Blogroll

30 de jun de 2010

O silêncio da miséria, onde vagam os vassalos do feudalismo nordestino.

Você já viajou pelo interior de Alagoas? Há alguns meses eu fui de carro até uma cidade a apenas uma hora e meia de Maceió. Parecia um deserto vermelho de barro, pontilhado de miseráveis vilarejos de uma só rua.

O motorista dizia: "isso aqui é tudo de Renan, isso aqui de Lira, isso aqui de fulano, sicrano". Eu olhava e só via vazios com algumas almas penadas nas estradas. "E isso aqui é do MST."

Andamos meia hora sem ver casas, nem plantações, além de algumas usinas desativadas. Era o silêncio da miséria, a paz do nada, onde vagam os vassalos do feudalismo nordestino. Aqueles municípios paralíticos já são catástrofes secas, só que silenciosas, paradas no tempo.

De repente, esta tragédia fixa, quase invisível, se transformou em uma tragédia bruta e retumbante. Ai, o verdadeiro Brasil apareceu diante de nós: abandonado, sem verbas, só usadas por interesses políticos do governo.

Só nos restou a solidariedade, mas como sentir a dor de um pobre homem catando comida na lama para dar ao filho chorando no colo? Dizendo o que? “Aí que horror?”

A solidariedade tinha de vir antes para proteger aqueles brasileiros raquíticos, famintos, analfabetos, que só são procurados pelos donos do nordeste para votos ou para serem “laranjas” em roubalheiras das oligarquias.

Arnaldo Jabor
Fonte: G1 - Coluna Arnaldo Jabor

Bookmark and Share

26 de jun de 2010

Aos poucos voltaremos com atualizações

Grande parte dos brasileiros já devem ter conhecimento que os estados de Alagoas e Pernambuco foram afetados por enchentes em dezenas cidades na última sexta-feira, dia 18 de junho. O Tempo Moderno é realizado por um grupo de colaboradores que estão situados principalmente em União dos Palmares, um dos municípios alagoanos mais atingidos pela trágica elevação do nosso Rio Mundaú.

Sendo assim, a cidade encontra-se com dificuldades nos serviços públicos básicos como o abastecimento de energia elétrica, água potável e telefonia. A conexão com a rede mundial de computadores também está comprometida. Mas tudo, aos poucos, está voltando ao normal.

Então, atualizaremos o Tempo Moderno com nossas impressões dos últimos acontecimentos, novas dicas de música, filme e literatura assim que possível.

Agradecemos os comentários, a participação dos leitores e pedimos compreensão.

Bookmark and Share

22 de jun de 2010

SOS Alagoas e Pernambuco

Desde a sexta-feira, dia 18 de junho, dezenas de cidades dos estados de Alagoas e Pernambuco, no nordeste brasileiro, sofrem por causa das enchentes em seus principais rios provocadas pelas chuvas fortes, além da liberação das águas de açudes e barragens da região.

Em Alagoas, segundo a Defesa Civil, as seguintes cidades foram afetadas pelo transbordamento de seus rios: Quebrangulo, Santana do Mundaú, Joaquim Gomes, São José da Laje, União dos Palmares, Jundiá, Jacuípe, Branquinha, São Luiz do Quitunde, Matriz do Camaragibe, Paulo Jacinto, Murici, Rio Largo, Viçosa, Atalaia, Cajueiro, Capela, Maragogi, Marechal Deodoro, Satuba, Maceió, e Colônia Leopoldina.

Já em Pernambuco, ao todo, 49 cidades foram atingidas pelas chuvas, 13 municípios decretaram estado de emergência e destes, nove tiveram homologadas pelo Estado a situação de calamidade pública. Há cerca de 15 mil pessoas desabrigadas e um número parecido de desalojados.

União dos Palmares é uma das cidades que mais está sofrendo. O Rio Mundaú cresceu mais de 5 metros e adentrou nos limites da cidade levando consigo ruas inteiras. A situação de calamidade pública segue em outros municípios alagoanos, como Santana do Mundaú, Branquinha, Murici, São José da Laje, Joaquim Gomes, Quebrangulo, Paulo Jacinto, Rio Largo, Viçosa, Atalaia, Cajueiro, Capela, Jacuípe e Satuba. No estado são mais de 177.200 pessoas afetadas. Desaparecidos : 607 pessoas; desabrigados: 26.141 pessoas; Óbitos: 29 (até a presente data).

Causa da destruição? Relatos de pessoas afetadas e de testemunhas da fúria das águas apontam que o nível dos rios subiu repentinamente, não dando tempo para uma reação pronta das famílias visando salvar seus pertences e proteger suas vidas. "Foi coisa de 15 minutos", muitos afirmam. A causa de tamanho volume d´agua tem explicação no rompimento de um açude (barragem) na cidade de Bom Conselho, Pernambuco, segundo notícias. Muitas pessoas também acusam a liberação das águas do "Açude Maria Maior", que fica localizado perto da cidade de São José da Laje, Alagoas.

SOS Alagoas e Pernambuco - Saiba como ajudar as vítimas em Alagoas e Pernambuco
Diante da situação na qual se encontra todas as cidades atingidas, toda ajuda é importante e necessária. Diversos órgãos estão trabalhando para amenizar um pouco as perdas. Clique aqui e saiba como fazer sua doação direcionada para as cidades atingidas. Itens Importantes para doação: Água potável, Alimentos prontos, Colchonetes e Cobertores, Fraldas, Material de higiene pessoal, Produtos de limpeza, Roupas e Sapatos.

Qualquer foto ou vídeo não demonstrará o que aconteceu nas cidades atingidas pelas águas. Cada pessoa que mantenha um movimento visando auxiliar as vítimas estará contribuindo. Todo esforço é válido. Os integrantes do Tempo Moderno encontram-se bem, mas diversos amigos, conhecidos, familiares e conterrâneos precisam de toda ajuda possível. E repetimos, este blogue solidariza-se com cada alagoano e pernambucano vítima das enchentes de junho de 2010. Que cada um faça sua parte e ajude o povo desta região já tão marcada e carente.

21 de jun de 2010

A Nossa Terra da Liberdade

Quando bebês e aprendemos a andar uma das primeiras lições que escutamos dos nossos pais é sobre cair e levantar. Os passos de aprendizado são acompanhados do cuidado daqueles que nos olham, nos protegem... As vezes a queda é dura, mas torna-se pequena perto da nossa vontade de levantar e seguir em frente.

No século XVII existiu um lugar na Colônia Portuguesa onde um povo guerreiro lutava por um ideal de liberdade. Na Serra da Barriga uma República livre, o Quilombo dos Palmares. Após muita luta ele caiu, mas seu ideal permaneceu vivo em cada um que honra ser chamado de palmarino.

Assim como a República Palmarina caiu, hoje União dos Palmares aparentemente também foi ao chão. Mas no olhar de cada Caboclo e de cada Dona Maria encontrei a esperança que o amanhã será diferente e tudo será reerguido.

O lugar onde nascemos define o nosso jeito, o nosso espírito... A nossa luta continua, em busca da tão sonhada liberdade.

O Tempo Moderno solidariza-se com cada alagoano e pernambucano vítima das enchentes de junho de 2010. Faremos nossa parte para ajudarmos quem tanto precisa.

Bookmark and Share

18 de jun de 2010

Morre o Nobel de literatura José Saramago

Foto: AFP

O escritor português José Saramago morreu aos 87 anos em sua casa em Lanzarota, nas Ilhas Canárias, nesta sexta-feira (18). A informação foi passada à agência de notícias EFE pela família do escritor de "Ensaio sobre a cegueira".

O escritor português era um dos maiores nomes da literatura contemporânea e vencedor de um prêmio Nobel de Literatura. O autor era tido como o criador de um dos universos literários mais pessoais e sólidos do século XX e uniu a atividade de escritor com a de homem crítico da sociedade, denunciando injustiças e se pronunciando sobre conflitos políticos de sua época.

Saramago mantinha o um blog chamado Outros Cardernos de Saramago, o qual desde fevereiro deste ano vinha sendo atualizado com textos publicados pelo escritor em diversos jornais e revistas. Seu último post foi no dia 13 de fevereiro de 2010, entitulado "Nem leis, nem justiça". Porém, o último posto de seu blog, atualizado por membros de sua Fundação, tem o título de "Pensar, pensar", e Saramago expressou sabiamente que "Falta-nos reflexão, pensar, precisamos do trabalho de pensar, e parece-me que, sem ideias, nao vamos a parte nenhuma."

Foi embora o homem, ficaram suas palavras e ideais, e ainda mais que isso, seu exemplo. Palavras podem ser seguidas, só o exemplo arrasta como uma correnteza.

Fonte: G1.com.br, com complemento nosso.

Bookmark and Share

17 de jun de 2010

Projeto de lei que cria cargo de secretário adjunto é devolvido para o poder executivo...

Projeto de lei que cria cargo de secretário adjunto é devolvido para o poder executivo e é motivo de piada nas escolas, nas comunidades e no mundo virtual

O projeto de lei do governo municipal visava contratar secretários adjuntos, uma espécie de vice-secretário, com salários de 2800,00 ainda com retroativo de 33.600,00 causando um rombo de mais de 600 mil reais aos cofres da prefeitura. Esse projeto foi enviado à câmara de vereadores por engano informou o prefeito de União, Areski Damara de Omena Freitas Junior.

O fato ocorrido tem sido motivo de piadas nas escolas, nas rodas de amigos e onde quer que chegue a notícia através do boca a boca ou pelos microfones da rádio zumbi FM que transmite na íntegra tudo o que acontece nas seções da câmara de vereadores de União dos Palmares. O que antes era aprovado entre quatro paredes para meia dúzia de pessoas, agora ganhou o mundo virtual aumentando assim, a responsabilidade dos nobres vereadores. Resta agora opinar a favor do povo ou ser omisso em nome de uma bancada ou do medo de perder os favores particulares obtido na gestão pública.

O poder legislativo pode e deve se preocupar e não se chatear com a opinião pública, pois foram eleitos para representar seu povo dignamente. Mas, antes chateados do que envergonhados com sua própria covardia, omissão e fraqueza caso tivessem aprovados aquele projeto ante lei e imoral que afrontava a lei de responsabilidade fiscal e a ética do poder público. Ainda bem que os senhores nos deram um motivo para tirarmos o chapéu e parabenizar suas ações. Imagine os senhores, termos que assistir tamanha heresia enquanto crianças estão nas escolas com fome por falta de merenda e sem estrutura digna para a aprendizagem. Façam seus papeis de vereador para que sejam dignos de elogios e aplausos. Estamos de olho!

Prof. Nivaldo Marinho.
Integrante do Programa Mesa Z.

Bookmark and Share

15 de jun de 2010

Legalizando o desmatamento‏

Caros amigos, um grupo de deputados estão tentando enfraquecer as proteções ambientais no Brasil, matando nosso Código Florestal. Vamos deixar claro que os brasileiros não permitirão um retrocesso na proteção das nossas florestas.

É chocante, mas o congresso brasileiro poderá abrir oficialmente uma "temporada de desmatamento", nas 5 regiões do Brasil, significando um retrocesso de décadas em proteção ambiental!

Mais de 70 deputados da bancada ruralista, representando os intersses do agronegócio, estão tentando enfraquecer o Código Florestal brasileiro. Se eles conseguirem, milhões de hectares deixarão de ser protegidos por lei!

O Congresso está dividido - há uma forte oposição dos parlamentares ambientalistas mas os dois maiores partidos, o PT e o PMDB, ainda não assumiram uma posição. Porém, a não ser que haja uma grande pressão popular, é provável que eles se alinhem com os ruralistas para ganhar apoio político nas eleições de outubro. Chegou a hora de mostrar o que o Brasil quer! Vamos enviar milhares de mensagens direto para os emails dos líderes partidários, eles estão negociando o posicionamento dos seus pertidos agora mesmo! Clique abaixo e envie a sua:
http://www.avaaz.org/po/mensagem_codigo_florestal/?vl

As propostas mais perigosas são: a anistia irrestrita ao desmatamento ilegal ocorrido até 2008, a eleminação da Reserva Legal para propriedades de até 4 módulos rurais inclusive na Amazônia e a transferência da regulamentaçõa para o nível estatal, flexibilizando a lei. As propostas são uma grave ameaça à preservação ambiental, reduzindo dramaticamente as áreas atualmente protegidas.

Grupos ambientais estão fazendo tudo o que podem para impedirem os ruralista, mas eles precisam de nossa ajuda. Mais de 90.000 brasileiros assinaram a petição para salvar o Código Florestal em menos de duas semanas. Mas agora nós precisamos aumentar a pressão e enviar milhares de mensagens ao líderes partidários. Os líderes estão negociando o posicionamento dos partidos agora mesmo - envie uma mensagem para eles, deixando claro que não queremos alterações no Código Florestal!

Nós precisamos acabar com o mito de que a preservação ambiental é uma ameaça ao desenvolvimento. Um estudo recente mostra que o Brasil possui mais de 100 milhões de hectares disponíveis para agricultura, ou seja, há terra suficiente para produzir. O Brasil tem o privilégio de ser um país rico em recursos naturais e temos a rara oportunidade de crescer de forma sustentável. É nossa responsabilidade desenvolver e preservar ao mesmo tempo. Envie uma mensagem agora, não deixe que eles acabem com o Código Florestal!

Com esperança, Graziela, Alice, Ricken, Ben, Iain, Milena, Mia e toda a equipe Avaaz.

Leia mais sobre o assunto clicando nos temas abaixo:

País tem 100 milhões de hectares sem proteção - Estadão.

Apagão Ambiental: seria cômico, não fosse trágico - IPAM.

Marina: mudança no Código Florestal é retrocesso.

Ambientalistas criticam o texto apresentado pelo relator sobre o novo Código Florestal Brasileiro.

A Avaaz é uma rede de campanhas globais de 4,9 milhões de pessoas que se mobiliza para garantir que os valores e visões da sociedade civil global influenciem questões políticas internacionais. ("Avaaz" significa "voz" e "canção" em várias línguas).

Bookmark and Share

Eleições Uneal: Jairo Campos e Clébio Correia são eleitos reitor e vice- reitor

Foto: Leandro Souto.
Na foto os eleitos, Clébio o vice-reitor e Jairo o Reitor.

A comunidade acadêmica da Universidade Estadual de Alagoas (Uneal) já conhece seus novos reitor e vice-reitor. Com 57,93% dos votos, os professores Jairo Campos e Clébio Correia celebram o a vitória nas urnas. As candidatas Laudirege Fernandes e Rosângela Nunes ficaram com 42,03%. Mais de dois mil estudantes, professores e técnicos-administrativos compareceram ao pleito do segundo turno.

A homologação do resultado final ocorre dia 17 de junho, em sessão extraordinária do CONSU. A apuração das urnas será enviada ao Diário Oficial do Estado no dia 18.

Fonte: Site da UNEAL.

Bookmark and Share

9 de jun de 2010

Filme: As Invasões Bárbaras

As Invasões Bárbaras (Les Invasions Barbares)
Canadá, 2003, Drama.

As Invasões Bárbaras é o segundo filme da trilogia (ou quase isso) iniciada com Le déclin de l'empire américain (O Declínio do Império Americano, 1986) e finalizada com L'âge des ténèbres (A Era da Inocência, 2007) do talvez pouco conhecido diretor canadense Denys Arcand.

Começo logo a bradar que, para quem não conhece o trabalho desse diretor, é uma ótima surpresa iniciar por As Invasões Bárbaras, mesmo que depois você possa vir a não gostar dos outros trabalhos dele.

O título do filme sugere algo que, num primeiro momento, não seria o que realmente é, ou pelo menos para mim foi assim. Claro, com um pouco mais de observação e entendimento pode-se dizer que tem muito ou total envolvimento com o desenvolvimento do filme, claro.

O longa narra a história de Rémy (que já é um personagem do diretor, do filme O Declínio...) que está à beira da morte e com dificuldades de aceitar seu presente perante todo o passado que teve, buscando encontrar uma paz interior, por assim dizer, e sem querer ele recebe a ajuda de seu filho ausente Sébastien, de sua ex-mulher e velhos e novos amigos.

O filme tem muito de ideológico. Como pode encotrar nos extras do Dvd, o diretor colocou muito de si nos personagens e em algumas cenas. Inclusive, há uma cena que narra exatamente um fato real que aconteceu com o próprio Arcand. O personagem principal, o mal-humorado e forte ideólogo professor Rémy, se mostra relutante com seu passado e com o que queria, com o que fez e não fez, com o que sabe e com o que importa. Há questionamentos, conflitos. Posso até adiantar: Seria Rémy a figura de uma coisa arcaica, ultrapassada e mal entendida: o comunismo/socialismo; e seu filho a figura do novo, do bem sucedido e “democrático”: o capitalismo/neoliberalismo? Há essa intervenção sociológica/humana/política que achei maravilhosa e muitíssimo interessante.

Sobre o título novamente, Invasões Bárbaras foi o nome dado aos movimentos de invasões dos povos germânicos às terras sob posse dos romanos em meados do século IV. Naquele período, os romanos tinham o costume de chamar esses invasores de “bárbaros”. Eles achavam que os invasores não tinham capacidade de assimilar a língua e os costumes romanos. Apesar dessa distinção, as invasões bárbaras foram responsáveis diretas por um intenso intercâmbio cultural que modificou profundamente a formação étnica, política, econômica, linguística e religiosa do mundo ocidental. E assim, influenciou toda concepção histórica a partir de então.

Entre vários prêmios, o longa ganhou os prêmios de melhor atriz (Marie-Josée Croze) e melhor argumento no Festival de Cannes; o Oscar de melhor filme estrangeiro e tem atuações belíssimas. O próprio diretor deixou claro que ele é, também, uma visão de como morrer feliz, se entendi direito.

Bookmark and Share

Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

A Academia de Cinema Brasileiro anunciou seus vencedores numa cerimônia no Teatro João Caetano - Rio de Janeiro. Independente dos vencedores, é com alegria que vejo o nosso cinema com tantas boas opções a serem premiadas. Sinal de que estamos no caminho certo. O grande vencedor da noite foi É proibido fumar, com cinco prêmios entre eles melhor longa e diretor. Mas temos outros destaques como o roteiro muito bem construído de Bosco Brasil para Tempos de Paz ou a fotografia impecável de Ricardo Della Rosa para À Deriva. Tem ainda o forte documentário "Simonal - ninguém sabe o duro que dei", de Calvito Leal, Claudio Manoel e Micael Langer e a animação "O grilo feliz e os insetos gigantes", de Walbercy Ribas e Rafael Ribas. Viva a diversidade.

Confiram a lista completa:

Curta-metragem de animação: "O menino que plantava invernos", Victor Hugo Borges
Curta-metragem de ficção: "Superbarroco", Renata Pinheiro
Curta-metragem de documentário: "De volta ao quarto 666", Gustavo Spolidoro
Figurino: Marília Carneiro, por "Tempos de paz"
Maquiagem: Martín Macias Trujillo
Direção de arte: Claudio Amaral Peixoto, por "Besouro"
Direção de Fotografia: Ricardo Della Rosa, por "À deriva"
Montagem de ficção: Paulo Sacramento, por "É proibido fumar"
Montagem de documentário: Karen Akerman, por "Simonal - ninguém sabe o duro que dei"
Efeitos visuais: Marcelo Siqueira, por "Besouro"
Som: Denilson Campos e Paulo Ricardo Nunes, por "Simonal - ninguém sabe o duro que dei"
Trilha sonora: Márcio Nigro, por "É proibido fumar"
Trilha sonora original: Berna Ceppas, por "Simonal - ninguém sabe o duro que dei"
Atriz coadjuvante: Denise Weinberg, por "Salve geral"
Ator coadjuvante: Chico Diaz, por "O contador de histórias"
Prêmio especial de preservação: Alice Gonzaga (escritora, pesquisadora, produtora, diretora e empresária do ramo cinematográfico)
Longa-metragem nacional de animação: "O grilo feliz e os insetos gigantes", de Walbercy Ribas e Rafael Ribas
Longa-metragem infantil: "O grilo feliz e os insetos gigantes", de Walbercy Ribas e Rafael Ribas
Longa-metragem estrangeiro: "Bastardos inglórios", de Quentin Tarantino
Roteiro adaptado: Bosco Brasil, por "Tempos de paz"
Roteiro original: Anna Muylaert, por "É proibido fumar"
Prêmio especial: Anselmo Duarte (1920-2009)
Longa-metragem de documentário: "Simonal - ninguém sabe o duro que dei", de Calvito Leal, Claudio Manoel e Micael Langer
Longa-metragem de ficção nacional (voto popular): "Se eu fosse você 2", de Daniel Filho
Longa-metragem de ficção estrangeiro (voto popular): "Avatar", de James Cameron
Melhor atriz: Lília Cabral, por "Divã"
Melhor ator: Tony Ramos, por "Se eu fosse você 2"
Melhor diretor: Anna Muylaert, por "É proibido fumar"
Melhor longa-metragem de ficção: "É proibido fumar", de Anna Muylaert

Por cinepipocacult.com.br

Bookmark and Share

6 de jun de 2010

Estudantes de Agronomia e Zootecnia fazem manifestação na Reitoria da UFAL

No último dia 2, um grupo de estudantes dos cursos de Agronomia e Zootecnia da Universidade Federal de Alagoas, ralizaram uma manifetsção pacífica na Reitoria da instituição afim de exigir melhorias no Centro de Ciências Agrárias, local onde os dois cursos funcionam.

Reativar o restaurante é uma das reivindicações dos acadêmicos dos cursos de Agronomia e Zootecnia do Campus Maceió, que atualmente recebem alimentação de fornecedores. A pauta de reivindicações mobilizou um grupo de estudantes, que foi recebido pelo reitor em exercício Eurico Lôbo, na terça-feira, 1 de junho. De posse de um relatório enviado pelo Ministério da Educação (MEC), o reitor tranqüilizou os estudantes negando a possibilidade de descrendeciamento de cursos.


Na pauta de reivindicações constam também: a construção de rampas de acessibilidade no prédio do Ceca, aquisição de títulos para a Biblioteca Setorial e transporte de ida e volta do Campus A. C. Simões/Ceca. Dentro da demanda existente, o reitor Eurico Lôbo logo autorizou a entrada de mais um ônibus para esse trajeto.

O engenheiro Amauri Teixeira informou, na reunião, que a construção de rampas de acessibilidade no Centro de Ciências Agrárias já está programada pela Sinfra, dentro do calendário dessas obras em todos os campi. “Estamos encaminhando essas medidas porque sabemos que é uma necessidade emergencial. Todo investimento que a Gestão Ufal mais Viva vem fazendo contempla o Ceca, assim como todas as outras unidades acadêmicas”, ressaltou Eurico Lôbo.

Recentemente, o Ceca recebeu dois novos veículos para atender a demanda de estudos e pesquisas da comunidade acadêmica. Para analisar a situação de transporte na unidade está marcada uma reunião para a sexta-feira, 11 de junho, às 10 horas, reunindo estudantes e o diretor Paulo Vanderlei.

Sobre a compra de novos títulos para a Biblioteca Setorial, foi informado aos estudantes que a Universidade investe anualmente cerca de R$ 800 mil para a aquisição de livros em todas as áreas. “Não há nenhuma restrição para essa compra, mas é preciso que docentes e coordenadores façam a solicitação para atender a demanda básica dos cursos”, informou o reitor em exercício.

Participaram da reunião, os pró-reitores Pedro Nelson Ribeiro, Estudantil, Eduardo Lira, de Extensão, e o professor Alexandre Lima, coordenador de Desenvolvimento Pedagógico da Pró-reitoria de Graduação, além de Elias Barbosa e Amauri Teixeira, gerentes da Superintendência de Infraestrutura.

.....

Sou graduando em Agronomia e sei bem os problemas que o CECA enfrenta. Ônibus lotado, comida de má qualidade, onde várias pessoas - inclusive Eu - contraíram infecção alimentar. Espero que até colar grau essa situação esteja resolvida. É vergonhoso, uma instituição desse porte tratar seus alunos dessa maneira.

Dallas Diego


Bookmark and Share

3 de jun de 2010

Livros/HQs: Gaiman, obra-prima Asterios Polyp e J. Austen para jocosos

SANDMAN, DE NAIL GAIMAN, VOLTA ÀS BANCAS E LIVRARIAS EM EDIÇÃO CAPRICHADA

Uma das séries mais importantes da história ganha tratamento de primeira em seu retorno a bancas e livrarias. Sandman Edição Definitiva Vol. 1 traz a obra máxima de Neil Gaiman (Colarine) encardenada - serão quatro volumes -, recolorida e recheada de extras que esmiuçam como Gaiman mergulhou em uma parte obscura da história da DC Comics e de lá emergiu com uma mistura de aventura e mitologia, fábulas e genialidade.

Esta primeira parte, uma versão daptada para a realidade brasileira dos tomos Asolute americano, traz todos os elementos que fizeram do Sandman um dos personagens-símbolo do selo Vertigo, que abriga os títulso para leitores maduros da editora.



OBRA-PRIMA: ARTISTA DE BATMAN: ANO UM EXPLORA FILOSOFIA E RENASCIMENTO EM ASTERIOS POLYP


David Mazzucchelli ganhou notoriedade ao contar a origem definitiva do Homem-Morcego em Batman: Ano Um, escrita por Frank Miller. Ano passado, Mazzucchelli emergiu com Asterios Polyp, primeira obra em quadrinhos do novo século que pode ser chamada de obra-prima sem hesitação. Polyp é um professor de arquitetura premiado por seus designs, mas que nuca construiu um prédio na vida. Após ter seu apartamento destruído, retira-se para uma cidadezinha onde reinventa sua vida do zero. A exploração de sua nova existência esbarra em conceitos estéticos e indagações filosóficas, que Mazzuchelli coloca no papel de maneira complexa e visualmente acachapante.

ORGULHO E PRECONCEITO E ZUMBIS

Mash-ups são misturas de duas músicas, quado DJs criam algo único. O livro de Seth Grahame-Smith é assim: ele se apropriou de Orgulho e Preconceito, de Jane Austen, e, sem mutilar (muito) o texto original soma a ele mortos-vivos sedentos de sangue. A idéia bizarra, funciona bem e dé deliciosamente divertida. Entre chás da tarde e lições de kung fu para sobreviver à horda de zumbis, o romance virou moda e já deu cria: Razão e Sensibilidade e Monstros Marinhos. Este último está para ser lançado aqui no Brasil, e Orgulho... em breve deve parar nos cinemas.







Fonte: Revista SET; Edição Maio/2010.

Bookmark and Share

Prêmio Luís de Camões 2010

O poeta e dramaturgo Ferreira Gullar é o ganhador da edição de 2010 do Prêmio Luís de Camões, o mais importante prêmio literário da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).

A escolha foi anunciada pela ministra da Cultura de Portugal, Gabriela Canavilhas, e pela Comissão Julgadora do Prêmio, em cerimônia realizada no Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa (Portugal). O valor do Prêmio é de € 100 mil, quantia dividida entre os Governos do Brasil e de Portugal.

Aos 79 anos, o brasileiro Ferreira Gullar é o 22º escritor a ganhar o Prêmio. Pelo segundo ano consecutivo, a poesia foi destacada pelo júri; no ano passado, o poeta cabo-verdiano Armènio Vieira foi o nome agraciado com o Camões, sendo o primeiro escritor de seu país a receber a honraria.

Poeta, crítico, dramaturgo - Prestes a completar 80 anos, Ferreira Gullar é um dos autores mais importantes da poesia brasileira. Nasceu José Ribamar Ferreira, no dia 10 de setembro de 1930, em São Luís, no Maranhão. Entre ensaios, crônicas, poesias e obras para o teatro alguns são destaques em seu trabalho: A luta corporal (1954); Dentro da noite veloz (1975); Poema sujo (1975); Na vertigem do dia (1980); Barulhos (1987); Muitas vozes (1999). O poeta também foi o vencedor, em 2007, do Prêmio Jabuti. É também ganhador, pelo conjunto de sua obra, do Prêmio Machado de Assis, a maior honraria da Academia Brasileira de Letras.

Lista de ganhadores do Prêmio Camões: 1989 - Miguel Torga, Portugal; 1990 - João Cabral de Melo Neto, Brasil; 1991 - José Craveirinha, Moçambique; 1992 - Vergílio Ferreira, Portugal; 1993 - Rachel de Queiroz, Brasil; 1994 - Jorge Amado, Brasil; 1995 - José Saramago, Portugal; 1996 - Eduardo Lourenço, Portugal; 1997 - “Pepetela” - Artur Carlos Maurício Pestana dos Santos, Angola; 1998 - Antonio Candido, Brasil; 1999 - Sophia de Mello Breyner, Portugal; 2000 - Autran Dourado, Brasil; 2001 - Eugénio de Andrade, Portugal; 2002 - Maria Velho da Costa, Portugal; 2003 - Rubem Fonseca, Brasil; 2004 - Agustina Bessa-Luís, Portugal; 2005 - Lygia Fagundes Telles, Brasil; 2006 - José Luandino Vieira, Portugal/Angola (o autor recusou o prêmio); 2007 - Antonio Lobo Antunes, Portugal; 2008 - João Ubaldo Ribeiro, Brasil; 2009 - Arménio Vieira, Cabo Verde; 2010 - Ferreira Gullar, Brasil

Fonte: Ministério da Cultura.

Bookmark and Share