Blogroll

31 de jan de 2014

LIVRO: O MÍNIMO QUE VOCÊ PRECISA SABER PARA NÃO SER UM IDIOTA


- O Mínimo Que Você Precisa Saber Para Não Ser Um Idiota, 2013.
- Olavo de Carvalho.
- Ed.: Record


Caros leitores, por acaso, algum de vocês já ouviram falar no Council for Foreign Relations? Não? E sobre Bilderberg Group? Foro de São Paulo? Também não? 

No fim do ano passado enquanto procurava um livro que representasse um tipo de literatura substancial no sentido puro do termo, me deparei com essa capa chamativa em preto, cinza e vermelho de O Mínimo... do filósofo - até então desconhecido para minha neófita pessoa - Olavo de Carvalho. Havia fastigado de romances, ficções e da redundante filosofia existencial de Nietzsche. Procurava algo para aplacar a busca incessante que minha alma nutre pela Verdade. O título quase ofensivo atraiu-me de imediato. Pretensão? Firmeza de saber? Ironia? Ao folhear o petardo literário, percebi que título melhor seria impossível para livro com informações essenciais para uma vida plena no mundo de baixas representações e valores de hoje. Comprei-o sem pestanejar e o li rapidamente. 


Os órgãos citados no primeiro parágrafo são ínfimos exemplos de forças invisíveis, porém bastante palpáveis, controladoras/moldadoras de consciências em escala industrial. Criminalidade, pobreza, poder, dominação, comunismo, capitalismo, intolerância, Esquerda, Direita, terrorismo, luta de classes. Vivemos numa redoma de problemas sociais, além dos pessoais ocasionados pelos primeiros. O curso da História e seus desdobramentos em favor de alguns; a Filosofia deturpada à serviço do materialismo banal contemporâneo e de ideologias sanguinárias e a Política em uso forjada dos baixos valores que dessas deturpações cognitivas germinaram, estão diretamente ligados com nossos problemas cotidianos. Porém, nossa incrível mídia municiada por nossos espetaculares "intelectuais" insistem e são bem pagos para, em vez de clarear as idéias, nos ludibriarem. Mais porque?

Você que, como eu achava que o comunismo havia ficado refém do capitalismo lá nos confins da Russia; que acha o presidente norte-americano Barack Obama um democrata; que acha Lula e Dilma estandartes do progressismo responsável e José Dirceu e Genoíno ladrões; que não sabe como toneladas de drogas são comercializadas tão facilmente no Brasil [e no mundo]; que acha que as raízes dos problemas nacionais são as "desigualdades", as "injustiças", a "corrupção"; que acha normal um país não contribuir em nada para a cultura da humanidade; que não sabia dos planos públicos da ONU para implantação de um governo Global...

Eu, da altura de minha ignorância, achava que tudo isso era conversa de maluco "conspirador". O livro organizado por Felipe Moura Brasil demonstra que eles, os donos do sistema, querem que você pense assim, de maneira difusa. Diante de tantos fatos apresentados na velocidade impressionante da internet, fica difícil parar para juntar os fatos do dia-a-dia, ter tempo e disposição para achar as bases e confirmar aquilo que o autor nos joga na cara com uma franqueza dura: nós não sabemos de nada do que se passa no mundo. E quem é pago para nos dizer a verdade dos fatos [jornalistas e intelectuais] se prendem a fatos-recortes da realidade, omitindo o todo [as vezes por pura ignorância, as vezes deliberadamente], conseguindo assim que as sombras cubram o mínimo de luz que ele mesmo guiou à superfície da razão.

Bestificado fiquei com os preciosos dados expostos em cada página de O Mínimo... Essas informações sólidas e embasadas histórica e filosoficamente, demonstram que nós, as pessoas um pouco mais críticas da sociedade, não temos a mínima ideia do que é real, do que realmente influencia nossas vidas. E não adianta procurar no google sobre os temas citados no primeiro parágrafo do texto e abordados de maneira reveladora no livro. O que você lerá no livro de Carvalho são opiniões iluminadas, muito bem embasadas em anos de erudição de claustro sobre as forças que gerem cada um de nós na mecânica da vida moderna, descobrindo logo nas primeiras páginas o motivo de o mundo, em especial o Brasil, andar tão estúpido. Como o próprio título sugere, Olavo escreve para quem é humilde e reconhece suas limitações do entender do mundo. Se você acha que já sabe o bastante para viver plenamente através da bagagem cultural aprendida nas universidade nacionais e na mídia lato senso, sinto dizer, mas és um idiota, assim como este que vos fala, necessitando aprender o mínimo sobre moral, ética e justiça à luz das verdadeiras autoridades intelectuais da humanidade: Platão, Aristóteles, São Tomas, Eric Voegelin, Goethe, von Mises...

Esse livro deveria ser de leitura obrigatória em todas as escolas do Brasil. Olavo de Carvalho mora atualmente nos EUA, depois de escrever em jornais de grande circulação no país e de ser demitido de todos, pois como é possível ver em seus escritos, ele busca não apenas parecer honesto, mas ser honesto mesmo que todos os desonestos digam que você não é. Para Olavo, a justiça não é algo simbólico. E esta só é possível de ser alcançada, com o auxílio indispensável da Verdade.

Walter A.
wjr_stoner@hotmail.com / facebook.com/Walter_blogTM


0 Deixe seu comentário: