Blogroll

31 de jul de 2009

Transporte Estudantil

Wenndell Amaral
Aviso, importante:

Aconteceu uma reunião hoje pela manhã nas dependências do centro administrativo de União dos Palmares, momento em que foi repassado aos presentes as informações da atual situação do transporte estudantil. O prefeito de União, Areski de Freitas, se fez presente e prestou esclarecimento sobre a contribuição da administração pública.

Ficou decidido que seria necessário adiantar o horário da outra reunião que antes estava prevista para às 19 horas, também no centro administrativo. Agora, essa próxima reunião será às 15 horas. A mudança de horário se deu por diversos motivos. Uma chamada foi gravada no estúdio da rádio AG FM com a convocação dos estudantes. Também será utilizado um carro de som que irá percorrer as principais ruas da cidade com a convocação, de modo que o maior número de estudantes tomem ciência da mudança de horário e compareçam.

Na reunião das 15 horas serão repassadas as informações obtidas durante essa semana que terminou e decisões importantíssimas serão tomadas a partir dessas informações. Lá, será confeccionada uma ata deliberativa e todos os presentes deverão assina-la, caso contrário, os que não assinarem não poderão utilizar o transporte estudantil com o preço e as condições que foram conseguidas pela comissão de estudantes responsável. Dessa forma, é imprescindível o comparecimento e a participação.

30 de jul de 2009

Wado - Atlântico Negro

Wenndell Amaral

O cantor e compositor Wado, apesar de não ser natural de Alagoas, está elevando o nome do estado em se tratando de música. Atlântico Negro é o nome do 5º Cd de Wado, veio depois do ótimo Terceiro Mundo Festivo, de 2008, trabalho que figurou e figura até hoje em dezenas de listas de melhores álbuns, inclusive de gente com "gabarito" musical atestado. Wado não deixou a peteca cair, e com Atlântico Negro a qualidade continua a mesma, uma bela surpresa para quem tinha grandes expectativas.

O nome do Cd é uma menção ao conceito sociológico de Paul Gilroy: Black Atlantic. Diz respeito às estruturas transnacionais que deram origem a um sistema de comunicações globais marcado por trocas culturais, num complexo entrelaçamento, deixando de lado a procura da "raiz original". O conceito do sociólogo foi transferido ao trabalho de Wado através de ritmos e assuntos referentes à música criada no trânsito entre África e América, o afoxé, o funk, samba e o reggeaton.

Depois de um primeiro show de lançamento realizado em praça pública na cidade de Arapiraca, Wado lançará seu 5º Cd nesse dia 01 de agosto em Maceió, no Armazém Usina, em Jaraguá, com a participação da banda Gato Zarolho e DJ Coelho. Atlântico Negro contou em sua gravação com a participação de Curumim, de São Paulo, Rômulo Froes, o grupo Chama Luz, a violoncelista Miran Abs e o guitarrista e compositor da banda Mopho, João Paulo. Este último estará no show de lançamento em Maceió. O preço da entrada é de R$ 15 e dá direito ao Cd.

Os próximos shows de Wado serão em Viçosa, no dia 08 e Maragogi, no dia 29. Entre essas apresentações em Alagoas, Wado se apresenta em Triunfo, em Pernambuco, no dia 04 e São Paulo, no dia 07.

Sítio oficial do CD Atlântico Negro: http://www2.uol.com.br/wado
No sítio você pode fazer o download gratuito do Cd inteiro, e o arquivo vem com a capa e contra capa.

28 de jul de 2009

Ativistas e procuradores temem que nova lei agrave conflitos na Amazônia

A nova lei criada a partir da Medida Provisória 458 pode agravar os conflitos no campo ao invés de resolvê-los, de acordo com declarações de autoridades e ativistas envolvidos com o tema à BBC Brasil. O frade dominicano francês Henri de Roziers, coordenador da Comissão Pastoral da Terra em Xinguara (sudeste do Pará), diz que tem certeza de que isso vai acontecer. "Essa lei é um processo de regularização de grilagem", diz o religioso, que há 30 anos trabalha com questões fundiárias no Brasil, 15 deles no sudeste do Pará. "Só vai fragilizar ainda mais os pequenos agricultores da região." "Um estudo feito nos cartórios pelo Ministério Público já mostrou que, se somarmos todas as terras registradas no papel, o total é superior a duas vezes o tamanho do Estado. É claro que há muita fraude e muito conflito."

O superintendente nacional de regularização fundiária na Amazônia Legal do Instituto Nacional de Colonização e Refoma Agrária (Incra), José Raimundo Sepeda, afirma, no entanto, que as autoridades vão estar atentas para coibir qualquer tentativa de pressão sobre pequenos agricultores que possa levar a mais conflitos. "Se houver qualquer denúncia de irregularidade, nós vamos lá para fazer vistoria e garantir que a lei seja cumprida", diz Sepeda.

Longe do Estado

O procurador da República em Belém, Ubiratan Cazetta, diz que muitas comunidades isoladas na Amazônia não têm qualquer acesso às autoridades ou mesmo conhecimento de como fazer valer seus direitos. "As comunidades tradicionais, aquelas pessoas com menos acesso ao Estado, são mais facilmente enganáveis", afirma Cazetta. "Elas vão ser expulsas por alguém com mais capacidade financeira ou bélica, e o Estado não vai ficar nem sabendo."

"Nós não estamos falando de gente perto dos grandes centros urbanos, mas de gente que vive a 200, 300 quilômetros de pequenos municípios, que nem promotor têm." A nova lei determina que só poderão ser regularizadas terras que tenham sido ocupadas pacificamente e que não tenham nenhuma disputa pendente. Mas especialistas temem que, na prática, seja muito difícil descobrir exatamente onde estão esses problemas.

"Como inicialmente trata-se de um cadastramento apenas declaratório (cada interessado diz ao governo a área que possui), é muito real o risco de que grandes fazendeiros acabem tentando englobar áreas onde há posseiros menores", diz o pesquisador Paulo Barreto, da ONG Imazon. "As disputas tendem a se intensificar."

Novas ocupações

Outro fator que pode complicar a situação é a constância com que continuam acontecendo ocupações no Pará por movimentos de sem-terra, principalmente o MST. Embora estas ocupações não tenham nenhuma relação direta com a MP 458, muitos colonos buscam as autoridades para fazer o cadastro, na esperança de que a papelada valha alguma coisa na hora de lutar pela terra.

"Nossa orientação é para que todos que procuram o Terra Legal (o programa de regularização fundiária do governo) sejam cadastrados pelos nosso agentes", afirma Sepeda. "Depois, cada um dos cadastros vai ser examinado e os que não estiverem em conformidade com a nova lei serão cancelados." Na cidade de Dom Eliseu, onde o Ministério de Desenvolvimento Agrário realizou um mutirão de cadastramento do Terra Legal, diversos militantes de colônias do MST tentaram registrar os lotes que ocuparam.

A MP não contempla a situação deles por dois motivos principais: o primeiro e mais importante é o fato de eles estarem em uma terra da qual alguém já tem um título de posse. E mesmo que não fosse assim, eles estão nos lotes há menos de três anos, enquanto a lei determina que só podem ser regularizadas terras ocupadas até 2004. Ainda assim, diversos conseguiram fazer o cadastro. "Eu fui, levei meus documentos e fiz o papel, mas, depois, vieram me dizer que vai ser cancelado", lamenta a agricultora Cosma Lima Marinho, que ocupou um lote na Colônia Bananal.

Joãozinho Americano

Mas muitos agricultores da mesma colônia que foram ao mutirão não conseguiram nem fazer o cadastro, porque os agentes descobriram que a área em questão está dentro da fazenda do americano John Weaver Davis Junior - conhecido em Dom Eliseu como Joãozinho Americano - que vive na região com a família desde o início dos anos 60. "Eu fui até lá, mas me disseram que nem valia a pena fazer cadastro", disse o agricultor José Ailton de Oliveira Pereira, que planta mandioca e arroz, apenas para subsistência da família, no lote que ocupou. "É duro viver assim, sem saber se a terrinha em que a gente trabalha vai ser nossa mesmo."

"Fazia mais de 20 anos que esta terra estava sem uso", diz o presidente da Associação de Colonos do Bananal, Francenildo de Oliveira Moura. "Ele só veio atrás quando soube que a gente estava aqui." Mas Davis diz que exatamente aquele pedaço de terra tem grande valor para a família, porque é lá que está enterrado o pai dele, morto em um conflito com invasores ainda no início do anos 60. "Nós não usamos de violência porque é contra as leis de Deus, mas quero convencer essas pessoas de que o pecado da invasão é errado e que eles têm que sair das minhas terras."

Madeira e carvão

Durante décadas, a extração de madeira e a produção de carvão sustentaram a família Davis, mas agora grandes parte da área estão desmatadas e esgotadas. É muito difícil, no entanto, saber exatamente que porcentual da floresta desapareceu. Os sem-terra dizem que praticamente tudo foi desmatado, enquanto o fazendeiros diz que ainda mantém 50% de mata nativa na sua área. A área da fazenda também é incerta. Davis admite que a família já chegou a ter 100 mil hectares, mas diz que agora a propriedade não passa dos 10 mil. A reportagem da BBC Brasil procurou as Secretarias de Agricultura e de Meio Ambiente na prefeitura de Dom Eliseu para conferir as informações, mas as autoridades disseram que não ter como confirmar ou desmentir as diferentes versões sobre a propriedade de Davis.

Fonte: BBC Brasil

Clique aqui para ler mais sobre os absurdos que a bandidagem PATROCINADA POR POLÍTICOS DE BRASÍLIA faz com os índios.

EMAIL:

MATANÇA DE GOLFINHOS NA "CIVILIZADA" DINAMARCA

enviado por Tony Rafael




E nós é que somos 3º Mundo...

