Blogroll

17 de nov de 2011

Sim! Tirar a roupa também serve como protesto

Algo que para nós, brasileiros, já é rotina, lá no Egito é totalmente inaceitável para a maioria: a nudez. A estudante universitária, de 20 anos, Aliaa Magda Elmahdy, criou um blog (http://arebelsdiary.blogspot.com/?zx=ab631a5707e38468) e postou fotos suas, totalmente despida, e outras imagens na mesma toada, em protesto à falta liberdade de expressão em seu país. O que vocês acham?

No início de 2011, o povo do Egito foi pioneiro ao se revoltar contra o ditador Hosni Mubarak. Os fatos ocorridos foram taxados propriamente, talvez, de revolução egípcia de 2011. Os protestos se concentravam basicamente atacando a  violência policial, leis de estado de exceção, desemprego, baixa renda, falta de moradia, inflação, corrupção, falta de liberdade de expressão e más condições de vida.

Atualmente o Egito é governado por uma junta Junta Militar. Será que algo mudou desde a queda de Mubarak?

Pode parecer simplório ou até desnecessário e estúpido o ato da garota, porém, para eles esse tipo de protesto tem grande significância. Nossos olhos ocidentais norte americanizados não têm pudor, mas são topados de falso moralismo. A liberdade, em grande parte do mundo moderno, na verdade não existe.

Atirar uma pedra, despir-se das vestimentas, bradar uma frase de protesto. Não há diferença quando se está indignado.

16 de nov de 2011

A careca do Lula

Lula sem barba! Sim, o ex-presidente recordista de popularidade está desbarbado e careca. Algo nunca antes visto na história desse país desde sua aparição para a polícia nos anos setenta. Luiz Inácio Lula da Silva coerentemente passou a lâmina nos cabelos e na barba para evitar a queda em decorrência da quimioterapia.


É uma imagem que chama atenção. Para mim essa imagem é uma alegoria do rumo que nosso país tomou desde o início da chamada era democrática, talvez iniciada com o impeachment de Fernando Collor. Alegoria de uma democracia capitalista fervorosa, invejosa, sem pulso, precária, mas com uma ótima propaganda.

Foto: Instituto Lula.

30 de out de 2011

Imprensa Oficial divulga resultado do Prêmio Alagoas de Histórias em Quadrinhos

A Imprensa Oficial Graciliano Ramos divulgou no último dia 29, em seu estande na V Bienal Internacional do Livro de Alagoas, o resultado do Prêmio Alagoas de Histórias em Quadrinhos. É a primeira vez que a Imprensa Oficial realiza o concurso. O objetivo é garantir a publicação de histórias em quadrinhos (HQs) inéditas, escritas e ilustradas por autores alagoanos ou radicados em Alagoas, contribuindo, desta forma, para o fortalecimento e a diversificação da produção literária no Estado.

As HQ selecionadas serão publicadas em um volume, a ser lançado em 2012, garantindo sua publicação através da comercialização em livrarias, revistarias e na loja virtual da Imprensa Oficial Graciliano Ramos. Nesta primeira edição, o prêmio obteve 17 trabalhos inscritos. A comissão julgadora selecionou sete HQs. São elas:

1. Menino Cuscuz, de Alexandre Carlos Azevedo
2. Preto que nem Carvão, de Amaro Xavier Braga Júnior e Mariana Petróvana Ferreira da Silva
3. Histórias de Alexandre, de Daniel Emílio Contin
4. Pega, de Izael Gomes
5. Sorte Grande, de Kleber Lessa e Yuri d’Magalhães
6. Orquídea, de Michel Alves Pereira
7. Starknight, de Mizael de Souza Oliveira


Fonte: Imprensa Oficial Graciliano Ramos.

19 de out de 2011

Wagner Moura grava vídeo contra o desmatamento e a nova lei ambiental

A pedido do cineasta Fernando Meirelles, personalidades gravam videodepoimentos contra as alterações da lei ambiental no país. O ator Wagner Moura estava em Los Angeles, nos Estados Unidos, quando recebeu um e-mail do diretor de Cidade de Deus para participar de um novo projeto. Ao contrário das grandes produções audiovisuais para as quais o artista está acostumado a ser escalado, o convite se resumia a um apelo simplório: gravar um depoimento que pudesse contribuir com a campanha #florestafazadiferença.



Lançada em junho, a mobilização é uma iniciativa do Comitê Brasil em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável, formado por 152 organizações da sociedade civil brasileira. Os envolvidos reivindicam que o projeto de lei para a alteração do Código Florestal Brasileiro, aprovado pela Câmara dos Deputados em maio deste ano, seja recusado pelo Senado. Além de Moura, Gisele Bündchen, Alice Braga, Marcos Palmeira, Bruna Lombardi, Rodrigo Santoro, Denise Fraga, Felipe Camargo e Fernanda Torres estão entre os que voluntariamente contribuíram com a causa.

Fonte: Blog Direito do Povo 

É muito bom ver "artistas" colocando a cara na linha de frente e mostrando suas opiniões, tendo posicionamento sobre assuntos relevantes para a sociedade brasileira. O Brasil precisa de mais disso.

17 de out de 2011

Série: Misfits

Imagine um grupo de jovens mal alocados na vida que por um evento natural ganham 'poderes'. Essa é parte da premissa do seriado Misfits, que vai para sua 3ª temporada, tendo iniciado em 2009. É uma série britânica, sem limitações para trocadilhos infames, linguagem chula e muitos diálogos divertidos. 

A questão dos poderes especiais é um detalhe. O que mais chamou minha atenção em Misfits foi a abordagem dos relações humanas entre os jovens protagonistas da série. Como eles lidam com suas vidas, com as frustrações ou com o difícil temperamento de cada um. É um bom relato da adolescência/juventude. E juntando a isso poderes especiais estranhos e descabidos... Só poderia dar em uma ótima diversão passageira televisiva. Sem falar da empolgante música de abertura 'Echoes', da banda Rapture, a qual, confesso, toda vez que ponho um episódio pra passar quase me faz levantar e sair pulando.

Misfits nos mostra cinco jovens que estão no serviço social e certo dia são atingidos por um raio, dai ganham poderes especiais. Kelly ganha a habilidade de ler os pensamentos alheios, Curtis pode voltar no tempo, Alisha coloca as pessoas em um frenesi sexual quando é tocada, e Simon pode tornar-se invisível. O personagem Nathan apenas no final da primeira temporada descobre seu poder, imortalidade.

Em relação a esse último personagem, Nathan, posso afirmar que é um dos mais bem elaborados dos seriados que já assisti. Sua construção é hilária. São dele os diálogos e frases mais loucas e quase todos os bons momentos da série. Para a terceira temporada o personagem não voltará, foi-lhe dado um desfecho em Las Vegas, sendo preso e provavelmente apodrecerá na cadeia. Oficialmente o ator que interpreta Nathan divulgou que estava no momento de alçar novos vôos na carreira.

Na primeira temporada é mostrado o momento em que os jovens delinquentes são atingidos durande uma terrivel tempestade. O tempo passa e o grupo começa a descobrir seus poderes. Engraçado é acompanhar Nathan convencido de que ele também deve ter um poder e passando a maior parte da temporada tentando descobrir qual poder ganhou. Essa temporada de estreia é cheia de mortes, traminhas para que não descubram seus poderes e é onde também começamos a perceber a relação de cada um entre si e com seus novos atributos sobrenaturais.

Na segunda temporada Um misterioso "ninja" aparece várias vezes, ajudando os jovens em diversas situações complicadas. O tal ninga é o personagem Simon que diz vir do futuro. Os acontecimentos da segunda série início imediatamente após o final da primeira temporada, composta de sete episódios, incluindo o especial de Natal. Essa temporada deixa a peteca cair um pouco, mas perto do fim retoma o ritmo da primeira com grandes cenas.

A terceira temporada foi anunciada pelos produtores, mas ainda não tem data de estreia divulgada. Misfits começou a ser exibido no Brasil no canal fechado Multishow, o qual exibiu a 1ª temporada completa.

14 de out de 2011

Tempo Moderno está entre os 5 finalistas do Prêmio Alagoano de Blogs


Nosso blog, com a ajuda de todos vocês, está entre os finalistas do II Prêmio Alagoano de Blogs na categoria Arte e Cultura. A entrega do caneco acontecerá no próximo dia 20, num grande evento no Maikai Show Bar. Tudo mundo fazendo "figuinha" hahaha. Obrigado a todos. Grande abraço.

---

O principal objetivo é inserir as pessoas, atraves de seus blogs, em atividades que fomentem a cultura, o desenvolvimento social, cultural e a inclusão digital do estado de Alagoas. Queremos ser reconhecidos como um estado que, apesar de tanta violência e problemas governamentais (como tantos outros no Brasil), tem um povo integrado e unido também pela cultura digital! A criação do premio deve servir de estimulo ao aperfeiçoamento dos blogs, a leitores cada vez mais exigentes, a um público que sabe buscar informação além daquela que nos é imposta pelos meios tradicionais de comunicação.

Walter A.
@walter_blogTM / wjr_stoner@hotmail.com

9 de out de 2011

Filme: A Rede Social

[The Social Network], 2010.
Dir.: David Fincher
Elenco: Jesse Einsenberg, Andrew Garfield, Justin Timberlake
Dur.: 121min.

Quando li as primeiras notícias sobre o "filme do Facebook" que pipocaram na net confesso que senti enjoo... Um filme sobre um site de relacionamentos que, ironicamente, atrapalha a vida social das pessoas?! Isso eu tenho que ver... Meu ceticismo/cinismo durou apenas alguns segundos do trailer oficial que catei no Youtube [clique aqui para assitir].

A película do renomado diretor David Fincher [Alien 3, Seven, Clube da Luta, O Curioso Caso de Benjamin Button] é uma obra prima contemporânea: enquanto que em seus filmes anteriores Fincher abusava da ficção e do realismo fantástico para tornar atrativo sua percepção dos dramas existenciais inerentes a nós, frágeis humanos, em A Rede... ele deixa a ficção e cai num redemoinho realista para contar-nos uma história real, porém repleta de fatos que pareceram tirados de um filme de... David Fincher.

Mark Zuckerberg [Jesse Eisenberg] era um jovem antisocial, o clássico nerd. De tanto reclamar da vida e se isolar em seu próprio mundo, Mark termina levando um fora da namorada e para se vingar cria uma pequena pagina com brincadeiras de mal gosto sobre a garota. Pagina essa que era a essência do que hoje é o Facebook.

Contratado para elaborar um site que emulava o tão famoso Livro dos Estudantes [facebook] norte-americanos, o mesmo "inspira-se" e cria o site/empresa que hoje vale mais de 500 milhões de dólares ao passo que arruma alguns inimigos [entre eles um brasileiro deslumbrado] que valem por muitos. Com certeza a história por trás do Facebook é bem mais interessante do que o próprio site. Imperdível.

Walter A.
@walter_blogTM / wjr_stoner@hotmail.com

7 de out de 2011

Estúdio Zeropixel entre os finalistas de prêmio internacional

O estúdio de design Zeropixel, parceiro do blogue Tempo Moderno, está concorrendo a um concurso mundial promovido pela marca de camisetas Uniqlo e pela Coca-Cola. O prêmio consiste em estampar uma camiseta com uma ilustração baseada na marca de refrigerantes para todo o planeta ver.
O Zeropixel, se você ainda não conhece, é formado por Carlyson Oliveira, Bruno Clériston e Maclévison Gyovanni. Trabalham com a criação de design, ilustrações e montagem de sites na web. Entre mais de 6 mil trabalhos de todo o mundo inscritos, o do trio alagoano ficou entre os 100 finalistas no concurso Uniqlo/Coca-Cola . 

A imagem ao lado é a arte que está concorrendo. Clique para visualizar melhor.

A votação vai até o próximo dia 18. Depois será feita a apuração e anunciados os vencedores. O trabalho classificado em 1º lugar, que será anunciado no Japão, ganhará um prêmio de 10 mil dólares. 

Para dar a merecida força ao estúdio Zeropixel clique aqui e comece a votar.
Basta esperar carregar a página, começar a contagem e escolher a camiseta!

Mais informações no endereço: http://www.zeropixel.com.br/blog/

6 de out de 2011

Programa Pense Nisso na rádio Zumbi

Figura antológica e ímpar do rádio alagoano, Silvio Sarmento sempre mirou alvos mais refinados do que o restante da sua geração de colegas radialistas. Buscou e conseguiu sua independência e assim, pulverizar cultura para as massas tão carente de boa música, informação, notícias, etc. Comandando a Rádio Zumbi FM, agindo como um verdadeiro agitador cultural, divulgando blogs e seus textos nas boas e velhas ondas de rádio, impulsionou a comunicação e difusãode idéias ao mesclar os blogs com o rádio convidandoblogueiros palmarinos para compor a Meza Z e tentar extrair algo positivo dos mandatários locais. No dia 23 do último mês, no Programa Pense Nisso, [no qual repercute textos que venham a somar, nos fazendo pensar] Silvio leu o nosso editorial de setembro.

Acompanhe na potente voz de Silvio Sarmento: Os Porcos Chafurdam, Cantam E Dançam No Lamaçal Que O Mundo Se Transformou.

Clique aqui para ouvir a leitura do editorial através de nosso HD Moderno.

28 de set de 2011

Santa Maria da feira

Faz tempo que não venho aqui indicar, comentar, ou tagarelar sobre alguma coisa. Esses dias, com um pouco mais de tempo, resolvi escrever alguma coisa aqui no blog. Resolvi indicar uma banda que, há muito, venho querendo comentar sobre. A banda da qual me refiro se chama “Santa Maria da feira”, composta por Rafael Arcaro, Felipe Campedelli, Rafael Senatore e Ione Dias.
Apesar do nome diferente que, às vezes, para algumas pessoas, pode parecer estranho, a banda é de uma qualidade sonora, indiscutível. Quando escutei a primeira música da banda, que encontrei por acaso na internet, achei muito interessante. Fazia tempo que não escutava músicas tão boas. De verdade.

 A banda tem influencias de: Django Reinhardt, Los Hermanos, Marcelo Camelo, Devendra Banhart, Little Joy, M. Ward, Andrew Bird, The Beatles e Caetano Veloso. Tenho certeza que todos vocês vão gostar muito dessa banda. Eu, particularmente, gostei muito e, por isso, resolvi comentar e indicar pra vocês. Espero, de verdade, que todos gostem.  A banda tem alguns clipes que são muito legais também.

http://santamariadafeira.tnb.art.br

por Bruno Madson

24 de set de 2011

TMcast #05 - O Twitter, nós mesmos e tudo mais

Olá ouvintes/leitores! Sabemos que a publicidade inicial era de um podcast por semana, mas, como todos já perceberam, não dá! ahahaha... É muita coisa acontecendo ao mesmo tempo e nossos colaboradores estão no olho do furacão do tempo, então... O TMcast dará o ar da graça sempre que possível.

E para a felicidade de toda a nação TMcastiana, estamos de volta com um episódio bem diferente dos anteriores. Wenndell Amaral, Traum Bendict e Bruno Madson conversaram sobre a ferramenta/rede social Twitter, refletiram um pouco sobre o uso dessa coisa, bem como sobre com a usam. Outros assuntos também foram interligados ao Twitter e tudo com um belo fundo musical escolhido a dedo. Escutes e saberás!

Duração: 48 minutos.



DOWNLOAD (19 MB)

Não mais comentaremos os comentários, logo você pode comentar sem medo.

Feed do TMcast para você inscrever e receber o podcast assim que ele for postado:
http://tempo-moderno.podomatic.com/rss2.xml
Feed para iTunes:
itpc://tempo-moderno.podOmatic.com/rss2.xml

Música apresentada no final do episódio: The Beatles - Revolution (Álbum Branco, 1968).

Não tivemos imagem ilustrativa deste episódio porque nosso colaborador Carlyson Oliveira está muito ocupado combatendo os plágios dos mexicanos malditos. :D

23 de set de 2011

Filme: O Profeta



O Profeta [Un Prophète], 2010.
Dir.: Jacques Audiard
Elenco: Tahar Rahim, Niels Arestrup, Adel Bencherif
Dur.: 155 min.

Quando se fala em filme francês logo vem à tona no imaginário popular imagens clichês de romances tórridos [Último Tango Em Paris] e/ou cenas brutalmente dramáticas [Reversível]. A França é um país culturalmente rico graças, assim como no Brasil, a diversidade racial: árabes, franco-italianos, franco-espanhóis e franceses "puros" compõem a colcha de retalhos que á a atual República Francesa.

A mistura [explosiva] étnica, a crise econômica que resultou na implantação do Euro e a busca pela felicidade à seu modo particular são os temas de que o filme trata: um franco-árabe, Malik El Dejebena [vivido pelo talentoso ator Tahar Rahim], é preso acusado de lesionar acintosamente policiais. Cumprindo pena no democrático sistema prisional francês, o jovem de 19 anos logo se vê compelido a escolher uma tribo mafiosa para pleitear a aceitação; por livre e espontânea pressão escolhe a dos ítalo-francos da Córsega [região a tempos conhecida pelo comércio ilícito].

Malik, sem família nem ninguém no mundo exterior, vai seguindo sua peregrinação no submundo da máfia francesa e como uma gata borralheira às avessas, vai crescendo dentro da organização criminosa mesmo com todo o preconceito e violência exalado pelos franco-italianos. Enquanto Malik enfrenta questões morais e éticas para garantir a própria sobrevivência, o destino o mostra como extrair o melhor das duras lições e ter esperança em dias melhores fora da cadeia.

O diretor Jacques Audiard usa seu filme para atestar uma antiga teoria de outro francês, o filósofo iluminista Jean Jaques Rousseau, que afirma que "o homem nasce bom, a sociedade [ou o meio em que o mesmo está inserido] o corrompe..." Não posso adiantar muitos detalhes, pois essa é uma película que tem que ser sorvida aos poucos para ser bem compreendida. Ótimo filme.

Walter A.
@walter_blogTM / wjr_stoner@hotmail.com

19 de set de 2011

Música: Pink Floyd

Pink Floyd
Echoes - 2001

O Pink Floyd dispensa apresentações. Quem nunca ouviu as melodias psicodélicas e proguessivas criadas por Roger Waters [baixo], David Gilmor (Sid Barret) [guitarras], Nick Mason [bateria] e Richard Wright [teclados]? Até os mais incaltos conseguem destinguir aos primeiros acordes de Another Brick In The Wall à quilômetros de distância...

Na época em que o TM era impresso, chegamos a fazer a resenha do disco Wish You Were Here, em relutância de resenhar o já mais que falado Dark Side Of The Moon... Ficamos também na dúvida de oferece a você leitores os álbuns Animals e The Wall... Todos clássicos da música moderna.

Sendo assim, é tarefa hercúlea indicar apenas um álbum para que as pessoas escutem devido a alta qualidade da banda... imagine então escolher um punhado de músicas para elaborar um caça-níquel tipo The Best Of...?! Como tudo que detenha o nome da empresa Pink Floyd tem obrigatoriamente que passar pelo crivo de seus acionistas majoritários [Gilmor, Mason, Wright e Waters] a coletânea inevitável ficou boa.

Mesclando músicas inéditas com as melhores faixas fisgadas das respectivas épocas da banda, Echoes - The Best Of Pink Floyd, segue um traçado linear, reconstruindo a trajetória estelar da banda. Desde o primeiro disco The Piper at the Gates Of Dawn [1967] até o último disco de inéditas Division Bells [1994], as músicas escolhidas levaram em conta todas as fases do quarteto não deixando que as doferenças pessoais entre Roger Waters e o resto do mundo afetassem o trabalho. Esse disco foi feito para que nós não mais fiquemos perdidos nos meios dos cd´s do Pink Floyd, tentando escolher apenas 1 álbum para ouvir com nossos 2 humanos ouvidos.

Clique Aqui para baixar o disco.

Walter. A.
@walter_blogTM / wjr_stoner@hotmail.com

17 de set de 2011

Últimas: Aliado de Sarney, Gastão Vieira assume vaga de Novais no Turismo

Pela quinta vez em oito meses de governo, a presidente Dilma Rousseff demitiu um de seus ministros. O titular do Turismo, deputado federal Pedro Novais (MA), que fora levado até a Esplanada abençoado pelo PMDB e por seu padrinho José Sarney, entregou sua carta de demissão por volta das 18h. No final da noite, o partido indicou, depois de uma disputa acirrada entre as facções da legenda, o deputado Gastão Vieira, também maranhense e apadrinhado do presidente do Senado. Até agora, três peemedebistas foram demitidos da Esplanada.

Fonte: G1
---

Na "faxina" de fachada do PT, entra mais um mão leve amigo de um dos grandes Mãos-leves do país! Sempre o PMDB metendo à mão na cumbuca e arrombando a boca... kkkkkkkkkkkkkk

15 de set de 2011

Cineclube Lanterna Mágica: programação do Cine Cultura

O Cineclube Lanterna Mágica encerrará neste sábado, dia 17 de setembro, o ciclo "O Olhar Feminino" no Cine Cultura com mais dois ótimos filmes. Primeiramente o curta metragem 3 Minutos (1999), de Ana Luíza Azevedo, depois com o longa Rosetta (1999), dos irmãos belgas Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne, ganhador da Palma de Ouro no Festival de Cannes de 1999.

Clique no cartaz ao lado para visualizar a programação completa e as sinopses dos filmes.

Cinecultra - Uma iniciativa do Cineclube Lanterna Mágica.
Todos os sábados, a partir das 19 horas, no Auditório da Prefeitura de União dos Palmares, entrada gratuita.

Mais informações na página do Twitter do Cineclube Lanterna Mágica.

14 de set de 2011

Editorial: e os porcos chafurdam, cantam e dançam no lamaçal que o mundo se transformou...



Resumindo, um texto não pode mudar a realidade. Uma idéia também não tem esse poder, infelismente. Idéias, textos e congêneres somentem podem mudar [para melhor ou pior] a mente dos homens. Esses sim possuem o poder de mudar a realidade. Esse era o ponto que eu queria chegar.

Ao parar para observar a fúnebre marcha da realidade pude constatar que por mais que os cidadãos pensantes se esforcem para oferecer soluções para os problemas que emperram a igualdade social, cultural e econômica, o número de cidadões empenhados em piorar tudo sempre foi e sempre será maior. Não só no Brasil, mas no mundo todo, os homens de bem seguem religiosamente a antiga fábula do beija-flor em meio ao incêndio na floresta...

Cada um faz a sua parte para apagar o incêndio causado pela má gestão pública com atitudes paliativas: pensam, escrevem, usam os meios eletrônicos para divulgar noções básicas de legalidade, moralidade, ética, etc. com o que é público. Mas, em meio a abundante pouca vergonha de nossos representantes que manipulam as massas de formas que elas mesmos não percebem, existe salvação para a corrupção que se alastra dia após dia enquanto os porcos burgueses do Congresso chafurdam, cantam e dançam com nosso dinheiro?

Os mais otimistas afirmam que sim, há jeito. Renovar os mandatários públicos seria uma opção. Os mais pessimistas [como eu], acham que não há mais jeito. Para mim o mundo passou do ponto. Revolução! Gritariam alguns... Renovação! Gritariam outros... Repetição! Grito eu. Os Estados Nacionais, soberanos, regidos por uma Constituição foram criados para serem o que são: réplicas de governo baseados em instituições que no papel, na teoria, são linda e belas, mas na prática não passam de simples engrenagens do sistema para manter a ordem social enquanto os verdadeiros donos do poder fazem o que bem entendem quando bem entendem, quase nunca levando em conta o que é bom para o cidadão. As engrenagens enferrujadas lubrificadas na base da propina que dão sustentação ao falido "sistema social" em que vivemos denominam-se: Executivo, Legislativo e Judiciário.

Teoricamente, mas bem teoricamente mesmo, existe independência entre os citados Poderes (a metafísica deve ter alguma teoria que comprove essa separação). Nossa Constituição, um conjunto de leis tão belo e fascinante quanto dúbil e utópico diz que os Poderes devem ser "independentes e harmônicos entre si". Peço licença aos queridos leitores para gargalhar! O Legislativo tem o dever constitucional de elaborar leis para melhorar e humanizar os setores de nossa vida; já o Executivo deveria elaborar modos, garantias para fazer com que essas leis fossem cumpridas e o Judiciário deveria exercer o controle em casos de discordância, caso fosse provocado.

A realidade nos mostra distorções gigantescas entre as finalidades de cada Poder e a forma como eles são geridos. As engrenagens principais do Sistema sempre lustrosas, perfeitas e infalíveis na teoria, tornam-se sujas, desgastadas e falidas na prática por mais pomposas e ricas que sejam. E isso não é culpa dos pensadores que as criaram, que fique bem claro. Filósofos e políticos antigos não conceberam conceitos tão elevados como República, Parlamento, Leis, etc. com a finalidade de pilhar suas próprias nações. A culpa é da corrupção.

Se ministros possuem empregados particulares pagos com dinheiro público, políticos espionam a vida uns dos outros, chantageiam, mentem, corrompem e nada é efetivamente feito, é porque todos - os 3 Poderes - tem interesse que as coisas assim permaneçam. O legislativo reluta em reformular as leis tornando-as mais duras; o executivo depende dessas leias brandas para "fazer o dinheiro girar"; e o Judiciário... Bem, o Judiciário é o Judiciário: aquele milenar e antiquado dinossauro narcisista que mais se preocupa em discussões acadêmicas pedantes em detrimento da verdadeira essência do Direito que é a busca da Justiça...

A Nação já acha comum esse tipo de conduta imoral que emana de nossos governantes; nossos jovens são corrompidos desde o próprio lar até a escola. Servindo de combustível para a escalada da violência que cresce a cada dia. Os ricos não se preocupam tanto com a violência pois vivem em pequenos palacetes acarpetados, cercados de muros e seguranças particulares de escolta; e você? e eu? Toda nossa negligência em tomar as rédeas das decisões de nosso país, se materializará na violência crescente cotidiana e quando despertarmos para a gravidade do problema, talvez seja tarde para reverte-lo.

Setembro, 2010.

"Estado Violência
Estado Hipocrisia
A lei não é minha
A lei que eu não queria...

Estado Violência
Deixem-me querer
Estado Violência
Deixem-me pensar
Estado Violência
Deixem-me sentir
Estado Violência
Deixem-me em paz..."

Estado Violência - Titãs

Walter A.
@walter_blogTM / wjr_stoner@hotmail.com

12 de set de 2011

I Prêmio Imprensa Maria Mariá - Melhor Blog Cultural (Júri Acadêmico)

No dia 10 de setembro de 2011 a Equipe que faz o TempoModerno esteve presente na cerimônia de premiação do I Prêmio Imprensa Maria Mariá no município de União dos Palmares/AL. O blogue concorria na categoria "Blog Cultural" onde havia duas formas de premiação, pelo voto popular e pela escolha do Júri Acadêmico. O TempoModerno foi escolhido pelo Júri Acadêmico como o melhor Blog Cultural produzido na Zona da Mata Alagoana o que lhe rendeu o Selo Imprensa da Liberdade, tendo alcançado a maior nota entre todos os sites e blogues que participaram nas diversas categorias da premiação.

Na ocasião os colaboradores Bruno Monteiro, Wenndell Amaral e Traum Bendict subiram ao palco e agradeceram - em nome de todos que fazem o TM - pela premiação, relembraram pessoas que fizeram parte da Equipe TM, assim como, aqueles que ajudaram na confecção e distribuição do Zine impresso que antecedeu a página na internet.

Foto: José Marcelo

O corpo de jurados da premiação era composto pelos jornalistas Maikel Marques e Valderi Melo, a advogada Candice Almeida, os blogueiros José Marques e Geraldo Amorim, o designer gráfico Carlyson Oliveira, o fotógrafo Luiz Carlos e o rapper Luiz Fernando.


A Equipe que faz o TempoModerno compartilha com seus leitores esse prêmio que serve de incentivo para que continuemos divulgando o que entendemos ser uma cultura de atitude.

6 de set de 2011

O Homem do Futuro - um bom meio termo

O novo filme do diretor Claudio Torres conseguiu mesclar sabiamente comédia romântica com ficção científica. O Homem do Futuro merece ser assistido porque tem boas atuações, é bem produzido e dirigido e possui um roteiro quase impecável, diverte sem ser rasteiro com nossa inteligência.
No longa, o pergonagem Zero é um professor/cientista que está trabalhando numa nova fonte de energia, mas que é amargurado pelo passado, pois nos tempos de faculdade apaixonou-se pela mulher mais bonita do curso e acabou se dando mal. Dessa forma, Zero, enquanto testava a máquina de energia que criou, acidentalmente viaja no tempo até o exato dia em que viu pela última vez sua paixão.

Fazer paralelos com outros filmes de ficção científica é quase inevitável, mas um nos é remetido claramente: De Volta Para o Futuro 1 e 2, talvez o 3. Cópia, imitação deliberada? Não sei. Tem como ser original nesse quesito? Talvez esteja mais para homenagem. Homem do Futuro tem aquele velho enredo comum das comédias brasileiras, só que com um plus de uma ficção científica embutida, e é ai que a diferença acontece.

Não se poderia falar do O Homem do Futuro e não comentar a inserção da música "Tempo Perdido" da Legião Urbana, interpretada no filme pelos atores Wagner Moura e Aline Moraes. Essa foi uma ideia por demais saudável, casou perfeitamente com a história, apesar de parecer um pouco forçada devido aos acontecimentos do próprio filme. Quem assistiu ao trailer pôde sentir o clima da cena onde podemos escutar a antológica músicas do Rentato Russo. Outra música que aparece inusitadamente é "Creep" da banda Radiohead, cantada pelo próprio Wagner Moura, e nas cenas que toca dá até pra deixar aquela lagriminha safada cair sem culpa.

O Homem do Futuro consegue ser sensato na ficção científica, pois não empurra de qualquer jeito a ideia de viajem no tempo e ainda a usa de maneira moderada, sempre no sentido de complementar o cerne da história. Os efeito especiais são pontuais e bem feitos, fazendo com que fique ainda mais crível a história. De qualquer forma, por mais ficção científica que seja, O Homem do Futuro passa as emoções naturais que um bom filme deve passar. E ai está mais um acerto desse longa, ele é mais romântico e ficção científica que comédia.

5 de set de 2011

Cineclube Lanterna Mágica: programação Cine Cultura

Na próxima exibição do projeto Cine Cultura, o cineclube Lanterna Mágica apresentará o curta Messalina (2004), de Cristiane Oliveira e o clássico longa Persona (1966), de Ingmar Bergman.

Clique no cartaz ao lado para visualizar as sinopses dos filmes.

Nesse mês de setembro o Cine Cultura focará a mulher através dos filmes exibidos. Na seção anterior o filme principal foi o arrebatador Dançando no Escuro, de Lars Von Trier. Não perca o próximo Cine Cultura!

Sábado, dia 09 de setembro.
Local: Auditório da Prefeitura de União do Palmares.
Hora: 19:00
Entrada gratuita.

31 de ago de 2011

Série Especial: Filosofia - p.9

IX

- Ceticismo
, Epicurismo e Estoicismo

A morte de Aristóteles e a decadência do Liceu [sua escola] coincidem também com a decadência grega. Apesar de exibir um avançado claro nas ciências, a filosofia evoluiu tanto que os jovens que antes eram moldados para serem atletas e/ou guerreiros, começaram a esquecerem seus músculos, trabalhando a mente, porém de forma muito egoísta e depravada. Dessa forma, a Grécia se tornou um lugar onde se pensava-se muito e lutava-se pouco; desde que éramos primatas a soberania, o domínio era imposto pelos mais fortes aos mais fracos. A Grécia acaba sendo absorvida por outros povos graças a sua evolução intelectual em detrimento da bélica. As correntes filosóficas do ceticismo, epicurismo e estoicismo traduzem a decadência política e militar da Grécia.

O ceticismo afirma que as limitações do espírito humano não permitem conhecer nada seguramente. Assim, conclui pela suspensão do julgamento e permanência da dúvida. Ao recusar toda afirmação dogmática, prega que o ideal do sábio é o total despojamento, o perfeito equilíbrio da alma, que nada pode perturbar. Epicuro e seus seguidores, os epicuristas, viam no prazer, obtido pela prática da virtude, o bem. O prazer consiste no não-sofrimento do corpo e na não-perturbação da alma.

Os estóicos, como Sêneca e Marco Aurélio, pregam que o homem deve permanecer indiferente a circunstâncias exteriores, como dor, prazer e emoção. Procuram submeter sua conduta à razão, mesmo que isso traga dor e sofrimento, e não prazer.
A mistura de pensamentos/idéias em conjunto com a ausência de um único ícone que tenha seus pensamentos voltados a evolução da Filosofia decantada por Aristoteles, demonstra que a Grécia vivia períodos conturbados, onde por meio da própria dialética e teorias formuladas com base nos primeiros filósofos, o povo grego começava a misturar as correntes a seu bel prazer, destorcendo a busca da Verdade e da Essencia do ser humano tão procurada pelos antigos. Hoje em dia, o niilismo e o permissivismo despudorado precoce em que vivemos tem como base algumas das idéias dessas escolas filosóficas, porém de forma distorcida: hoje busca-se o prazer rápido e instantâneo, onde algumas pessoas se usam dessas teses filosóficas para justificar seus atos anti-éticos e imorais.

O mundo entra na Época da Escuridão que antecede a melhor época da Idade Média e a filosofia, personificada pelos homens e chocada dentro dos costumes sociais vigentes, obviamente acompanhou a decadência generalizada e rumou para o fundo do mar negro do esquecimento durante os anos que antecederam a Era Cristã, onde Plotino foi o primeiro semeador da filosofia-cristã que teve com Santo Agostinho suas melhores idéias, mas isso é assunto para a próxima edição.

Walter A.
@walter_blogTM / @wjr_stoner@hotmail.com

30 de ago de 2011

Filme: 400 Contra 1 - Uma História do Crime Organizado

[400 Contra 1 - Uma História do Crime Organizado], 2010.
Dir.: Caco Souza
Elenco: Daniel de Oliveira, Daniela Escobar, Fabrício Boliveira, Branca Messina.
Dur.: 98 min.

Fato: na sétima arte, o crime [quase] sempre é glamourizado. Nesta película de Caco Souza não é diferente. Tony Montana [Scarface], Al Capone [Os Intocáveis], os ladrões da série Onze Homens... Hollywood adora inverter os lados da moeda, transmutando os vilões em mocinhos para satisfazer seu público, sedento por cenas de ação, morte, sexo e destruição. Um dos objetivos da arte é recriar a realidade, saciando nossa curiosidade.

Os produtores de cinema, diretores, não podem ser culpados pelas cenas cada vez mais violentas quanto realistas, afinal é a própria psiqué do ser humando que molda a realidade que estamos inseridos. Os filmes de hoje tem em seus bojos, edições frenéticas, histórias baseadas em fatos do submundo, heróis-vilões [e vice versa], sangue e muitos tiros, é porque o público aprecia esses fatos; é algo do tipo "o que é proibido é mais gostoso", mas o fato é que no fim, percebe-se que se é proibido é porque é nocivo, faz mal, deteriora a alma. Os produtores e diretores não podem ser crucificados pelo excesso que se comete hoje em dia nas telas, afinal é o público que escolhe e que ver e o que não ver com seu dinheiro. Mas de tudo se pode tirar aspectos positivos, o ideal é que evoluamos diante das adversidades.

400 Contra 1 merece ser assitido por 3 motivos: I - ótimas atuações dos atores [principalmente Daniel de Oliveira] que personificaram os criminosos rafamés que formaram o monstro que é a facção criminosa Comando Vermelho; II - o filme é um raio x da frágil segurança pública de nosso país; III - é possível observar bem como o crime em um Estado se inicia de forma desprentenciosa, onde os asceclas buscam de início pequenas vantagens pessoais, e como consequencia da falta de atenção devida para o embrião do grande problema que a sociedade civil enfrenta hoje, o crime cresceu como uma bola de neve dentro de tão curto espaço de tempo. Glamourizar o crime não vai minimizar seus estragos ne justificar os motivos dos delinquentes. Contudo, a elevação de bandido à hérois nesse filme soa apenas como apelo pop, objetivando claramente atrair a massa; o diretor Caco Souza criou um filme [genérico] típico de Quentim Tarantino.

W.A.
@walter_blogTM / wjr_stoner@hotmail.co,


Lanterna Verde - faltou força de vontade

Já tem algum tempo que os quadrinhos estão sendo a salvação de parte da produção cinematográfica americana, mas enganam-se os amantes de Hqs quando pensam que a 7ª arte vai materializar os universos e suas sagas de maneira sempre satisfatória. O cinema requer licenças poéticas em face de sua arte irmã.
A expectativa é alta quando se fala em adaptações de quadrinhos por decorrência do estrondoso sucesso de produções como a finada recente franquia do Homem-Aranha sob o comando do diretor Sam Raimi, a trilogia X-Men e os competentes Homem de Ferro e Homem de Ferro 2 do diretor Jon Favreau, todos com a marca da Marvel Comics. Do lado da DC Comics temos somente como exemplo recente a bem recebida aposta de Batman Begins e Batman The Dark Knight de Christopher Nolan, aguardando-se com grandes esperanças Batman The Dark Knight Rises.

E o que Lanterna Verde tem com isso? Tudo. Esperava-se que a mesma pegada que o personagem possui em suas histórias nos quadrinhos e em vez disso imaginaram em criar um novo ícone para uma nova franquia, o que se traduz em dinheiro. Se o objetivo foi esse, então tudo okay, o filme lucrou e continuará lucrando, mas só até ser esquecido.

Em Lanterna Verde (Green Lantern, 2011, Warner Bros.), direção de Martin Campbell, somos apresentados a Hal Jordan, um piloto de aeronaves de guerra, que é escolhido pelo anel de um alienígena chamado Abir Sur para tomar seu lugar como guardião do universo. O piloto transmorma-se, sem querer, em um Lanterna Verde, protetor de um setor do universo, do qual o planeta Terra faz parte. A partir dai Hal tem que lidar com sua nova responsabilidade e conseguir superar suas limitações psicológicas em prol do bem estar da galáxia.

A premissa do filme é boa, a mitologia do "Lanterna Verde" é melhor ainda, contudo, faltou força de vontade para imprimir isso na produção do diretor Martin Campbell, conhecido por dirigir filmes do James Bond. Esse Lanterna Verde do cinema é infantil e chato. Dá explicações onde deveria simplesmente mostrar e nos fazer perceber o problema e as soluções. Arranja desfechos simplórios para momentos cruciais da trama, o que deixa a impressão de estarmos assistindo uma produção feita às pressas.  É um filme didático, mas sem a mínima necessidade, o público não é burro.

Vale esclarecer que não falo como fã radical de histórias em quadrinhos, apesar de ter bastante curiosidade e até já ter enveredado por algumas edições do herói em questão. O relato aqui é praticamente parecido com quase todos os escritos até agora, e não poderia ser diferente, sob pena de estar louco. Lanterna Verde desapontou tanto os fãs dos quadrinhos quanto os fãs do cinema por se tratar de um personagem extremamente promissor, em que pese não ser conhecido por grande parte do público. Imaginemos agora sua reputação depois dessa apresentação desastrada.

De qualquer forma, nem todos os minutos da película são de jogar no lixo. Há sim bons momentos, como a introdução que resume a mitologia dos Lanternas Verdes e algumas cenas fora da Terra. Entretanto, o que há mais são momentos que poderiam ser bons e acabaram boicotados, infelizmente.

1º Festival de Um Minuto Carne Moída

Quem ai tem uma ideia, vontade ou simplesmente curiosidade em realizar um curta-metragem? Se sua resposta foi sim, apareceu a chance de se iniciar (ou mesmo dar continuidade) nessa vertente artística, pois estão abertas até o dia 07 de outubro as inscrições do 1o Festival de Um Minuto Carne Moída.

Como o título do festival já adianta, os filmes devem ter no máximo 1 minuto de duração com um acréscimo de 10 segundos máximos para os créditos. O regulamento avisa que os curtas devem ser realizados preferencialmente com equipamentos não profissionais, como câmareas digitais ou mesmo telefones celulares.

Acesse http://www.carnemoida.com.br e saiba mais sobre essa iniciativa. No site você também tem acesso ao regulamento e ao formulário de inscrição online onde deverá ser anexado o arquivo com o curta-metragem produzido.

25 de ago de 2011

EDITORIAL: você tem fome de quê?


Entre a morte de Amy Winehouse [foi-se mais um grande talento que fazia jus ao nome Winehouse="Casa do Vinho" em tradução literal], a tomada de mais um país árabe [Síria] pelos EUA e mais um entre milhares de escândalos na nossa República de Bananas, nossas vidas seguem. Acredito, assim como eu, muitos de nós não cumpriram suas promessas de fim de ano reforçadas pelo sentimento de culpa ao parar-mos para pensar, e confirmar o óbvio: não nos esforçamos para mudar. Demagogia? Hipocrisia? Não me arrisco a rotular nada mais hoje em dia. Tudo está em constante mutação incluindo nossas vidas: os anos vão passando, bens materiais vem chegando através do trabalho, casamento, filhos, etc.

Porém, se nossas vidas estão sempre em constante mutação [pelo menos é o que o Sistema* nos faz acreditar] o mundo segue sua linha de destruição, material, espiritual e intelectual. Enquanto acreditarmos que galguar posições sociais e enriquecer é o objeto-fim de nossas vidas, continuaremos presos a esse mundo imposto a nós desde que o homem passou a amar as coisas e usar as pessoas.

A prova maior de que nos amamos mais as coisas do que as pessoas está nessas promessas de final de ano. Algumas das mais comuns que ouvi transitam em torno de temas relacionados à família [passarei mais tempo com meus filhos/pais], a religião [praticarei mais minha fé]... Esses são apenas 2 exemplos de inúmeros exemplos. Isso sem considerar as promessas narcisistas/egocêntricas como a pessoa magra que promete a si mesmo se esforçar para perder peso ou o burguês que promete a si mesmo se empenhar mais nos negócios para comprar aquele hiate... Enquanto estamos em busca de nossas satisfações pessoais, as insatisfações coletivas se agravam resultando em violência, corrupção, fome e destruição dos valores morais.

Amy Winehouse foi um ícone para nossa nova geração; geração está moldada nos moldes capitalistas: sem amarras nem valores sociais, ignorantes políticos, sem passado, muito menos futuro. Amy, assim como os nossos jovens, viveu numa espiral frenética tão intenso que seus dias sopraram como meses e esses voaram como anos. Ela tinha fome de tudo [festas, diversão, amores, música], menos de viver. A nossa vida é algo muito raro para se resumir a subterfúgios terrenos.

Os norte-americanos e seus aliados, por sua vez, continuaram influenciando nossas vidinhas através de suas guerras. A crise que antes vinha batendo nas portas das grandes potências, agora já está sentada na sala de estar dos palacetes acarpetados, decorados com arte renascentista dos líderes mundiais [políticos e empresários]. Para mantê-la entretida na sala, os ricos resolvem patrocinar a invasão da Líbia através de uma "revolução" intermediada pela CIA e FBI visando sugar o petróleo e minério. O resultado se deu agora, nesta última, quando Muamar Kadafi sumiu do mapa e a capital do país foi tomada pelos "rebeldes" [homens manipulados pelos norte-americanos]. O Estado opressor nunca sacia sua fome de auto-afirmação perante os povos. Eles têm fome de morte. Eles tem fome de poder.

Já nossa primeira presidenta eleita, Dilma Roussef, enfrenta a fome por dinheiro de nossos burgueses viciados em roubar, enriquecer ilicitamente, a qualquer custo e sempre em detrimento dos menos favorecidos, dos pobres. Eles são sádicos e nos, o povo, somos masoquistas, pois mantemos quem nos f*** no poder, além de não cobrarmos dos representates eleitos e das autoridades institucionalizadas a devida fiscalização e cumprimento das leis, sem falar na falta de mobilização social para exigir mudanças nas leis que depreciam o bem estar da coletividade em favor da ínfima minoria que governa este pardieiro que chamamos de Brasil.

A fome de Amy não prejudicou ninguém além dela mesma. A fome dos norte-americanos devora milhares de vidas nos embates que eles criam para satisfazer seu estilo de vida cheio de luxo, contudo vazio de ideologia, apenas a idéia de dominar e ser o "primeiro" já basta. A fome de quem nos governa é resumida as simples cédulas de dinheiro. Aqui não se preucupa-se nem em ser o primeiro. Aqui vale ser o último, contudo que pague-se bem. A fome de fraternidade, igualdade e liberdade, máxima iluminista sobre foi erguido a maioria dos países republicanos, não passa de um mero escopo do passado. A fome do povo de buscar sempre mais e mais, se espelhando nos burgueses que ostentam seu poder atravez do dinheito e poder, fez com que sentimos fome de justiça, liberdade, igualdade, fraternidade e amor entre os próximos; porém já corremos o risco dessa fome não poder mais ser saciada. Por isso, alimente sua fome de arte, de livros, de boa música, de política; busque inspiração para fazer sua parte e não ser apenas mais um na multidão. Pense rápido: você tem fome de que? Mais um ano se aproxima do fim... E mais uma vez saciaremos apenas a nossa fome de promessas?

Agosto, 2011


Walter A.
@walter_blogTM / wjr_stoner@hotmail.com


*Quando digo Sistema, me refiro a junção virtual dos sistemas políticos, financeiros, jurídicos e sociais a que estamos submetidos.

"A gente não quer só comida
A gente quer comida
Diversão e arte
A gente não quer só comida
A gente quer saída
Para qualquer parte..."

Comida - Titãs

24 de ago de 2011

Programa "Histórias que Ficam' fomenta a produção de documentários

Fundação CSN lança primeira edição do Programa Histórias que Ficam. Além de fomentar e difundir a produção de documentários inéditos, o Programa oferece consultoria aos projetos selecionados.

Foi lançado oficialmente no dia 16 de agosto, na Cinemateca Brasileira, em São Paulo, o Programa Histórias que Ficam. A sessão contou com representantes da imprensa e convidados, que tiveram a oportunidade de conhecer melhor como será o programa. Iniciativa inédita da Fundação CSN Para o Desenvolvimento Social e Construção da Cidadania (Fundação CSN), o Programa conta com recursos da Lei Rouanet de Incentivo à Cultura e busca apoiar projetos audiovisuais, revelando a diversidade da produção nacional. Serão selecionados projetos de diferentes regiões brasileiras e os contemplados receberão consultoria especializada ao longo de todo o processo de realização dos filmes.

O Programa irá selecionar quatro projetos inéditos de documentários, com tema Memória. A iniciativa busca incentivar a participação de diretores que tenham realizado, no máximo, até um longa-metragem. Além de oferecer incentivo financeiro, com investimentos de até R$300.000,00 (para cada produção), o Programa Histórias que Ficam prestará consultoria durante todas as etapas de realização dos filmes. A consultoria aos projetos selecionados contará com a participação de renomados profissionais do cinema brasileiro como: Eduardo Coutinho, Marcelo Gomes, Luiz Bolognesi, Daniela Capelato, Karen Harley, Guilherme Coelho, Leonardo Edde, entre outros.

Cada projeto contemplado será, obrigatoriamente, de uma região do Brasil, contribuindo assim para a descentralização da produção audiovisual nacional, estimulando a pluralidade de criações. Depois de finalizados, os documentários produzidos com recursos do Programa Histórias que Ficam participarão de um circuito de exibição itinerante, em praças públicas de cidades de todas as regiões brasileiras. Serão privilegiadas as cidades com até 100 mil habitantes e nas quais não existam salas de cinema.

Das inscrições e requisitos

As inscrições devem ser feitas de 17 de agosto a 13 de outubro, no site www.historiasqueficam.com.br. Toda a documentação exigida deverá ser enviada até o dia 14 de outubro, pelo Correio. Dentre as exigências para inscrição estão: produções brasileiras inéditas, com realizadores que tenham, no máximo, um longa-metragem no currículo, produções com duração de até 70 minutos e custos de até R$300.000,00.

Na primeira fase, serão selecionados 12 projetos (sendo três de cada região), que serão avaliados através de uma defesa oral (Pitching). Na sequência, serão feitas as contratações e iniciadas as produções.

A Fundação CSN

Uma das maiores investidoras de cinema no Brasil, a CSN tem como braço social a Fundação CSN, responsável por iniciativas que contribuem para o desenvolvimento social e econômico das comunidades nas quais atua.

 Somente no campo do audiovisual, foram 36 filmes desenvolvidos com o apoio da CSN, entre os anos de 2004 e 2010 – boa parte deles de caráter documental. No catálogo de obras realizadas com o apoio da empresa estão títulos como “Tropa de Elite” (I e II), “Terra Vermelha”, “Eu e Meu Guarda-Chuva”, “O Contador de Histórias”, “Besouro”, além dos documentários “A Raça-Síntese de Joãosinho Trinta”, “Doutores da Alegria”, “Fordlândia” e “Garapa”.

A empresa patrocina outras iniciativas culturais e sociais rigorosamente selecionadas. Entre os projetos que receberam apoio estão a exposição “Lúcio Costa - O Arquiteto”, em comemoração aos 50 anos de Brasília, o livro “Direitos Humanos - Imagens do Brasil”, o projeto de construção da Biblioteca Brasiliana na USP, com o acervo de Guita e José Mindlin e o Museu de Congonhas (Centro de Referência do Barroco e Estudos da Pedra).

Além disso, a CSN apóia projetos que promovem a inclusão social de crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social. Entre as entidades que receberam o incentivo da empresa estão o Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer (GRAACC), com seu projeto de ampliação das instalações, e o Instituto Deco 20, com diversas atividades de cultura e esporte para jovens.

Dentre seus inúmeros projetos também estão: Projeto Garoto Cidadão; Orquestra Sinfônica Jovem; Orquestra Escola; Orquestra de Tambores de Aço; Um Caminhão Para Jorge Amado; Quarta Cultural.

Nos últimos anos, a CSN incentivou R$88 milhões em projetos culturais, sendo R$16,6 milhões em filmes (Leis do Audiovisual, Rouanet e ProAC).

Educação – A Fundação CSN incentiva a capacitação profissional do jovem, proporcionando a formação de mão-de-obra especializada, através das unidades de ensino Hotel-Escola Bela Vista e a Escola Técnica Pandiá Calógeras (ETPC), em Volta Redonda, Rio de Janeiro, e o Centro de Educação Tecnológica (CET), em Congonhas, Minas Gerais. Para democratizar o acesso às escolas, a Fundação CSN oferece, por meio de processo seletivo, que inclui análise socioeconomica, bolsas de estudo para jovens oriundos da rede pública de ensino e em situação de vulnerabilidade social. Em média, são oferecidas, por ano, mais de 400 bolsas (entre integrais e parciais). A instituição realiza também cursos gratuitos para a comunidade, por meio de parcerias com a CSN e outras empresas e entidades, beneficiando mais de 500 pessoas por ano.

18 de ago de 2011

Cineclube Lanterna Mágica

Atribuir o cinema como um meio consciente de cultura/intelecto, é a proposta do Cineclube Lanterna Mágica. Numa trincheira do comercial/autoral, a significância para a sociedade de um meio de comunicação artístico, distribui oportunidades de descobrimento, sentimento, cultura... Dentro de uma utopia pessoal num retângulo iluminado.
E com uma parceria do Cineclube e a Secretaria de Cultura do município de União dos Palmares, nasceu o Cine Cultura, projeto semanal de audiovisual, onde possibilita à aproximação da sociedade para o conhecimento do cinema, embasado em crítica, manifestação e pensamento.
Fundado em julho deste ano por Traum Bendict e José Maria (Zema), a idéia transformou-se em um projeto concreto rapidamente, para aliar toda a falta de demanda de nossa cidade para a cinefilia, e buscar sem critérios, os que compartilham de um interesse cultural, que até o momento, neste segmento é escasso. Contudo, o Cineclube acredita numa mudança, dentro de uma perspectiva lenta, mas crucial para o desenvolvimento da arte cinematográfica.
O Cine Cultura, tem suas sessões todos os sábados a partir das 19hr no auditório da Prefeitura de União dos Palmares. Em sua programação são exibidos dois curtas-metragens, e por final, o filme principal (longa-metragem). Neste primeiro mês, o cinema nacional foi o foco, mas enveredaremos no cinema como um todo, não deixando de esquecer obras importantíssimas que modificaram nossa forma de percepção do mundo e do ser.

Programação - Entrada Gratuita

Contatos:
Traum Bendict: 9125-2705
Zema: 9381-0242
Twitter:
@traum_bendict
@zemauniao
@lanterna_magica

14 de ago de 2011

TMcast #04 - A programação da tevê brasileira...

Demorou, mas retornamos com mais um TMcast! O único podcast que não comentou sobre o fim do bruxinho Harry Potter nas últimas semanas. E nesse, Wenndell Amaral, Carlyson Oliveira e Bruno Madson contaram com o convidado Tarcísio Alves para conversar em linhas gerais sobre algumas coisas que aparecem dentro daquela caixa mágica que todos seres mamíferos humanos possuem em suas residências. Ao fim comentamos os escassos comentários do podcast passado. Então, escutem com parcimônia, pois ainda estamos aprendendo e até o próximo, ou não!
Duração: 52 minutos.

Ouça:

DOWNLOAD (18 MB)

Deixe seu comentário sem medo de ser feliz ou infeliz ou envie e-mail para tempo_moderno@hotmail.com com seu recado carinhoso para nossos integrantes.

LINKS RELACIONADOS:
Feed do TMcast para você inscrever e receber o podcast assim que ele for postado:
http://tempo-moderno.podomatic.com/rss2.xml

Música apresentada no final do episódio: nenhuma!

13 de ago de 2011

Últimas:

Mantega: 'temos que nos preparar para um longo período de crise'

Durante o encontro de ministros da economia e presidente de Bancos Centrais dos 12 países que integram da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse a seus colegas da região que "temos que nos preparar para um longo período de crise."

Em discurso presenciado apenas por autoridades que estão participando do encontro, o ministro disse ainda, segundo fontes do governo brasileiro, que "os países avançados não estão fazendo o que deveriam fazer". De acordo com Mantega, as recentes medidas anunciadas pela Federal Reserve (o banco central dos EUA), "são mais do mesmo".

O ministro e os colegas sulamericanos coincidiram em afirmar que essa crise representa uma oportunidade para região que, neste encontro em Buenos Aires, criará formalmente o Conselho de Economia e Finanças da Unasul. - Este é o momento adequado para criar o conselho - enfatizou Mantega, que também alertou para a possibilidade de que essa crise internacional possa atingir os preços das commodities
Fonte: G1
O TM já tinha feito a "premonição" das crises econômicas; várias são as postagens com comentários a respeito. TM 1 x 0 G1... kkkkkkkkk bricadeira! 

3 de ago de 2011

EMAIL:

Alagoas, o “Faroeste no Nordeste” o que fazer? Qual será a solução?‏

enviado por: Railton Teixeira [jornalista]


Ultimamente Alagoas vem ganhando destaque no cenário nacional. Se fossem méritos por benfeitorias, destaque dos artistas, poetas e escritores, prêmios voltados para a cultura da nossa terra, usaríamos este espaço para elogiar, mas infelizmente os destaques são voltados para as mazelas e tudo de ruim que o nosso estado ainda cultiva.

Ainda carregamos aquela determinada fama de ser o estado mais violento do país. Mesmo diante dos reconhecimentos que os gestores fizeram, o telejornal Bom Dia Brasil, da TV Globo, expôs uma realidade que já sabíamos, porém não havíamos nos dado ao luxo de encarar e ainda estávamos, até então, naquele universo do faz de conta.

Sendo apontada, ou melhor, denominada de “Faroeste no Nordeste”, Alagoas é vista apenas como mais um estado do Nordeste em que a mortalidade infantil ainda impera, a corrupção eleitoral faz parte do dia a dia e agora, acredito que seja como um tabefe em nós cidadãos, a violência está no auge.

Para um estado de três milhões de habitantes o número de homicídios ultrapassa as estatísticas de São Paulo e Rio de Janeiro, estados estes que outrora eram considerados os mais violentos do país. “São 71 homicídios para cada 100 mil habitantes, esse número é o maior do Brasil”, destacou o apresentador do telejornal.

Continua... Leia a continuação do artigo no Blog Opiniões de Railton (Artigo publicado no O Jornal e Primeira Edição); para continuar lendo este artigo e muitos outros acessem o blog Opiniões de Railton Teixeirawww.opinioesderailton.blogspot.com lá você encontrará artigos de opiniões publicados em vários jornais do país. Você também pode ficar a vontade para seguir, comentar e fazer críticas, como também dá a sua sugestão, sua participação é muito importante.


1 de ago de 2011

STF decide que músico não precisa de registro para ser profissional


Por unanimidade, o STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu nesta segunda-feira (1º de agosto) que o músico não precisa ter registro em entidade de classe para exercer sua profissão. Os ministros julgaram o caso de um músico de Santa Catarina que foi à Justiça ao alegar que, em seu Estado, ele só poderia atuar profissionalmente se fosse vinculado à Ordem de Músicos do Brasil.

Em agosto de 2010, o Tribunal Regional da 5ª Região já tinha proferido decisão semelhante num Mandado de Segurança onde a Ordem dos Músicos do Brasil/Alagoas exigia de um músico sua inscrição e pagamento de anuidade para continuar tocando em bares e restaurantes da capital alagoana. Com essa decisão do Supremo, a questão tende a ficar pacificada, até mesmo pela existência de uma Ação de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) - que está em trâmite no próprio STF - ajuizada pela então Procuradora-geral da República, Deborah Duprat, onde questiona a  Lei n° 3.857/60 - Regulamento da Profissão de Músico - visando anular dispositivos que exijam a inscrição na OMB para o exercício da profissão.

Em diversos locais do Brasil, músicos são obrigados a apresentar documento de músico profissional -- a "carteirinha de músico" -- para poder se apresentar. A decisão vale apenas para o caso específico, mas ficou decidido que os ministros poderão decidir sozinhos pedidos semelhantes que chegarem ao tribunal. Ou seja, se o registro continuar a ser cobrado, será revertido quando chegar no tribunal.

Para a ministra Ellen Gracie, relatora da ação, o registro em entidades só pode ser exigido quando o exercício da profissão sem controle representa um "risco social", "como no caso de médicos, engenheiros ou advogados", afirmou.

O colega Carlos Ayres Britto disse que não seria possível exigir esse registro pois a música é uma arte. Ricardo Lewandowski, por sua vez, chegou a dizer que seria o mesmo que exigir que os poetas fossem vinculados a uma Ordem Nacional da Poesia para que pudessem escrever.

Já o ministro Gilmar Mendes lembrou da decisão do próprio tribunal que julgou inconstitucional a necessidade de diploma para os jornalistas, por entender que tal exigência feria o princípio da liberdade de expressão.

Fonte: STF, Folha.com, com complementos nossos.

31 de jul de 2011

Últimas:

Médicos americanos comparam danos das salsichas aos causados pelo cigarro

Um grupo de médicos em Washington D.C. está tentando alertar a população sobre a relação entre as salsichas e o câncer colorretal. Comitê de Médicos para uma Medicina Responsável acaba de lançar um outdoor em Indianápolis com uma foto de cachorro-quente em um maço de cigarros com a mensagem "Cuidado: cachorros-quentes podem destruir sua saúde".

Um estudo de 2007 do Fundo Mundial para Pesquisa de Câncer mostrou que 50 gramas de carne processada por dia (a mesma quantidade de uma salsicha de cachorro-quente) aumenta os riscos da doença em 21%.- Os cachorros-quentes deveriam vir com um rótulo de advertência para ajudar os consumidores a avaliarem os riscos para a saúde - disse Susan Levin, diretora de nutrição do Comitê.

Já a Sociedade Americana de Câncer disse em nota que "não é necessário eliminar o consumo de carne vermelha ou processada, a mensagem certa é que esse tipo de alimento não deve estar sempre no cardápio". Julho é considerado o mês nacional do cachorro-quente, quando mais de um milhão de sanduíches são vendidos durante a tradicional corrida de 500 milhas de Indianapolis.

Fonte: G1

Por isso prefiro minha dieta à base de Dunhill... kkkkkkkkkkkk

26 de jul de 2011

Prêmio Alagoas de Histórias em Quadrinhos 2011

Desde o dia 18 de julho estão abertas as inscrições para concorrer ao prêmio Alagoas de Histórias em Quadrinhos 2011, uma iniciativa da Companhia de Intermediação e Parcerias de Alagoas - Cepal/Imprensa Oficial Graciliano Ramos.










Clique na imagem para visualizar o cartaz.


Uma excelente oportunidade para os alagoanos (e não alagoanos também) de ter sua arte em formato de Hq publicada. Então, desenhistas e roteiristas de histórias em quadrinhos de plantão, o que estão esperando? Clique aqui e saiba dos detalhes para enviar seu trabalho.

As inscrição vão até o dia 25 de setembro de 2011 e são gratuitas.

21 de jul de 2011

Livro: Gomorra

Gomorra
Roberto Saviano, 2008.
Ed. Bertrand Brasil

Dando continuidade a `trilogia´ Como Entender o Mundo patenteada por nós do TM, apresento-os a segunda obra: Gomorra, uma história real de um jornalista infiltrado na violenta máfia napolitana, livro premiado e best seller na Europa; aqui no Brasil ficou conhecido através da telona [clique aqui para ler a resenha feita por nós] quando em 2009 estreou o filme homônimo também com grande repercussão. Porém, o livro é muito superior, cheio de detalhes e linhas de roteiro ignoradas pelos produtores da película que, como já é tradição, sempre tentam romantizar e aliviar um pouco as coisas como elas são.

A caveira na capa do livro ilustra e resume bem o teor daquela brochura. A busca de dinheiro e poder por meios legais [ através da política e iniciativa privada] e ilegais [pirataria, tráfico de armas e entorpecentes]. Logicamente que a junção desses fatores resultam num mundo paralelo cruel comparado ao que a massa está acostumada a viver em seu cotidiano. Mundo este, restrito a um pequeno grupo que controla milhões de euros e é dono de trilhões de euros e impulsiona a economia mundial como qualquer multinacional.

Para estruturar e manter um sistema dentro de outro sistema [capitalista] leva-se anos, décadas para que tudo seja consolidado. A máfia vem de muito antes de mim, de você, de nossos pais, de nossos avós... Apesar do tema só vir a tona de 50 anos pra cá, com AL Capone e similares, esse sistema paralelo é muito antigo. O livro foi registrado em 1979. Só em 2008 foi publicada a 1º edição. Logicamente que o autor, mesmo tanto tempo depois dos ocorridos, ainda corre risco de ser morto a qualquer momento. O quem tem escrito nele, parece ter ocorrido ontem e amanhã os fatos estariam narrados nas manchetes dos jornais.

É de se presumir que quem vai de encontro a esse sistema, naturalmente morre. Como então buscar informações verídicas in loco sem levantar suspeitas? O jornalista Roberto Saviano arriscou: deixou a pacata vida que tinha e viajou para o sul da Itália, mas precisamente Nápoles. Era lá o quartel general fragmentado da máfia. Chegando lá o jornalista tratou de arrumar um subemprego num negócio ilegal comandando por uma famíla chefe da área do Porto de Nápoles. É daíque começa a jornada nada agradável do corajoso jornalista-escritor. Ele não deixa claro a data exata dos acontecimentos para evitar ser descoberto, pois para os grandes chefes, ele não passava de peão.

O modus operandi do crime organizado iltaliano foi no passado o espelho para o crime se organizar em outros países, como o Brasil, por exemplo. Países como Romênia, Croácia, Espanha, Inglaterra, França, Alemanha, China, HOng Kong, Filipinas, Índia, Japão, Coréia do Sul, Colômbia, Venezuela, Bolívia, México, EUA, tem máfias bastante atuantes em seus territórios e a economia desses países depende, e muito, desse dinheiro sujo. Contudo, todos têm como base a máfia italiana, respeitadas as peculiaridades do local e cultura onde é inserido e posto em prática; é sistema de fácil aprendizado, com muitos laranjas que contratam mão de obra barata para trabalhar em empresas de fachadas [de lavanderias de roupas, joalherias, boutiques, concessionárias de auto móveis, empresas de importação e exportação, etc.] que funcionam tanto como escoadouro de drogas e produtos piratas como para lavar todo o dinheiro, com o apoio de agentes públicos infiltrados nos 3 poderes e nos 3 âmbitos de governo: é aí que esse livro completa o anterior citado por nós [A Ética da Malandragem]. Se naquele é exposto o modo de agir dos políticos, neste é desvelado o dos caras que fazem o trabalho sujo para os poderosos de colarinho branco, os "homens de bem" da sociedade.

Para que tudo isso aconteça, existem guerras, inimigos e aliados. Para que tudo isso funcione, deve existir um governo que compactue e ofereça condições para que ambos os sistemas trabalhem juntos, esmagando à massa, desrespeitando o cidadão, cooptando garotos para serem soldados do tráfico ao mesmo tempo que novos empresários, juízes, advogados e políticos corruptos proporcionam toda a infraestrutura para que "a roda gire"... Afinal, você já parou para pensar de onde vem a droga que o aviãozinho vende na esquina? Logicamente ele não foi até o Paraguai, Bolívia, para pegá-la... Da fonte até o rafamé noiado, o crack precisa de gente graúda para fazer a ponte. E também é lógico que eles não transportam de quilinho em quilinho... São toneladas de drogas, eletrônicos piratas, eletrônicos furtados, descaminho, contrabando, falsificações... Até empresa de tratamento de lixo atômico a máfia tem... Mas eles não tratam o lixo; eles enterram nos pobres países africanos... Imperdível leitura para quem quer saber o que acontece no `lado negro da lua´, se é que vocês me entendem...

W.A.
@walter_blogTM / wjr_stoner@hotmail.com