totalmente das premissas acima, logo imagino que seja uma digressão. Mas uma digressão sine qua non as três partes acima não teria sentido.

Diante disso não consegui seguir seu raciocínio. O que é prioritário? O que é secundário? O que estas mensagens (de Deus - segundo palavras suas) nos quer realmente transmitir?

Espero que consiguas captar minhas dúvidas.

Atenciosamente,
Claudemir Leandro.

Este comentário foi removido pelo autor.

"...História está cheia de exemplos de povos que foram varridos da face da Terra por não observarem os erros passados."

a frase ñ é ambígua e em nenhum momento disse q as catrastrofes naturais poderiam ser evitadas e q era culpa dos homens (no meu entender o aquecimeto global provocado pelo aumento de co2 é só um "estopim humano") e como já disse, quando me refiri aos erros passados, me referi ao modo de vida.

----------------------

Não houve falhas nas minhas premissas e sim erro de interpretação seu q, espero eu, será sanado agora, afinal, é conversado q se entende:

quando digo "esquecermos de nós", me refiri a nossas torpes vontades e ações regressoras, nosso ego;

quando digo olhar para dentro de nós, é buscar exatamente o q disse antes, saber o q é danoso e deixar ir; derrubar o ego e recohecer q o homem ñ eh a medida das coisas.

o q é prioritário: prestar mais atenção ao mundo lato senso (desastres) para entender q, nos humanos, não somos donos dele, apenas gerentes;

o q é secundário: esquecer de nossos egos, desejos, vícios e atitudes regressoras e torpes;

e só depois dessas ultimas, devemos observar com cuidade o q os povos do passado tem a nos ensinar em termos de sobrevivencia, já q eles nos mostraram como NÃO agir.

e por ultimo, o q estas mensagens de Deus querem nos dizer é q, se não fizermos isso por nossa propria vontade, exercitando nosso livre arbítrio, logo logo, será feito pela maneira mais drástica possivel.

Nos podemos passar essa fase de transição lapidando Valores e esinamentos de amor e paz q Deus vem tentando nos mostrar atrave´s dos seculos por meio de seus enviados, entre eles, o mais notorio e completo Jesus.

Caro Walter,
agora consegui acompanhar o seu raciocínio e concordo com suas palavras. Obrigado pelos esclarecimentos.

P.S.: Parabenizo-o pelo artigo.

Atenciosamente,
Claudemir Leandro.

Muito obrigado pela atenção Claudemir. Abraço.