27 de jul de 2009

EMAIL:

Humilhão de radialista para com comerciante

enviado por Ana Beatriz Silva
Olá,

Hoje no final da tarde radialista que se diz dono da verdade o SR "Antonio Aragão" realizou um ato de verdadeira vergonha aos radiastas desta cidade, ao parar o seu carro no entrada de uma oficina na rua do antigo castelo branco atual Juvenal Mendonça na oficina de Nequinho como é conhecido em toda a cidade. Se diregendo ao comerciante com total falta de respeito e imoralidade. Chamado de filho de uma rapariga,negro sem carater, Negro safado e sempre o ofendedo e o chamado para sair de dentra de seu comércio. O Aragão como muito sabem anda armado onde na hora do fato está com a sua arma entre as pernas dentro de um tele-carro. O radista que se diz o homem de verdade repitia imuneras vezes que o rapaz era uma NEGRO sem moral e sempre usado a cor como algum com o qual deveria ter vergonha. MAIS o comerciante estava trabalhando e assim continuou. Eu como moradora da rua a muito tempo fiquei a observar o que se passava com o comerciante. O motivo de tais agreções foi por causa de um serviço que o comerciante se negou a realiza trabalho, pelo fato de que o Aragão não realiza o pagamento dos serviços prestados e o comerciante trabalha para mantem sua familia com pode faz isso quando o cliente não paga!!!!! Que atuação a do nosso radiasta ao provacar uma cena vergonhosa de rascimo na Terra que todos chama terra da liberdade e benço da abolição. Espero de todo coração que a vitima das agreções agar como está em nossa constituição. Pois o RACISMO È UM CRIME ! Como cidadã desta espero que as devidas provindencias sejam tomadas !!!!!!!!!!!!!!!!

PS. É sempre útil lembrar que o direito de resposta é desde sempre garantido ao interessado, assim como se, por escrito for solicitado o email de Ana Beatriz será prontamento atendido para qualquer esclarecimento.

26 de jul de 2009

Lei obriga estabelecimentos a dar destaque à cultura alagoana

Wenndell Amaral

A Câmara de Vereadores de Maceió aprovou a lei que já está em vigor, onde estabelecimentos vão ser obrigados a dar destaque à cultura produzida em Alagoas. A medida é determinada pela Lei 5.805, que foi publicada no Diário Oficial do Município.

A Lei é de autoria do vereador Sílvio Camelo, foi aprovada pela Câmara Municipal e sancionada pelo prefeito Cícero Almeida. O espaço dado à cultura vai ser destinado a livros, quadros, esculturas e obras de arte em geral.

A questão é saber se realmente essa lei vai "pegar". O histórico no Brasil de desrespeito é enorme em relação às leis que são criadas com o intuito de solucionar problemas crônicos que, a priori, não deveriam depender de leis para serem sanados.

De acordo com a lei, "fica destinado para os escritores, escultores, pintores, músicos e artistas plásticos alagoanos ou residentes em Maceió, o espaço de 10% da área total usada para exposição ao público dos produtos negociados pelas empresas que tenham em seu objeto social a comercialização de móveis, revistas, livros, peças de arte, quadros e mídias em CDs e DVDs", diz o artigo primeiro. Em caso de descumprimento poderá ser aplicada ao estabelecimento uma multa pecuniária

O sabido que o povo alagoano não dá o devido valor a sua cultura. A grande maioria dos alagoanos não tem o costume de comprar, de prestigiar o que é feito no estado. Isso tem grande contribuição da pouca educação e da baixa renda da maioria da população no estado.

De qualquer maneira, se houver uma fiscalização com o mínimo de eficiência, todos os estabelecimentos comerciais do estado que se enquadrem nos requisitos da lei terão de vender produtos 100% alagoanos, isso dará a oportunidade do próprio alagoano consumidor "engolir" a sua cultura.


24 de jul de 2009

Festival de Cinema de Gramado

Wenndell Amaral
Gramado seleciona Marcos Jorge, Solanas e premiados em Berlim. A organização do 37º Festival de Cinema de Gramado divulgou a seleção oficial de longas e curtas do festival sulista, que acontece entre 09 a 15 de agosto.

Entre os destaques está Corpos Celestes, o novo longa do paranaense Marcos Jorge (diretor de Estômago) ao lado de Fernando Severo (montador de Mystérios). Outro destaque é Em Teu Nome, de Paulo Nascimento (premiado em Gramado com Valsa Para Bruno Stein).

Na mostra composta pelos longas internacionais, os filmes têm maior peso, seja na assinatura da direção ou na premiação em festivais. Na primeira situação está Fernando Solanas (Memória de um Saqueio), que vai competir em gramado com La Proxima Estación. Na segunda situação estão dois premiados no Festival de Berlim em fevereiro: Gigante, de Adrián Biniez, e A Teta Assustada, de Claudia Llosa.

Continue lendo.

23 de jul de 2009

EMAIL:

Dançarino de boate gay...

enviado por Rivaldo Melo

A professora pergunta na sala de aula:
- Pedrinho qual a profissão de seu pai?
- Pedreiro, professora.
- E a do seu pai, Marianinha?
- Engenheiro.
- E o seu, Aninha?
- Ele é vendedor.
-E o seu pai, Joãozinho, o que faz?
-Ele.... Ele é dançarino numa boate gay!
- Como assim? (pergunta a professora, surpresa)
- Fessora, ele dança na boate vestido de mulher, com uma tanguinha minúscula de lantejoulas, os homens passam a mão nele e põem dinheiro no elástico da tanguinha e depois saem para fazer programa com ele.
A professora rapidamente dispensou toda a classe, menos Joãozinho.
Ela caminha até o garoto e novamente pergunta:
- Menino, o seu pai realmente faz isso?
- Não, fessora. Agora que a sala tá vazia, eu posso falar!
Ele é Deputado em Alagoas e da mesa diretora taturana e ainda por cima aliado de uns senadores... Sabe como é né?... Dá uma vergonha falar isso na frente dos outros!!!

Ah como eu queria que essa piada se tornasse realidade... Sonha garoto, sonha...

Walter Jr

22 de jul de 2009

II Festival de Cinema de Paulínia

O II Festival de Cinema de Paulínia, que teve início no dia 09 e encerrou-se no dia 16 de julho, reuniu alguns dos filmes nacionais inéditos mais aguardados, além de produções de sucesso, e profissionais da indústria do audiovisual como diretores e atores. Nos festival, concorreram longas-metragens de ficção e documentário, além de exibições de curta-metragens nacionais e recentes produções de destaque. No primeiro dia foi exibido em destaque o longa À Deriva, de Heitor Dhalia (Cheiro do Ralo) e encerramento foi marcado com o show dos Os Paralamos do Sucesso.

Paulínia é uma cidade a 126km de São Paulo, nela não há salas de cinema, contudo, o governo municipal de lá está fazendo o que pode para transformá-la na "Hollywood" brasileira, percebe-se a intenção até pelo logotipo do festival e pela semelhança do troféu. Os ganhadores levam para casa o troféu chamado de Menina de Ouro e mais uma quantia em dinheiro. A prefeitura construiu o teatro municipal de Paulínia para a exibição dos filmes durante o festival nos moldes do Kodac Theater, local onde acontece a festa de premiação do Oscar.

Bom, deixando de lado a badalação exagerada, tomemos como foco agora o mais importe, os filmes. “Olhos azuis”, de José Joffily, recebeu o troféu Menina de Ouro como o melhor longa de ficção e outros cinco prêmios do II Festival Paulínia de Cinema. "Só dez por cento é mentira”, de Pedro Cezar foi eleito o melhor longa-documentário. Os curtas “Timing”, de Amir Admoni, e “Spectaculum”, de Juliano Luccas, venceram nas categorias nacional e regional, respectivamente. O júri escolheu Ana Luíza Azevedo, de “Antes que o mundo acabe”, como a melhor direção de ficção, e a dupla Roberto Berliner e Pedro Bronz, por “Herbert de perto”, pela direção de documentário. O prêmio especial do júri foi para “Contador de histórias”, de Luiz Villaça.

Premiação completa:

Longa-metragem - Ficção:
Melhor filme de ficção: “Olhos azuis”, de José Joffily.
Melhor direção de ficção: Ana Luíza Azevedo, de “Antes que o mundo acabe”.
Prêmio especial do júri: “O contador de histórias”, de Luiz Villaça.
Melhor roteiro: Paulo Halm e Melanie Dimantas, de “Olhos azuis”.
Melhor ator: Marco Ribeiro, Paulo Mendes e Cleiton Santos, de “O contador de histórias”.
Melhor atriz: Cristina Lago, de “Olhos azuis”; e Sílvia Lourenço e Maria Clara Spinelli, de “Quanto dura o amor?”.
Melhor ator coadjuvante: Irandhir Santos, de “Olhos azuis”.
Melhor atriz coadjuvante: Nívea Magno, de “No meu lugar”.
Melhor figurino: Rosangela Cortinhas, de “Antes que o mundo acabe”.
Melhor trilha sonora: Leo Henkin, de “Antes que o mundo acabe”.
Melhor direção de arte: Fiapo Barth, de “Antes que o mundo acabe”.
Melhor som: François Wolf, de “Olhos azuis”.
Melhor montagem: Pedro Bronz, de “Olhos azuis”.
Melhor fotografia: Jacob Solitrenick, de “Antes que o mundo acabe”.

Longa-metragem - Documentário:
Melhor documentário: “Só dez por cento é mentira”, de Pedro Cezar.
Melhor direção de documentário: Roberto Berliner e Pedro Bronz, por “Herbet de perto”.

Curta-metragem - Regional:
Melhor filme: “Spectaculum”, de Juliano Luccas.
Melhor direção: Cauê Fernandes Nunes, de “Quem será Katlyn”.
Melhor roteiro: Pedro Struchi, de “Prós e contras”.
Melhor ator: Alexandre Caetano, de “Prós e contras”.
Melhor atriz: Roseli Silva, de “Morte corporation”.
Melhor montagem: Cauê Fernandes Nunes, de “Quem será Katlyn”.
Melhor fotografia: Marcelo Mazzariol, de “Spetaculum”.

Curta-metragem - Nacional:
Melhor filme: “Timing”, de Amir Admoni.
Melhor direção: Érico Rassi, de “Milímetros”.
Melhor roteiro: Érico Rassi, de “Milímetros”.
Melhor ator: Fábio Di Martino, de “Milímetros”.
Melhor atriz: Débora Falabella, de “Doce amargo”.
Melhor montagem: Amir Admoni, de “Timing”.
Melhor fotografia: André Modugno, de “Relicário”.

Prêmio da crítica:
Melhor filme de ficção: “Antes que o mundo acabe, de Ana Luíza Azevedo.
Melhor filme de documentário: “Moscou”, de Eduardo Coutinho.

Júri popular:
Melhor filme de ficção: “O contador de histórias”, de Luiz Villaça.
Melhor filme de documentário: “Caro Francis”, de Nelson Hoineff.
Melhor curta-metragem nacional: “Nesta data querida”, de Júlia Rezende.
Melhor curta-metragem regional: “Quem será Katlyn”, de Cauê Fernandes Nunes.

Composição do Juri:

Júri de Longas
Zuenir Ventura – jornalista e escritor
Adhemar Oliveira – exibidor (sócio diretor dos circuitos Espaço e Arteplex)
Elena Soarez – roteirista
João Jardim – diretor
Maria Ângela de Jesus – diretora de produção da HBO

Júri de Curtas
Ana Carolina Lima – atriz
Hubert Alquéres – diretor presidente da Imprensa Oficial
César Cabralk – Cineasta
Helvécio Marins – produtor e selecionador dos Festivais de Rotterdan e Locarno
Wilson Cunha – jornalista
Maria Clara Fernandes – diretora de finalização

Site oficial do II Festival de Cinema de Paulínia: www.festivalpaulinia.com.br
Saiba mais sobre o festival e os filmes: www.revistacinetica.com.br/paulinia09menu.htm

Wenndell Amaral


DEM ajuíza ação contra o sistema de cotas raciais

Wenndell Amaral

Segundo consta na página do Supremo Tribunal Federal na internet, a instituição de cotas raciais na Universidade de Brasília (UnB) foi objeto da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) ajuizada, com pedido de suspensão liminar, pelo Democratas (DEM). O partido tem a finalidade de que seja declarada a inconstitucionalidade de atos do poder público que resultaram na instituição de cotas raciais na universidade.

O partido salienta que a violação aos preceitos fundamentais decorre de específicas determinações impostas pelo Poder Público (Universidade de Brasília). Atos administrativos e normativos determinaram a reserva de cotas de 20% do total das vagas oferecidas pela universidade a candidatos negros (dentre pretos e pardos).

O DEM assevera que acontecerão danos irreparáveis se a matrícula na universidade for realizada pelos candidatos aprovados com base nas cotas raciais, “a partir de critérios dissimulados, inconstitucionais e pretensiosos da Comissão Racial”. “A ofensa aos estudantes preteridos porque não pertencem à raça “certa” é manifesta e demanda resposta urgente do Judiciário”, argumenta o partido.

O presidente do Supremo, ministro Gilmar Mendes, pediu informações À Advocacia Geral da União e à Procuradoria Geral da República e aguarda parecer desses órgãos sobre a ação ajuizada pelo Democratas. Após a chegada dos pareceres, o ministro Gilmar Mendes poderá analisar o pedido de liminar ou a ação será distribuída à relatoria para um dos ministros, sendo depois inserida na pauta de julgamentos no plenário do STF.

Caso o Supremo conheça da ação e dê prosseguimento levando o mérito a julgamento, a questão poderá abrir precedente de entendimento acerca da questão das Cotas Raciais. Podendo até servir de base para outras ações no resto do Brasil com a mesma finalidade. Vamos aguardar.

Acompanhe do desenrolar dessa ação no site do Supremo Tribunal Federal: www.stf.jus.br


20 de jul de 2009

MÚSICA: Gato Zarolho

Numa noite um pouco conturbada pela falta de tempo e pelo dia cansativo, há uns dois ou três anos atrás, tive a oportunidade de assistir uma apresentação improvisada, era uma banda de nome curioso e engraçado (pelo menos pra mim). A ocasião tratava de um tributo a Ernesto Che Guevara, no Espaço Cultura da Universidade Federal de Alagoas, realizado por grupo político jovem. Infelizmente não pude ficar até o final, pois perderia meu ônibus e teria que dormir ao relento.

Nunca tinha ouvido falar da Gato Zarolho antes daquela apresentação. A partir dali pesquisei sobre a banda onde pude. O pouco que consegui escutar era suficiente para dizer: essa banda é boa. Lembro da primeira música que escutei, Inês é Morta, e digo que é um dos destaques no repertório do CD recém lançado deles, Olho Nu Fitando Átomo, que conta com mais dez boas faixas.

Gato Zarolho tem cinco anos de existência, nasceu e dá seus pulos na cidade de Maceió, é formada por sete integrantes: Gilianne Santos, vocais; Bruno Ribeiro, contrabaixo; Yuri Pappas, bateria; Bruno BR, percussão; Vitor Peixoto, guitarra; Daniel Soares, percussão; Marcelo Marques, vocais e violão. Esse grupo dá para suas músicas um instrumental sólido, elaborado e detalhado em alguns momentos, mas também simples e objetivo noutros. Segundo os próprios, a banda é “marcada por uma sonoridade ritmicamente híbrida e por letras que passeiam pelo universo fantástico e pelo espanto do cotidiano”.

Caso você queira saber o que pode encontrar quando se deparar com a Gato Zarolho, adianto: nela tem MPB, tem rock, samba, tem música erudita, regional... É, realmente, uma das coisas mais interessantes da cena musical alagoana.

O CD Olho Nu Fitando Átomo está disponível para download no site oficial da banda, clique aqui e veja lá.

Wenndell Amaral

19 de jul de 2009

França reconhece internet como direito fundamental

Wenndell Amaral

A França mostra mais uma vez que é um país avançado, ligado às mudanças globais e à necessidade de se adequar a elas da melhor maneira possível. Vejamos.

O Conselho Constitucional da França, o equivalente ao nosso Supremo Tribunal Federal, decidiu que o acesso à internet é um direito humano fundamental. A publicação de opiniões na internet representa uma forma de liberdade de expressão, segundo o Conselho.

A decisão foi tomada quando o Conselho julgou improcedente a lei antipirataria Loi Hadopi, que previa uma série de restrições à publicação e troca de informações via internet.

No início do mês de junho o Conselho da Europa já tinha aprovado uma resolução reconhecendo o acesso à internet como um direito fundamental. O Conselho da Europa é uma organização composta por 47 países europeus. Seu papel principal é garantir o respeito à democracia e aos direitos humanos nos Estados-membros. O Conselho tem uma forte vertente jurisdicional em toda Europa.

O Conselho reconheceu que limitar o acesso à Internet é negar ao indivíduo plena vivência da sua condição cidadã. Por esta razão, o direito de acesso deve ser não apenas protegido, mas garantido como um serviço público fundamental, por todos os países membros do Conselho da Europa.

Na ocasião, foi comentado sobre a inadequação da Lei Hadopi que então fora aprovada na França, ficando claro que a lei ia de encontro às disposições do Conselho da Europa e, se não apreciada pela Corte Constitucional Francesa, acabaria eventualmente sendo objeto de exame da Corte Européia, entendendo que a lei representava uma restrição aos direito fundamentais.

Fontes:
blog do Noblat
Cultura Livre Weblog

Cinema brasileiro e as maiores bilheterias

Wenndell Amaral

Entre os dez filmes brasileiros de maior bilheteria, cinco são da turma dos Trapalhões, os inesquecíveis Didi, Dedé, Mussum e Zacarias.

Nos últimos anos, das produções que mais se destacaram na mídia (televisão e internet principalmente), apenas o Seu Eu Fosse Você 2 é que realmente teve uma bilheteria digna de ficar pra história, com mais de 6 milhões de espectadores. Infelizmente, filmes enaltecidos pela mídia e também pelo público por suas reais qualidades e não somente pelo entretenimento, ficam de fora dessas listas, como (cito alguns bem recentes) Cidade de Deus, Carandiru, Estômago, Linha de Passe, O Ano em que meus pais saíram de férias, Feliz Natal, O Cheiro do Ralo, entre muitos outros. Isso mostra a disparidade entre números de bilheteria e qualidade cinematográfica? Talvez.
Os filmes dos Trapalhões não são exatamente jóias do cinema, mas evidentemente tem suas qualidades. Quem nunca assistiu e gostou de algum deles? Sobretudo daqueles das décadas de setenta e oitenta. Nasci em 1988, mesmo assim assisti a maioria deles, gostei de vários, lembro de muita coisa e acho que aquilo só pode ser comparado de maneira superior ao que é feito hoje em se tratando de cinema do gênero ou até de cinema como um todo.

O grande público de cinema no Brasil não conhece muita coisas ainda (inclusive eu, claro). Ótimos filmes passam desapercebidos, muitos sequer são distribuídos para o país inteiro, quem mora em cidades pequenas e capitais pouco desenvolvidas, medicamente tem que recorrer à internet ou outros meios (legais e ilegais).


Quem ai conhece J. B. Tanko? Ele é o diretor e produtor de muitos filmes dos Trapalhões. Dos cinco entre os mais vistos, três tem ele na direção. Inclusive Os Saltimbancos Trapalhões e Os Trapalhões na Serra Pelada, dois que gosto muito.


Veja a seguir os dez filmes com as maiores bilheterias do cinema brasileiro:

1- Dona Flor e seus dois maridos, de Bruno Barreto, novembro/1967, 10.735.524 de espectadores.
2- A dama do lotação, de Neville de Almeida, abril/1978, 6.509.134 de espectadores.
3- Se Eu Fosse Você 2, de Daniel Filho, janeiro/2009, 6.090.168 de espectadores.
4- O Trapalhão nas minas do Rei Salomão, de J.B. Tanko, agosto/1977, 5.786.226 de espectadores.
5- Lúcio Flávio, o passageiro da agonia, de Hector Babenco, novembro/1977, 5.401.325 de espectadores.
6- 2 Filhos de Francisco, de Breno Silveira, agosto/2005, 5.319.677 de espectadores.
7- Os Saltimbancos Trapalhões, J. B. Tanko, dezembro/1981, 5.218.478 de espectadores.
8- Os Trapalhões na guerra dos planetas, de Adriano Stuart, dezembro/1978, 5.089.970 de espectadores.
9- Os Trapalhões na Serra Pelada, J. B. Tanko, dezembro/1982, 5.043.350 de espectadores.
10- O Cinderelo Trapalhão, Adriano Stuart, junho/1979, 5.028.893 de espectadores.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_filmes_brasileiros_com_mais_de_um_milh%C3%A3o_de_espectadores

18 de jul de 2009

Produção dos vereadores no 1º semestre

Walter Jr

No dia 7 de julho foi postado, no blog Acorda União capitaneado por Sérgio Rogério, a "exemplar" produção de nossos edis no 1º semestre de 2009. Vamos a uma rápida análise e ver as ações para controlar e fiscalizar os 51 milhões de receita do município para o ano de 2009.

Foto: West Harris.
Antes de mais nada temos que situarmos no tempo e espaço. A 1º sessão da Câmara ocorreu no dia 17 de fevereiro e a última no dia 30 de junho. Como nossos "ilibados" vereadores tem apenas um dia "cansativo" de trabalho no mês, eles realizaram apenas 16 sessões. Lendo de outra forma, esses senhores trabalharam 16 dias - apenas 2 horas por dia - em um semestre e ganharam cada um o equivalente a 42 mil reais. Isso mesmo pessoal: 42 mil reais para trabalhar apenas 16 dias num semestre. Você aí que trabalha 8, até 9 horas por dia durante 120 dias no semestre e ganha a miséria de um salário mínimo, o que acha desse fato? É justo quem não trabalha ganhar 42 mil num semestre enquanto quem trabalha ganhar 2.790 reais no mesmo período? Pense bem antes de vender seu voto na proxima eleição. Agora vamos ao "ranking", por produção (inócuas diga-se de passagem).

1º lugar: Manoel Feliciano
Indicações - > 22
Requerimentos - 04
Requerimentos Verbais - 04
Projetos de Lei - 03
Ofícios - 07
Análise: Não o conheço, não votei nele, mas conforme o conteúdo de suas indicações, requerimentos, etc. é possível claramente perceber que pelo menos a vontade inicial de trabalhar ele teve. Solicitou escolas, saneamento, legalização de nomes de ruas, audiências públicas sobre violência, pressionou para que a prefeitura transferisse verbas de algumas secretarias para o custei dos ônibus dos estudantes universitários, solicitou postos de saúdes em comunidades extremamentes carentes; questionou sobre as medidas que a prefeitura vem tomando sobre o risco de enchente, instalação de creches, cobrou maior agilidade nas prometidas obras do PAC, foi solidário com os trabalhadores da secretaria de Infra Estrutura que foram até a câmara denunciar a "honrosa" pessoa de Paulo Cesar Felix - O Paulo Malvadeza; O problema é: nada do que o vereador Manoel pediu foi feito. Pelo menos esse pode lavar as mãos, uma vez que, se a Câmara fosse independente da prefeitura, ele teria mais exito em conseguir melhorias para os cidadãos de União.

2º lugar: Bobo
Requerimentos - 14
Requerimentos Verbais - 07
Indicação Verbal - 01
Ofícios - 12
Análise: O presidente da Casa do Povo. Solicitou coisas como limpeza de bueiros, campanha contra a dengue (não se necessita de campanha e sim de atitudes positivas do Poder Público), requereu o gasto com iluminação pública (não sei pra que já que nada foi cobrado com os dados junto a CEAL), pediu iluminação nos frios (coisa que não foi atendida pelo "competente" Paulo Cesar Felix)ja que moro lá e vejo apenas o breu, tentou sem sucesso trazer para a administração municipal a gestão do Ginásio Estadual e da piscina criadora de dengue do bairro Roberto Correia de Araujo, em vez de tentar viabilizar uma Farmácia Popular, tentou que o CDL daqui abrisse uma farmácia que funcionasse a partir das 22h, reclamou da bagunça do transito palmarino; tentou pedir ajuda aos órgãos responsáveis pelo desmatamento desenfreado de nossas matas, sem sucesso; apoiou os trabalhadores da sec. de Infra Estrutura que denuciaram o citado secretario, também sem efeito prático; apoiou os estudantes universitários na luta contra o desmando do prefeito, inclusive doando dinheiro do "proprio bolso" junto com Manoel Feliciano e forçando os demais vereadores a fazer o mesmo - inclusive afirmou que aprovaria a qualquer hora a lei que garantisse o transporte gratuito; no mais destribuiu parabenizações a diversas "personalidades importantes" de nossa cidadela como: desembargador Otávio Praxedes, Dr. Roberto Liberato, gov. Teotonio Vilela e ao nosso prefeito Kil. E continuamos sem nada de melhorias palpáveis para a população.

3º lugar: Tutu
Requerimentos Verbais - 12
Requerimentos - 11
Ofícios - 11
Análise: Esse se preocupou com ruas sem nomes, com a limpeza do asséptico Açougue Municipal, solicitou a presença irrisória da Vigilância Sanitária no Mercado Público, requereu que algumas ruas fossem calçadas, encaminhou ofício as autoridades competentes para a manutenção do único(!) semáforo da cidade - como todo podem comprovar sem sucesso, solicitou a criação de alguns bueiros em algumas localidades extremamentes carentes - porque não solicitar logo o saneamento básico vereador? Ah, o sr. já sabia que seu pedido não seria atendido...; requereu que a prefeitura "colocasse pra funcionar" os equipamentos de raio X, eletrocardiograma, mamografia a a piscina de hidroterapia, do posto de saúde dos terrenos, e que as consultas sejam marcadas no próprio posto; requereu também que fosse colocado no PETI carteiras escolares, ventilador, instalação elétrica, bebedouro, contratação de professores e vasos sanitários - quer dizer que não existe nada disso lá?; solicitou a limpeza do Rio Cana Brava à sec. de Infra Estrutura - o que não foi feito; requereu a mesma secretaria que fosse colocado piçarro e metralha na frente da escola Edvar de Souza - porque não requerer logo o calçamento vereador? Os estudantes merecem andar na lama?; tentou fiscalizar o gasto com motoristas da sec. de Educação, Infra Estrutura e Saúde, sem sucesso; sobre as denuncias ao sec. Paulo Cesar, o mesmo se disse solidário aos trabalhadores pois ele é "funcionário de lá" - como podemos ver diariamente, nada foi feito. Pediu providências sobre a falta de água no povoado Santa Fé - não foi atendido; Requeriu que o Ministério Público Federal(!?) para investigar a associação do sítio Gordo - o engraçado é que nosso vereadores não solicitam o MPF para investigar outras coisas que deveriam realmente serem investigadas... Por fim, fez agradecimentos a sec. de Saúde e a outras Câmaras Municipais...

4 º lugar:Fabian Holanda
Requerimentos Verbais - 11
Ofícios - 14
Moção - 01
Requerimentos - 02
Voto de Pesar - 01
Falta - 01
Análise: Esse é o "líder do Governo"... Comentou que os sec. municipais não respondem os ofícios - apenas COMENTOU e nenhuma providência foi tomada; solicitou a prefeitura a instalação de mais postos de saúde na cidade - sem tocar na qualidade dos serviços; solicitou a prefeitura providências sobre as moscas - deveria ter solicitado agilidade na instalação do Aterro Sanitário Municipal que acabaria com as mesmas; Solicitou que as festas na Serra da Barriga fossem transferidas para a cidade - o motivo ele não explicou - acho que ele não estava afim de sujar seu carrão na estrada de barro; requereu que o Tribunal de Justiça viesse atpe União realizar a Justiça Itinerante - ele "esqueceu" que aqui existe Promotoria, Fórum Estadual e Federal; requereu que a TV Gazeta, TV Alagoas e programa Fique Alerta viessem até União mostrar a situação do Ginásio Estadual e da piscina criadora de dengue - Porque o sr Fabian não fez a mesma solicitação quando os estudantes precisaram mostrar a má vontade do prefeito em relação a outras questões que saltam aos olhos em nossa cidade? Ah lembrei, o sr. é o líder do governo...; Solicitou as secs. de Educação e de Saúde que fossem doados óculos - isso já deu problema vereador! Como o sr. é irônico! Sobre as denuncias ao sec. de Infra Estrutura, solicitou que o mesmo fosse afastado numa tentativa de enganar os mais inocentes - obviamente que não foi atendido e o citado secretário continua tocando obras de qualidade vergonhosa como a do lado da Igreja Assembléia de Deus; como não podia faltar, fez vários agradecimentos a pessoas que nem moram aqui incluindo até jogadores de futebol... Lástima! Ah, ia esquecendo! Fabian BARROU o requerimento do vereador Manoel Feliciano que pedia para que a prefeitura tomasse providências sobre a iminência de cheia sem dizer o motivo. Que representante?! Satisfeitos eleitores?

5º lugar: Elvinho
Requerimentos - 06
Requerimentos Verbais - 04
Indicação - 01
Ofícios - 03
Projetos de Lei - 02
Análise: Aqui começamos a acompanhar a produção "mais modesta" da Casa. Entregou projeto de lei dando nomes as ruas do loteamento Santa Maria Madalena - até agora nada feito; solicitou a construção de uma quadra de esporte no colégio Pe. Donald, um posto de saúde e uma praça no conjunto Sagrada Familia - boa pedida vereador, mas antes deveria ter atentado para o calçamento inexistente; solicitou calçamento e sanemanto no povoado Bebidas; solicitou a construção de duas salas de aula e BANHEIROS na escola Zumbi dos Palmares na Sementeira - os alunos tem que apelar pra velha moita?; solicitou o retelhamento e a LAVAGEM, isso mesmo LAVAGEM do Mercado Público Municipal; no mais, parabenizou o time Bangu pelos 52 anos de idade, solicitou melhorias no gramado do Orlandão e a inclusão de mel de abelha na merenda esocolar. Sobre as denuncias ao já tão citado paulo Felix afirmou: "Chegou a este ponto por falta de diálogo por parte do poder executivo. Não podemos admitir nem permitir que o povo seja massacrado" - dito essas bonitas palavras, nada foi feito na prática.

6º lugar: Júlio Paulino
Requerimentos Verbais - 03
Ofícios - 06
Projeto Decreto - 01
Análise: Esse virou vereador por livre e espontânea pressão graças a uma ação judicial, e não pela vontade popular e isso se reflete nas suas irrisórias ações - onde foi parar a tal da democracia? Bem isso já outra história. Vamos ao que interessa. Requereu a aceleração nas obras da Feira de Animais - obra "indispensável" não?. O vereador solicitou "atenção" ao bueiro do taquari assim como a instalação de postes na Sementeira (lugar onde ele tem uma pequena chácara); pediu a instalação de postes na rua Castelo Branco na entrada alternativa da cidade - isso realmente é necessário mas não foi feito; requeriu que fosse tampado um buraco na rua Jardim Brasília e reparado mais um bueiro próximo ao matadouro; sobre a tão falada denúncia de maus tratos do sec. de Infra Estrutura disparou: "Não vou permitir que um cargo suba à cabeça para prejudicar os outros. Dou meu aval aos funcionários" - aval sobre o que vereador se nada foi feito para honrar a denúncia dos trabalhadores? Fora esses requerimentos o edil distribuiu felicitações as mulheres palmarinas no Dia da Mulher e concedeu o título de Cidadão Palmarino ao atual presidente da Câmara Bobo, assim como felicitações ao mesmo por mais um aninho de vida. Sem mais comentários.

7º lugar: Almir Belo
Requerimentos - 02
Projetos de Lei - 03
Projeto Decreto - 01
Moção - 01
Falta - 01
Análise: Esse começou o ano colocando logo os pés pelas mão e com muita sede ao pote. Numa tentativa desastrosa de "mostrar serviço", esse sr. tentou logo na 1º Sessão do ano requerer o ADIANTAMENTO(!?) da eleição da Mesa Diretora da Câmara para o biênio 2011/2012, coisa que espantou seus próprios pares como afirmaram Elvinho e Tutu respectivamente: Este requerimento é prematuro, podia esperar mais um pouco, pois os trabalhos começaram agora e nós ainda estamos nos conhecendo e Não é momento de antecipar a eleição, tem que trabalhar em prol do povo e não em causa própria, temos todo tempo do mundo para isto, acho que isso é interesse próprio. Solicitou ao SAAE um mapa onde indicasse onde tem serviço de esgoto assim como custo e financiamento; elaborou Projeto de Lei dando nomes as ruas do loteamento J.M.V assim como no conj. Abdom Veríssimo; por fim ofereceu o título de Cidadão Honorário ao del. da Polícia Civil, Cícero Lima

8º lugar: Biu Crente
Requerimentos - 02
Ofícios - 02
Moções - 02
Análise: Bem inerte esse. Durante o 1º semestre apenas solicitou a construção de quebra molas, lâmpadas e uma quadra de esportes no distrito de Rocha Cavalcante - detalhe: já existe uma quadra em Rocha Cavalcante; afirmou que apoiava os funcionários nas já mais do que citadas denúncias contra Paulo Felix; agradeceu ao dep. Franscisco Tenório por ter enviado um tri elétrico para o carnaval de Rocha Cavalcante.

9º lugar: Gildo Brito
Requerimentos - 03
Requerimentos Verbais - 01
Ofícios - 01
Análise: e vamos cada vez mais caindo de produção. Solicitou a construção de quebra molas na Várzea Grande e na av. Rotary; requereu reparos na rua do posto de saúde do loteamento Santa Maria Madalena - só a rua do posto precisa de reparos ou todo o bairro? o0lhe direitinho vereador...; requeriu que um buraco na rua Leão Veloso fosse consertado. Parabenizou o empresário Jocemar Assunção.

10º lugar: Bruno Praxedes
Ofício - 01
Voto de Pesar - 01
Falta - 02
Análise: realmente, tudo que é ruim agora ainda pode piorar. Em todo o semestre Bruno apenas se dispôs a resolver o problema de nomes de ruas, afirmou ser muito importante o Conselho do Idoso para o município; sobre a questão dos estudantes ele afirmou que a interiorização da UFAL e a doação de um terreno para a UNEAL resolveria boa parte dos problemas estudantis - essa doação saiu. Ofereceu um voto de pesar pela morte da mão do jornalista Ivan Nunes.

É pra isso gente que serve um vereador? Leiam bem e reflitam. Trabalhar uma vez na semana, ganhar milhares de reais por mes para solicitar tapar buracos, colocar lampadas, etc. etc. etc. ? Coisas que não precisam ser solicitadas já que existe uma secreataria pra isso... O trabalho de vereador é muito mais que isso. É cobrar transparência administrativa, sempre rezando pela austeridade, máquina pública enxuta e eficiente; deve-se conferir as contas, nota por nota dos gastos. Deve-se conferir as folhas salariais, etc. Deve-se fiscalizar o Executivo para que o povo saia ganhando no fim; E PRINCIPALMENTE ELEBORAR LEIS PARA A MELHORIA DE VIDA DO POVO coisa raríssima aqui em União.

Fonte: acordauniao.blogspot.com

17 de jul de 2009

Programa Pense Nisso na Rádio Zumbi 87,9 FM

Mais uma vez o ícone do rádio palmarino, Sr. Sílvio Sarmento, nos brindou com mais um texto lido em seu programa diário Pense Nisso transmitido a partir das 11h na Rádio Zumbi 87,9 FM. O artigo escolhido foi "Sarney/Jackson: articulações de uma mídia prostituída" publicado no mês passado aqui no Tempo Moderno.

Desde já agradecemos o espaço dispensado para a leitura dos textos que interessam a pauta do programa, afinal, todos os textos lidos por Silvio soam muito mais impactantes do que lidos da tela do PC. Mais uma vez obrigado a Sílvio e sua equipe que faz funcionar a melhor rádio de União dos Palmares. Para ouvir ou fazer o download da eloquente locução clique aqui.

Para visitar nosso HD Moderno e baixar músicas, livros, mais programas Pense Nisso, etc. clique aqui.

Você também pode escutar a leitura do texto em nosso podcast, ali na barra lateral. O que é um podcast? É a publicação de arquivos de mídia digital (áudio, vídeo, foto etc) na internet. Aproveite.

Walter Jr

OMS decide parar de contar casos de gripe mundial

O Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmou nesta sexta-feira (17) que a pandemia de Influenza A (H1N1), conhecida como gripe suína, está se espalhando pelo mundo numa velocidade "sem precedentes" e, por isso, decidiu parar de divulgar contagens de casos confirmados e países afetados pela doença. A pandemia de gripe "se disseminou numa velocidade sem precedentes", informou a agência de saúde da Organização das Nações Unidas (ONU). "Nas pandemias do passado, os vírus de influenza precisaram de mais de seis meses para se espalharem tanto quanto o vírus da gripe A se disseminou nas últimas seis semanas", compara a OMS em comunicado divulgado hoje em seu site.

Segundo o documento, a entidade informa que passará a concentrar sua atenção na atualização de informações de países afetados recentemente, a fim de acompanhar a disseminação do vírus da gripe A pelo globo. De acordo com a OMS, a contagem de casos individuais não é mais essencial para avaliar o risco representado pela gripe suína e o foco passará a ser os novos países atingidos pela enfermidade. "A OMS continuará solicitando que esses países reportem os primeiros casos confirmados e, no prazo mais rápido possível, forneçam semanalmente os números e a epidemiologia descritiva dos primeiros casos", prossegue a nota.Ainda assim, a OMS pede a todos os países que "monitorem de perto acontecimentos incomuns", como a eclosão de infecções graves ou fatais ou desvios de padrão que possam ser associados a um eventual agravamento da doença.

Em muitos países, as pesquisas e os exames laboratoriais absorvem recursos em excesso deixando os sistemas de saúde com menos capacidade de monitoramento de casos graves ou de acontecimentos excepcionais que poderiam indicar um aumento da virulência ou mutações no vírus da gripe."Em face de todas essas razões, a OMS não irá mais divulgar tabelas globais com os números de casos confirmados em todos os países", diz a entidade no comunicado. Em seu último boletim, divulgado na semana passada, a OMS informava pouco menos de 95.000 casos da doença no mundo, com 429 mortes. Mas a cifra está bastante desatualizada. Somente a Grã-Bretanha calcula que 55.000 novos casos da doença tenham surgido em seu território na última semana. As informações são da Dow Jones.

Fonte: AE

16 de jul de 2009

Lei que regulamenta profissão de músico poderá ser anulada

Com base na anulação da obrigatoriedade do diploma de jornalista, julgado no último mês de maio no Supremo pelo Min. Gilmar Mendes, a Procuradora-geral da República, Deborah Duprat, ingressou com uma Ação de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) no Supremo Tribunal Federal (STF) contra dispositivos da Lei n° 3.857/60.

Essa é a lei que regulamenta a profissão de músico, que criou a Ordem dos Músicos do Brasil (OMB) em 1960, estabeleceu requisitos para o exercício da profissão e instituiu o poder de polícia sobre essa atividade artística. Para Duprat, as regras questionadas não foram recepcionadas pela Constituição Federal e são “flagrantemente incompatíveis” com a liberdade de expressão da atividade artística e com a liberdade profissional.

O tipo de ação proposta pela procuradora-geral é um instrumento jurídico próprio para contestar normas editadas antes da Constituição de 88 e somente podem ser ajuizadas quando não há outro tipo de ação para atacar a suposta ilegalidade que se pretende anular.

O que
você acha? Jornalista não precisa de diploma, pois, segundo o STF, a profissão não apresenta risco social. E a atividade de músico, apresenta risco social? Daqui a alguns meses saberemos da posição dos Ministros da Suprema Corte da Justiça brasileira em relação a isso. Tenho uma impressão de que grande parte dos músicos não irá reclamar sequer um pouquinho caso a decisão seja parecida com a que anulou a exigência do diploma de jornalista.

Leia mais

---

Recado:

Acompanhe nosso Twitter

Além de avisos sobre nossas publicações, também estamos sempre escrevendo sobre curiosidades, informando sobre eventos, comentando sobre os assuntos da atualidade, indicando links...

Siga o Tempo Moderno no Twitter e confira.

Wenndell Amaral

EMAIL:

Uma vez Judas, sempre Judas...
enviado por Zema
Jesus chama os seus discípulos e apóstolos para uma reunião de emergência, devido ao alto consumo de drogas na Terra.Depois de muito pensar, chegam à conclusão de que a melhor maneira de combater a situação e resolvê-la definitivamente era provar a droga eles mesmos e depois tomar as medidas adequadas.Decide-se que uma comissão de discípulos desça ao mundo e recolha diferentes drogas.Efetua-se a operação secreta e dois dias depois começam a regressar os comissários. Jesus espera à porta do céu, quando chega o primeiro servo:
- Quem é ?
- Sou Paulo.
Jesus abre a porta.
- E o que trazes, Paulo ?
- Trago haxixe d Turquia.
- Muito bem, filho. Entra.
- Quem é ?
- Sou Pedro.
Jesus abre a porta.
- E o que trazes, Pedro ?
- Trago maconha do Brasil.
- Muito bem, filho. Entra.
- Quem é ?
- Sou Tiago.
- E o que trazes, Tiago ?
- Trago lança-perfume da Argentina.
- Entra.
- Quem é ?
- Sou Marcos.
- E o que trazes, Marcos ?
- Trago cocaína pura da Colômbia.
- Muito bem, filho. Entra..
- Quem é ?
- Sou Mateus.
- E o que trazes, Mateus?
-Trago pasta de coca da Bolívia.
- Muito bem, filho. Entra.
- Quem é ?- Sou João.
Jesus abre a porta e pergunta de novo:- E tu, o que trazes, João?
- Trago crack de Nova Iorque.
- Muito bem, filho. Entra.
- Quem é ?- Sou Lucas.
- E o que trazes, Lucas?
- Trago êxtase de Amsterdam.
- Muito bem, filho. Entra.
- Quem é ?- Sou Judas.
Jesus abre a porta.
- E tu, o que trazes, Judas?
- POLÍCIA FEDERAL!!!
- TODO MUNDO NA PAREDE, MÃO NA CABEÇA!!!- ENCOSTA AÍ, CABELUDO!!! A CASA CAIU!!!

Walter Jr

15 de jul de 2009

220 anos da Queda da Bastilha e o ano França.br

Dois mil e nove é o Ano da França no Brasil. Desde o dia 21 de abril, data da Inconfidência Mineira, onde ocorreu a abertura oficial do Ano da França no Brasil, vem acontecendo eventos variados e diversas comemorações por todo o Brasil, até o dia 15 de novembro, com o encerramento na data da proclamação da república brasileira. Quem quiser saber sobre os próximos eventos basta visitar o site do projeto França.br (link no final da postagem).

Esse tipo de comemoração teve início em 1985, quando a França comemorou seu ano Indiano. Em 2005 foi o Ano do Brasil na França, a Temporada Brésil, Bresils. Essas comemorações tem como finalidade estreitar ainda mais os laços diplomáticos entre os países, divulgando as diferentes culturas e consolidando acordos de comércio e turismo.

O Tempo Moderno, de forma extra oficial, dará sua contribuição no Ano da França no Brasil publicando conteúdos relevantes relacionados com o país e o povo francês, como filmes, livros e sobre artistas e a música francesa. Aguardem.
Nesse último dia 14 completou-se 220 anos da Revolução Francesa. Este movimento exerceu grande influência sobre a liberdade e o respeito dos direitos humanos em todo o mundo. Seus princípios fundamentais estão, hoje, inscritos nas Constituições de todos os países democráticos, inclusive na Constituição Federal brasileira de 1988.

Sob o mote “liberté, égalité, fraternité”! (liberdade, igualdade, fraternidade!), populares tomaram, em 14 de julho de 1789, um dos símbolos do totalitarismo francês de então, localizado na capital, Paris: a Bastilha, prisão onde eram encarcerados adversários do regime. Esse foi o estopim do que ficou conhecido como a Revolução Francesa.

Esses ideais foram absorvidos pelos constituintes brasileiros, que inseriram, na atual Constituição Federal, um extenso rol de direitos e garantias individuais e coletivas, limitando a interferência do poder estatal na vida e dignidade do cidadão, como por exemplo, as disposições sobre a cobrança de tributos (arts. 145 a 162).

Desde os princípios fundamentais – que consagram a separação dos poderes (art. 1º ao 4º) – passando pelos direitos e garantias dos cidadãos no âmbito social, político e econômico (arts. 5º ao 17), até chegarmos à proteção do meio ambiente e de nossas crianças e adolescentes, que são o futuro do país (arts. 225 a 230), sente-se a presença da centelha revolucionária.

História e Filosofia
No entender de muitos historiadores, ao romper com um status quo instituído há 50 gerações (cerca de 500 anos) por influência do clero, a Revolução Francesa passou a constituir o marco divisor entre a Idade Moderna e a Idade Contemporânea, e ainda teria sido o evento de maior importância da humanidade, produzindo frutos até hoje.

A base teórica dessa revolução foi cunhada pelo filósofo e pensador suíço Jean-Jacques Rousseau, falecido em 1778. Foi ele um dos nomes mais destacados do pensamento conhecido como Iluminismo, que concebia o homem como um ser livre, igual a seus semelhantes, com os quais deveria conviver fraternalmente. O Estado, segundo essa corrente, não deveria ser um elemento de dominação, como era prática da época, mas um ente a serviço do cidadão.
Contexto
A Revolução Francesa ocorreu em um cenário representado, basicamente, por duas facetas antagônicas: a primeira delas era que um país que experimentava um período de progresso, com o início da industrialização e um gradual enriquecimento nas cidades. Nasciam grandes conglomerados, existiam uma bolsa de valores e uma Caixa de Descontos com um capital de 100 milhões de francos, que emitia notas. A França detinha, antes da Revolução, metade do numerário existente na Europa. E, desde a morte do rei Luís XIV (1643-1715), o comércio exterior tinha mais do que duplicado. No entanto, no período pré-revolucionário, o comércio e a indústria tiveram os negócios estagnados: empresas fecharam, aumentando o desemprego. O clima de ebulição social proporcionava o surgimento de insurreições populares.

Por outro lado, a França ainda vivia uma monarquia com um rei (Luís XVI) que detinha o poder absoluto e com uma camada de privilegiados que viviam em torno dele, sem pagar impostos. Trata-se do clero (então denominado Primeiro Estado) e da nobreza (Segundo Estado), que viviam à custa do povo (Terceiro Estado) que, só ele, era obrigado a pagar impostos para sustentar a máquina do Estado e os privilégios, apesar de ser 97% da população (formada por camponeses, pequenos proprietários de terras, servos, artesãos e burguesia). Além disso, no meio rural ainda remanescia o feudalismo, com a opressão dos trabalhadores que serviam aos senhores da terra.

Ao mesmo tempo, esse mesmo cenário abrigava uma plêiade de grandes pensadores como Montesquieu (1689-1755), d'Alembert (1717-1783), Voltaire (1694-1778) e Rousseau (1712-1778), entre outras expressões do “Iluminismo”. Essa corrente de pensamento abriu caminho para uma busca por liberdades e para uma maior “felicidade” do ser humano, se se pode chamar assim, no qual centrava suas ideias. Isso teria consequências sobre o sistema político, a monarquia e o sistema social vigentes. Pensadores esses que visavam iluminar pela razão as "trevas" em que vivia a sociedade na Idade Média. O século XVIII ficou conhecido como o Século das Luzes.

Evolução
Mesmo assim, a França já havia experimentado uma evolução considerável nos anos anteriores: não havia censura, a tortura fora proibida em 1788, e a representação do Terceiro Estado nos Estados Gerais (Assembleia Nacional) acabara de ser duplicada para contrariar a nobreza e o clero, que não queriam uma reforma tributária. Em 14 de julho, quando a Bastilha foi tomada pelos revolucionários, ela só abrigava sete presos.

Além desses fatores, vários outros exerceram influência sobre a Revolução Francesa. Entre eles estão: a independência dos Estados Unidos da América, declarada em 1776, e a já centenária evolução dos direitos sociais na Inglaterra que, já naquela época, vivia sob sistema de monarquia parlamentarista, que se mantém vivo até os dias atuais.

O fato de a Revolução Francesa ter rompido radicalmente com um sistema estabelecido há pelo menos cinco séculos levou muitos pensadores a dizer que a ela não foi só um movimento nacional, mas que se trata de uma evolução de caráter supranacional. Essa afirmação é tão verdadeira que, até hoje, os ideais da Revolução Francesa ecoam nas Constituições de todos os países democráticos do mundo, entre elas a brasileira.

Direitos Humanos
A maior singularidade da Revolução Francesa foi seu avanço em termos de direitos humanos, e nisto a França se distingue claramente da Inglaterra, que havia progredido mais em termos de direitos políticos e sociais.

No mesmo ano da eclosão da Revolução Francesa, foi divulgada a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, promulgada pela Assembleia Nacional Francesa em 26 de agosto de 1789, definindo os direitos inerentes à pessoa humana hoje inscritos em todas as Constituições democráticas contemporâneas ocidentais.

Fonte: site do Supremo Tribunal Federal

Link para o site França.br :
http://anodafrancanobrasil.cultura.gov.br

Wenndell Amaral

14 de jul de 2009

Teatro:

Teatro Alagoano para todos nós: A Companhia Ganymedes, apresenta o Projeto Repertório, unindo nele a apresentação de duas peças, O Mágico e As Muitas Últimas Coisas.



A Companhia Ganymedes foi formada no ano de 2006, estreando com a peça O Mágico, em 2007. Após a bem sucedida estreia com O Mágico, contando ainda com uma segunda temporada no ano seguinte, a Cia. Ganymedes criou a peça As Muitas Últimas Coisas, agora junta esses espetáculos no Projeto Repertório, onde o espectador compra 1 ingresso e assiste 2 peças.

Saiba mais a seguir sobre os espetáculos, quando e onde das apresentações, os elencos etc.

O Mágico
O espetáculo baseia-se na obra Mario e o mágico, do alemão Thomas Mann, publicada primeiramente em 1930 e considerada uma das duas grandes novelas italianas do autor; a outra é Morte em Veneza. Como diz Jacques Brenner em prefácio à obra, Mario e o mágico seria uma história politicamente engajada e que simbolizaria a instalação do fascismo na Itália depois da Primeira Guerra Mundial.

Mais informações no blog da peça:
http://www.ciaganymedes-omagico.blogspot.com

As Muitas Últimas Coisas
O espetáculo, fruto da criação coletiva do grupo de atores da Cia. Ganymedes, traz à cena quatro personagens que vivem confinadas em um manicômio. Nesse espaço, distantes do mundo exterior, elas têm apenas umas às outras; têm apenas suas dores, fomes, perdas. Isoladas, e com as forças que lhes restam, elas se agarram febrilmente ao que têm, mesmo que tudo o que lhes tenha sobrado seja apenas fruto de sua imaginação.

Saiba muito mais no blog da peça:
http://www.ciaganymedes-asmuitasultimascoisas.blogspot.com

Serviço:
PROJETO REPERTÓRIO

Um ingresso = Dois espetáculos

Sexta-feira (07 de agosto): O Mágico
Sábado (08 de agosto): As Muitas Últimas Coisas
Local: Teatro de Arena Sérgio Cardoso, anexo do Teatro Deodoro, Maceió/AL
Horário: 20h00
Ingresso: R$ 15,00 (inteira) e 7,50 (meia)

Agradecimentos ao Nilton Resende.

Wenndell Amaral

Um Viva à Nossa Educação


Faixa exposta ao lado do Hiper Bompreço no bairro do Farol em Maceió/AL.

Calyson Geijine

13 de jul de 2009

Profissionais aderem ao “jornalismo em pílulas”, estilo Twitter*

O respeitado jornal norte-americano The Christian Science Monitor publicou um artigo em sua página de opinião sugerindo que o prêmio Nobel da Paz de 2009 seja concedido ao Twitter, um programa de micromensagens com até 140 caracteres que está revolucionando a política mundial.

O programa lançado em 2006, para circular mensagens tanto pela Web como pelos celulares, bateu todos os recordes de popularidade na Web, tornando-se o terceiro site mais visitado da rede, com cerca de 55 milhões de acesso mensais e um índice de crescimento estimado em 1.382%, em fevereiro de 2009.

Continue lendo.

*Artigo publicado no blog Código Aberto, do jornalista Carlos Castilho, no site do Observatório da Imprensa.

A imagem acima é uma criação do movimento #forasarney no Twitter, no qual milhares de adeptos se uniram para protestar virtualmente contra o atual presidente do Senado, José Sarney.

Wenndell Amaral

A Coragem da Covardia

Você sabe o que é a coragem da covardia?
Então vou explicar através de poesia.

Quando a gente tem que escolher
Entre o presente e o futuro
O conhecido e o desconhecido
O seguro e o inseguro
Geralmente de início
Ficamos em cima do muro
Entramos num beco sem saída

A insegurança nos consome
Forma-se um conflito interno
Conhecido por este nome
Se correr o bicho pega
E se ficar o bicho come

O futuro é desconhecido
E mete medo na gente
A coragem da covardia
Impede de irmos em frente
Fugimos então do futuro
E vegetamos no presente

Permanecendo na mesmice
Ficamos aprisionados
Sentindo a dor na alma
Por termos nos acovardado
Pela coragem de ser covarde
Pagamos um preço elevado

“Covardia, não é medo de enfrentar o novo, o desconhecido que insegurança está nos causando. Covardia, é ter coragem de permanecer no velho, no desconforto emocional que está nos aprisionando”.

É NECESSÁRIO TER MUITA CORAGEM PARA PERMANECER NA COVARDIA.

Dr. Jacinto Martins
Psicólogo Acupunturista

Fonte: Blog A Palavra

Bela poesia, recheda de ironia, que cai como uma luva nesta cidade que parece sofrer de anemia!

Walter Jr

12 de jul de 2009

MÚSICA: Chico Science & Nação Zumbi

-Chico Science & Nação Zumbi
-Da Lama ao Caos

Tambores-trovões, guitarras (pesadas, distorcidas, dubnianas, funkeadas, e também psicodélicas), percussão típica do maracatu pernambucano, assentados sobre linhas de baixo firmes e suingadas, incorporadas com o vocal repenteado de Chico Science que assimilava e cuspia de forma única o mundo moderno — opressor, violento e desigual — de uma metrópole do terceiro mundo nas suas letras, dão a Da Lama ao Caos todo o reconhecimento que o disco merece; não só aqui no Brasil — desde sempre os gringos europeus se encantaram pelo paredão estético sonoro inigualável que e ex-funcionário público e sua trupe conseguiam criar.

Ninguém nunca havia ouvido algo parecido. Um estilo de música estava sendo forjado entre as fornalhas dos mangues recifenses para tomar o mundo! A esse estilo deu-se (não sei quem) o nome de mangue-beat; denominação também dada ao movimento de bandas recifenses que saiam da toca junto com a Nação (para citar alguns: Mundo Livre S/A, Sheik Tosado). Chico ainda lançaria com a Nação mais um trabalho inédito e de mesma ou até melhor qualidade, mas Da Lama ao Caos foi um marco na música por seu ineditismo, ousadia. Marco esse que antecipou outro: a morte de Science num acidente de carro. CS&NZ em pouco tempo transformou a música nacional.

Depois de sua morte a Nação Zumbi começou a trilhar seu próprio caminho com o percussionista Jorge du Peixe assumindo os vocais e mantendo sua legião de fãs tanto por aqui quanto lá fora. Nada disso teria existido sem Da Lama ao Caos, que neste ano completa 15 anos de lançamento. Um disco necessário. Clique aqui para baixar as músicas.

Texto extraido da edição (impressa) nº 2 do Tempo Moderno. Clique aqui e tenha acesso a essa e outras edições em PDF.

PS: É NECESSÁRIO CRIAR UMA CONTA NO 4SHARED.COM PARA BAIXAR ARQUIVOS. É FÁCIL E RÁPIDO.

Lista das Músicas:

01. (Monólogo ao Pé do Ouvido) Banditismo Por Uma Questão de Classe
02. Rios, Pontes e Overdrives
03. A Cidade / Boa Noite do Velho Faceta
04. A Praieira
05. Samba Makossa
06. Da Lama ao Caos
07. Maracatu de Tiro Certeiro
08. Salustiano Song (Instrumental)
09. Antene-se
10. Risoflora
11. Lixo do Mangue (Instrumental)
12. Computadores Fazem Arte
13. Coco Dub (Afrociberdelia)


Walter Jr

EMAIL:

Reciclagem de pilhas e óleo usado em Maceió

enviado por Tony Rafael

Agora já temos onde levar pilhas/baterias e óleo de cozinha para reciclar! É isso mesmo! A partir de agora as Agências do Banco Real e as lojas do Pão de Açúcar (EXTRA) estão com programa de reciclagem.

Sabe aquelas pilhas e baterias usadas que não sabemos o que fazer com elas? Pois é, agora está fácil! Basta levá-las a qualquer agência do Banco Real e colocá-las no Papa- pilhas. Este é mais um programa de reciclagem promovido pela instituição.

As pilhas e baterias de celulares, câmeras digitais, controle remoto, relógios, etc, etc... contém materiais que contaminam o solo e os lençóis freáticos deixando-os impróprios para utilização, podendo provocar problemas à saúde, como danos para os rins, fígado e pulmões. São eles: cádmio, mercúrio, níquel, chumbo, etc.

Não esqueça: o Papa-pilhas está disponível em todas as unidades do Banco Real.

Também já temos onde levar o ól eo de cozinha usado para reciclar! As lojas do Pão de Açúcar (do EXTRA também), que já reciclam outros tipos de lixo, como papel, vidro, plástico e metal, reciclarão também óleo de cozinha!

Você sabia que apenas 1 litro de óleo despejado no esgoto polui cerca de um milhão de litros de água ou o que uma pessoa consome em 14 anos de vida? E ainda provoca a impermeabilização dos leitos e terrenos próximos, contribuindo para a ocorrência de enchentes.

Como fazer:

Depois que o óleo usado esfriar, armazene em uma garrafa plástica daquelas de 2 litros, se possível transparente. Tampe bem a garrafa e deposite-a no coletor de lixo de cor marrom da loja Pão de Açúcar (e EXTRA), indicado para esta finalidade.

Todo óleo de cozinha coletado será encaminhado pela cooperativa às empresas recicladoras, que o utilizarão como matéria-prima para a produção de biocombustível.

Independentemente disso, pare imediatamente de jogar óleo pelo esgoto. Armazene em garrafas e jogue no lixo reciclável, e não nos rios!

Se você quer ajudar mais:

Divulgue este e-mail pa ra todos os seus contatos, orkut, etc. Pegue folhetos informativos nas lojas Pão de Açúcar (de onde foi tirado este texto) e distribua para vizinhos, amigos e parentes). É assim que ajudamos o planeta!

"Exigir muito de si e esperar pouco dos outros" - Confúcio.

11 de jul de 2009

Biblioteca Pública

O governo federal irá zerar o número de municípios sem bibliotecas este ano. De acordo com o Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas, 661 municípios ainda não têm esses equipamentos.

No página na internet do Ministério da Cultura há um link do projeto Mais Cultura onde se pode informar via e-mail as cidades onde não existe biblioteca pública, para, dessa forma, o governo federal implantar na cidade o espaço com todos os equipamentos necessários. Cidades alagoanas como, por exemplo, Feira Grande, Junqueiro, Teotônio Vilela e Santana do Mundaú, constam na lista do governo. União dos Palmares não aparece na lista.

Enviei um e-mail relatando a situação de nossa cidade. União dos Palmares tem (ou tinha até pouco tempo atrás) uma bliblioteca municipal, porém com um espaço físico não muito convidativo, com acervo deficiente, entre outros problemas. Com a participação do governo federal, essa bliblioteca poderia melhorar de forma considerável. Envie também um e-mail para o endereço biblioteca@cultura.gov.br e avise que União necessita de uma biblioteca pública. Se você não é de União, veja a relação das cidades, verifique se a sua aparece lá, caso contrário, envie também um e-mail para o governo.

Alô Secretaria Municipal de Cultura! Vocês tem alguma informação sobre essa questão? Sobre esse projeto? Já tam alguma coisa sendo feita? Como está a situação da bliblioteca municipal de União? Enviem um e-mail para o Tempo Moderno, a sociedade palmarina gostaria muito de ter informações sobre isso.
Wenndell Amaral

10 de jul de 2009

Série Especial: Filosofia - p.5

V - Sofistas

Os sofistas se compunham de grupos de mestres gregos que viajavam de cidade em cidade realizando aparições públicas (discursos, etc) para atrair estudantes, de quem cobravam taxas para oferecer-lhes educação. O foco central de seus ensinamentos concentrava-se no logos ou discurso, com foco em estratégias de argumentação.

Os mestres sofistas alegavam que podiam “melhorar” seus discípulos, ou, em outras palavras, que a “virtude” seria passível de ser ensinada. Protágoras (481 a.C.-420 a.C.), Górgias (483 a.C.-376 a.C.), e Isócrates (436 a.C.-338 a.C.) estão entre os primeiros sofistas conhecidos.Diversos sofistas questionaram a propalada sabedoria recebida pelos deuses e a supremacia da cultura grega (uma idéia absoluta à época).

Argumentavam, por exemplo, que as práticas culturais existiam em função de convenções ou “nomos”, e que a moralidade ou imoralidade de um ato não poderia ser julgada fora do contexto cultural em que aquele ocorreu. Tal posição questionadora levou-os a serem perseguidos, inclusive, por aqueles que se diziam amar a sabedoria: os filósofos gregos.

A conhecida frase “o homem é a medida de todas as coisas” surgiu dos ensinamentos sofistas. Uma das mais famosas doutrinas sofistas é a teoria do contra-argumento. Eles ensinavam que todo e qualquer argumento poderia ser contraposto por outro argumento, e que a efetividade de um dado argumento residiria na verossimilhança (aparência de verdadeiro, mas não necessariamente verdadeiro) perante uma dada platéia.

Os Sofistas foram os primeiros advogados do mundo, ao cobrar de seus clientes para efetuar suas defesas, dada sua alta capacidade de argumentação. São também considerados por muitos os guardiões da democracia na antiguidade, na medida em aceitavam a relatividade da verdade. Hoje, a aceitação do "ponto de vista alheio" é a pedra fundamental da democracia moderna.

Sofística era originalmente o termo dado às técnicas ensinadas por um grupo altamente respeitado de professores retóricos na Grécia antiga. O uso moderno da palavra, sugestionando um argumento inválido composto de raciocínio especioso, não é necessariamente o representante das convicções do sofistas originais, a não ser daquele que geralmente ensinaram retórica. Os sofistas só são conhecidos hoje pelas escritas de seus oponentes (mais especificamente, Platão e Aristóteles) que dificulta formular uma visão completa das convicções dos sofistas.

Os sofistas são os primeiros a romperem com a busca pré-socrática por uma unidade originária (a physis) iniciada com Tales de Mileto e finalizada em Demócrito de Abdera (que embora tenha falecido pouco tempo depois de Sócrates, tem seu pensamento inserido dentro da filosofia pré-socrática).

A principal doutrina sofística consiste, em uma visão relativa de mundo (o que os contrapõe a Sócrates que, sem negar a existência de coisas relativas buscava verdades universais e necessárias). A principal doutrina sofística pode ser expressa pela máxima de Protágoras: "O homem é a medida de todas as coisas".Tal máxima expressa o sentido de que não é o ser humano quem tem de se moldar a padrões externos a si, que sejam impostos por qualquer coisa que não seja o próprio ser humano, e sim o próprio ser humano deve moldar-se segundo a sua liberdade.

Outro sofista famoso foi Górgias de Leontini, que afirmava que o 'ser' não existia. Segundo Górgias, mesmo que se admitisse que o 'ser' exista, é impossível captá-lo. Mesmo que isso fosse possível, não seria possível enunciá-lo de modo verdadeiro e, portanto, seria sempre impossível qualquer conhecimento sobre o 'ser'. Estas visões contrastantes com a de Sócrates (que foram adotadas também por Platão e Aristóteles, bem como sua "luta" anti-sofista) somada ao fato de serem estrangeiros - o que lhes conferia um menor grau de credibilidade entre os atenienses - contribuiu para que seu pensamento fosse subvalorizado até tempos recentes.

Moral, Direito, Religião

A sofística sustenta o relativismo prático, destruidor da moral. Como é verdadeiro o que tal ao sentido, assim é bem o que satisfaz ao sentimento, ao impulso, à paixão de cada um em cada momento. Ao sensualismo, ao empirismo gnosiológicos correspondem o hedonismo e o utilitarismo ético: o único bem é o prazer, a única regra de conduta é o interesse particular.

Górgias declara plena indiferença para com todo moralismo: ensina ele a seus discípulos unicamente a arte de vencer os adversários; que a causa seja justa ou não, não lhe interessa. A moral, portanto, - como norma universal de conduta - é concebida pelos sofistas não como lei racional do agir humano, isto é, como a lei que potencia profundamente a natureza humana, mas como um empecilho que incomoda o homem.

Desta maneira, os sofistas estabelecem uma oposição especial entre natureza e lei, quer política, quer moral, considerando a lei como fruto arbitrário, interessado, mortificador, uma pura convenção, e entendendo por natureza, não a natureza humana racional, mas a natureza humana sensível, animal, instintiva. E tentam criticar a vaidade desta lei, na verdade tão mutável conforme os tempos e os lugares, bem como a sua utilidade comumente celebrada: não é verdade - dizem - que a submissão à lei torne os homens felizes, pois grandes malvados, mediante graves crimes, têm freqüentemente conseguido grande êxito no mundo e, aliás, a experiência ensina que para triunfar no mundo, não é mister justiça e retidão, mas prudência e habilidade.

Então a realização da humanidade perfeita, segundo o ideal dos sofistas, não está na ação ética e ascética, no domínio de si mesmo, na justiça para com os outros, mas no engrandecimento ilimitado da própria personalidade, no prazer e no domínio violento dos homens. Esse domínio violento é necessário para possuir e gozar os bens terrenos, visto estes bens serem limitados e ambicionados por outros homens. É esta, aliás, a única forma de vida social possível num mundo em que estão em jogo unicamente forças brutas, materiais. Seria, portanto, um prejuízo a igualdade moral entre os fortes e os fracos, pois a verdadeira justiça conforme a natureza material, exige que o forte, o poderoso, oprima o fraco em seu proveito.

Quanto ao direito e à religião, a posição da sofística é extremista também, naturalmente, como na gnosiologia e na moral. A sofística move uma justa crítica, contra o direito positivo, muitas vezes arbitrário, contingente, tirânico, em nome do direito natural. Mas este direito natural - bem como a moral natural - segundo os sofistas, não é o direito fundado sobre a natureza racional do homem, e sim sobre a sua natureza animal, instintiva, passional. Então, o direito natural é o direito do mais poderoso, pois em uma sociedade em que estão em jogo apenas forças brutas, a força e a violência podem ser o único elemento organizador, o único sistema jurídico admissível.

Fonte: Ateus.net / Wikipedia / Pensando Melhor: Iniciação Ao Filosofar de Angélica Sátiro e Ana Miriam Wuensch
Walter Jr

ÚLTIMAS:

Lula fecha olhos para escândalos quando lhe convém, diz 'Economist'

O revista britânica The Economist diz na edição que chegou às bancas nesta sexta-feira que os escândalos do Senado brasileiro são um lembrete das falhas cometidas por aliados do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da "disposição de Lula em fechar os olhos para escândalos quando lhe convém". O artigo é intitulado "Casa dos Horrores", em uma referência ao Senado, "que tem 81 membros mas, de algum modo, requer quase 10 mil funcionários para cuidar deles". Muitos dos funcionários da Casa, segundo a revista, "foram apontados como favores a amigos dos senadores ou simpatizantes políticos". "Muitos senadores, de todo o espectro político, cometeram erros. Quando o líder do opositor PSDB foi passear em Paris, por exemplo, o Senado pagou a conta do hotel. (Ele diz que foi um 'empréstimo'). Então parece injusto que Sarney seja o único pressionado a renunciar", diz a Economist. O artigo ainda comenta outros deslizes de José Sarney, mas afirma que ele é "um sobrevivente" e "provavelmente vai manter seu posto", justamente por ainda ter poder dentro do PMDB e ser aliado de Lula. "Lula disse que Sarney merece mais respeito e culpou a imprensa por inflar o escândalo. Mas no momento em que a economia está apenas emergindo de uma recessão, a saga dos 'atos secretos' lembra os brasileiros que seus políticos nunca impõem austeridade a si mesmos", afirma a Economist.

Fonte: BBC Brasil


---

Potências desistem de reduzir CO2 pela metade até 2050

As principais potências econômicas do mundo não conseguiram chegar nesta quarta-feira a um acordo para reduzir as emissões de gases causadores do efeito estufa pela metade até 2050, impondo um revés aos esforços para firmar um novo pacto climático da ONU. As conversações entre representantes do Fórum de Grandes Economias (MEF, na sigla em inglês), formado por 17 países que são responsáveis por 80 por cento das emissões globais de gases estufa, atolaram durante a madrugada, depois de China e Índia terem se colocado contra qualquer menção a uma meta de reduções, disse à Reuters uma fonte bem informada sobre as negociações.

Fonte: Reuters

---

Livro denuncia máfia dos jogos arranjados e faz alerta sobre Copa de 2010, na África do Sul

A pouco menos de um ano para o pontapé inicial da 19ª Copa do Mundo, o jornalista canadense Declan Hill tem uma certeza: se a Fifa não fizer algo para proteger o futebol, a competição na África do Sul terá jogos com resultados arranjados. Autor do explosivo livro "The Fix - soccer and organized crime" (ainda sem tradução para o português), lançado em setembro de 2008, Hill passou quatro anos e meio investigando as relações do esporte com o crime organizado. E descobriu como opera a máfia cuja base se concentra nas bolsas de apostas asiáticas e que, segundo ele, "fabricou" os resultados de quatro jogos do Mundial de 2006, na Alemanha. Inclusive o que fez de Ronaldo o maior artilheiro da história das Copas, na vitória da seleção brasileira por 3 a 0 sobre Gana. O combinado com alguns jogadores ganeses, conforme apurou Hill, era o Brasil vencer por dois ou mais gols de diferença.

- Eu acho que deveria haver uma investigação policial sobre os eventos que ocorreram na Copa do Mundo. Sabemos que, certamente, havia apostadores atuando na Copa. E que certamente eles abordaram os jogadores para armar partidas. Sabemos também que esses apostadores vêm atuando em todos os torneios internacionais. Apostadores estiveram atuando na última Copa do Mundo. Tudo isso é fato e eu tenho os documentos e as fitas que comprovam - diz o jornalista, em entrevista por e-mail ao site do GLOBO.

Leia aqui a entrevista e reportagem completa com o jornalista canadense Declan Hill.

Apareceu uma prova concreta para aquilo que muitos já desconfiavam, desde da derrota do Brasil pra aquele timinho francês na Copa de 98. Tô fora, pra mim já basta a CBF roubando pro São Paulo, Flamengo e Corinthians.

Walter Jr