Blogroll

13 de out de 2010

Censo 2010 - Informações Preliminares

Censo já contou 154 milhões de brasileiros

O Censo 2010 já havia contado 80% da população brasileira, cerca de 154,2 milhões de pessoas, até às 12h do dia 27 de setembro. Além disso, os recenseadores já haviam visitado 57,8 milhões de domicílios. A coleta continua até 31 de outubro e, nos locais onde já foi encerrada, foi iniciada a etapa final de verificação dos dados. Nessa etapa, o IBGE solicita o apoio dos moradores que podem ainda receber a visita dos supervisores, profissionais que vão a campo após o recenseamento para supervisionar o trabalho realizado.

O estado de Alagoas segue num ritmo acelerado de coleta. Dados do dia 13/10/2010 mostram população recenseada de 2.943.654 milhões de pessoas, 93% do total estimado que é 3.156.108 milhões de habitantes no estado. Foram contados até aqui 796.782 mil domicílios, com média de 3,69 moradores.

Alagoas tem 102 municípios, desses já encerraram a coleta 18: Pariconha, Olho D´água do Casado, Senador Rui Palmeira, Palestina, Craíbas, Olho D´água Grande, Mar Vermelho, Porto Real do Colégio, Igreja Nova, Junqueiro, Atalaia, Teotônio Vilela, Coruripe, Jequiá da Praia, Feliz Deserto e Piaçabuçu.

União dos Palmares também está prestes a encerrar a coleta. O município apresenta 94% de já recenseados e 82% de domicílios visitados. Tem um estimativa populacional de 62.727 mil, onde já foram recenseados 59.250 mil, com média de 3,79 moradores por domicílio.


CRIAÇÃO DO IBGE
A Revolução de 1930 significou uma profunda mudança na organização político-administrativa do Brasil. A ordenação federativa passou a ser bastante centralizada na figura do presidente Getúlio Vargas, que criou diversos instrumentos de política institucional, regulação e intervenção na economia e nas relações sociais. A adoção de políticas econômicas demandava a existência de informações estatísticas regulares e, razoavelmente, atualizadas sobre o Brasil. Nesse sentido, a criação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a partir de 1936, inseriu-se no projeto de um governo central com políticas ativas na direção da integração nacional.

O Censo Demográfico de 1940, o primeiro realizado sob a égide do IBGE, inaugurou a era moderna dos Censos no País. Sua preparação contou com a participação de profissionais qualificados, membros de uma renovada carreira de servidores públicos. A relação de questões investigadas inclui quesitos sobre as componentes demográficas (nascimentos e mortes), origem migratória, condições socioeconômicas (domicílio, educação, mão de obra) aspectos ligados ao território e nacionalidade (línguas faladas, por exemplo) e outras que fornecem informações para políticas públicas e regionais. A partir daí, dispõe-se de uma série censitária (decenal) das medidas demográficas, que se tornaram os índices oficiais de população no Brasil. O Censo de 1940 acabou tornando-se exemplo para Censos em outros países, especialmente na América Latina. A pesquisa de 1940 também revelou que quase 70% da população do Brasil, que chega a 41 milhões de pessoas, vivia em áreas rurais. A população do estado de São Paulo ultrapassou a de Minas Gerais.

Nos anos seguintes, as atividades censitárias tomaram mais impulso com a implantação da série dos Censos econômicos (indústria e comércio) e agropecuária.

Com informações extraídas de CartaCapital.com.br e Ibge.gov.br

0 Deixe seu comentário: