Blogroll

23 de mar de 2011

STF decidiu: Lei da Ficha Limpa não deve ser aplicada às Eleições 2010













Por maioria de votos, o Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que a Lei Complementar (LC) 135/2010, a chamada Lei da Ficha Limpa, não deve ser aplicada às eleições realizadas em 2010, por desrespeito ao artigo 16 da Constituição Federal, dispositivo que trata da anterioridade da lei eleitoral. Com essa decisão, os ministros estão autorizados a decidir individualmente casos sob sua relatoria, aplicando o artigo 16 da Constituição Federal.

A decisão aconteceu no julgamento do Recurso Extraordinário (RE) 633703, que discutiu a constitucionalidade da Lei Complementar 135/2010 e sua aplicação nas eleições de 2010. Por seis votos a cinco, os ministros deram provimento ao recurso de Leonídio Correa Bouças, candidato a deputado estadual em Minas Gerais que teve seu registro negado com base nessa lei.
Relator

O ministro Gilmar Mendes votou pela não aplicação da lei às eleições gerais do ano passado, por entender que o artigo 16 da Constituição Federal (CF) de 1988, que estabelece a anterioridade de um ano para lei que altere o processo eleitoral, é uma cláusula pétrea eleitoral que não pode ser mudada, nem mesmo por lei complementar ou emenda constitucional.

Acompanhando o relator, o ministro Luiz Fux ponderou que “por melhor que seja o direito, ele não pode se sobrepor à Constituição”. Ele votou no sentido da não aplicabilidade da Lei Complementar nº 135/2010 às eleições de 2010, com base no princípio da anterioridade da legislação eleitoral.

Repercussão geral
O STF reconheceu, por unanimidade, a repercussão geral da questão, e autorizou que os ministros apliquem, monocraticamente, o entendimento adotado no julgamento de hoje aos demais casos semelhantes, com base no artigo 543 do Código de Processo Civil.

Fonte: STF.jus.br

21 de mar de 2011

Escassez de água pode afetar 55% das cidades até 2015

Segundo a Exame.com, de todos os municípios brasileiros, mais da metade (55%) poderá ter problemas no abastecimento de água até 2015. É o que mostra um estudo feito pela Agência Nacional de Águas (ANA), que avaliou a oferta e o crescimento de demanda de água em todas as 5.565 cidades do País. Esses municípios representam mais de 70% do consumo de água.

O Atlas Brasil, que será divulgado oficialmente amanhã, conclui que o Brasil precisará investir pelo menos R$ 70 bilhões, principalmente na coleta e tratamento de esgotos, para garantir a oferta de água de boa qualidade aos municípios até 2025, quando a população deverá alcançar cerca de 196 milhões de habitantes.

Diretor inicia produção de documentário sobre Graciliano



(Filme inédito sobre a vida e a obra do escritor alagoano será dirigido pelo cineasta catarinense Sylvio Back
)

por Valéria Guimarães

A vida e a produção literária do escritor alagoano Graciliano Ramos serão documentadas em nova produção audiovisual de Sylvio Back, um dos mais premiados cineastas do Brasil. Intitulado "O Universo Graciliano", sendo o primeiro filme de âmbito nacional e internacional recontando a vida e a obra de Graciliano Ramos, um dos maiores escritores brasileiros de todos os tempos.

O documentário de longa-metragem sobre o autor de “Vidas Secas” e “Angústia” tem apoio do Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), com patrocínio da Petrobras e do Banco do Nordeste. A pré-produção já teve início no Rio de Janeiro, onde Graciliano residiu, trabalhando como jornalista, e começa a ser rodado em Alagoas e em Pernambuco.

Segundo o diretor Sylvio Back, o registro é inédito. “Depois de pesquisar, verifiquei que mesmo depois de sessenta anos da morte de Graciliano, não existe nenhum registro desse tipo,” afirma.

O cineasta Sylvio Back teve sua carreira iniciada há 46 anos. Com 37 filmes (11 longa-metragens) sobre temática histórica, política e literária, recebeu prêmios e indicações importantes, como o Festival de Gramado e a premiação da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA), entre outros.

No filme, serão utilizadas imagens fixas e em movimento de Graciliano, trazendo imagens dos lugares onde o escritor viveu e revelando depoimentos de pessoas que estiveram próximas a ele durante sua trajetória, além de imagens dos lugares onde viveu. As cidades por onde passou a pré-produção e filmagens são Quebrangulo, Viçosa, Palmeira dos Índios e Buíque, em Pernambuco, onde o escritor viveu durante sua infância.

Para compor o acervo de imagens, foi feita uma vasta pesquisa iconográfica sobre o mestre alagoano no Instituto de Estudos Brasileiros, da Universidade de São Paulo, na Cinemateca Brasileira (SP), no Arquivo Nacional (RJ) e no exterior, em arquivos cinematográficos da Rússia, Geórgia e República Tcheca, já que Graciliano esteve durante um mês nesses países em 1952.

A investigação por imagens fixas e em movimento da Alagoas dos anos 20 e 30 será completada durante a estada da equipe em Maceió. O longa terá distribuição em várias mídias, incluindo cinemas de todo o país, TVs comerciais, públicas e lançamento em DVD/Internet em 2012, de acordo com o diretor Sylvio Back, que também pretende, no ano que vem, iniciar as filmagens em Alagoas sobre "Angústia", publicado em 1936.


Fonte: Agência Alagoas

Piranhas, Marechal Deodoro e Penedo são contempladas com recursos do PAC das Cidades Históricas



(Verba destinada aos municípios alagoanos será utilizada na recuperação de prédios históricos)

Piranhas, Marechal Deodoro e Penedo estão na relação das 124 cidades contempladas com R$ 150 milhões dos recursos do PAC das Cidades Históricas lançado pelo Governo Federal. A verba destinada aos municípios alagoanos será utilizada na recuperação de prédios históricos como as fachadas das igrejas de Marechal Deodoro e Penedo, e no embutimento da rede elétrica no centro histórico de Piranhas.

A prefeita de Piranhas, Mellina Freitas, diz que a liberação desses recursos ajudará ainda mais no fortalecimento do turismo na cidade. O projeto de embutimento da fiação da rede elétrica é uma reivindicação antiga da população e dos empresários ligados ao setor turismo porque deixará a cidade ainda mais bonita paisagisticamente.

As demais cidades nordestinas listadas no PAC das Cidades Históricas são Recife, Jaboatão dos Guararapes e Olinda (PE), Cachoeira, Salvador e Cairu (BA), Viçosa e Sobral (CE), São Luiz (MA), Parnaíba e Pedro II (PI) e São Cristovão (SE).


Fonte: Cada Minuto

19 de mar de 2011

Coalizão formada por EUA, França, Reino Unido, Canadá e Itália atacou neste sábado as forças do ditador líbio, Muamar kadafi

A Líbia pediu neste sábado, 19, uma reunião urgente com o Conselho de Segurança da ONU após o início da operação militar internacional contra o regime do ditador Muamar Kadafi. A informação consta em nota do Ministério das Relações Exteriores do país, divulgada pela agência oficial Jana.

"A Libia, como um Estado independente e membro das Nações Unidas, pediu a celebração de uma reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU após o ataque da França, Grã-Bretanha e Estados Unidos", afirma o comunicado. A nota considera ainda que "se trata de uma agressão que ameaça a paz e a segurança internacionais" e assegura que foram registradas vítimas civis e danos em hospitais e aeroportos.

O governo líbio também afirmou neste sábado que considera nula a resolução 1973 da ONU que impõe uma exclusão aérea, após a operação militar ocidental, e reforçou seu direito de utilizar novamente a sua aviação.

Uma coalizão formada por EUA, França, Reino Unido, Canadá e Itália ampliou os ataques contra as forças de kadafi neste sábado. Segundo o Pentágono, as Marinhas dos Estados Unidos e do Reino Unido lançaram mais de 110 mísseis do tipo Tomahawk vindos de submarinos posicionados no Mar Mediterrâneo para destruir 20 alvos de defesa antiaérea do coronel nas cidades de Misrata e Trípoli. A operação foi batizada de 'Odisseia da Alvorada' (Odissey Dawn, em tradução livre).

Fonte: Estadão.

18 de mar de 2011

Piranhas é palco da gravação da nova novela da Globo, Cordel Encantado



(O município entra no enredo que conta a chegada da família real no Sertão)

Atores, atrizes e diretores renomados da televisão brasileira estão na região do canyon do rio São Francisco durante toda esta semana para gravação dos capítulos de abertura da nova novela das seis (das 18h) da Rede Globo, intitulada ‘Cordel Encantado’. Piranhas entra e participa do enredo que conta a chegada da família real ao Sertão com três elementos chaves que ajudam a compor as cenas: o complexo do riacho do Talhado, a canoa de tolda e o roteiro turístico além de suas belezas naturais e de suas riquezas históricas e culturais.

Localizado, no sertão alagoano, Piranhas tem chamado a atenção para a sua geografia – cravada entre a caatinga e o Velho Chico - para o seu belo casario, o seu rico artesanato, a sua gastronomia peculiar e a sua gente ordeira e hospitaleira. Quem vai ao município sai fascinado e com a vontade de retornar.

Piranhas possui uma vocação natural de ser palco e cenário de grandes documentários. Contudo, a escolha da região não ocorre por acaso. É resultado de uma gestão participativa e ativa do Governo Municipal ‘Bem Querer para Bem Fazer’ concentrada na administração e no zelo do bem público e nos investimentos sociais focados na educação da criança e dos adolescentes e no fortalecimento da cultura com a criação do conservatório de música e mais recentemente do centro cultural ajudando a revelar talentos para a música e a arte.

Estão na região do canyon do São Francisco participando das gravações das primeiras semanas da novela Cordel Encantado, os atores Carmo Dalla Vecchia, Felipe Camargo, Guilherme Fontes, Luiz Fernando Guimarães e Emílio de Mello e as atrizes Débora Bloch e Aline Moraes entre outros. E, claro, o diretor Gustavo Fernandes.


Fonte: Cada Minuto

11 de mar de 2011

STF dá andamento ao processo do Mensalão

STF ordena quebra de sigilo fiscal dos réus do mensalão

O STF (Supremo Tribunal Federal) ordenou a quebra do sigilo fiscal de todos os 38 réus do processo do mensalão. Revelado pela Folha em 2005, foi o principal escândalo do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, envolvendo compra de apoio político no Congresso.

O ministro Joaquim Barbosa, relator do mensalão no STF, determinou, em fevereiro, o envio de ofício à Receita Federal pedindo cópia da última declaração do imposto de renda dos denunciados.

Barbosa acolheu solicitação do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, que requisitou a quebra do sigilo para que já calcule possíveis multas, em caso de condenação dos acusados.

Segundo a Procuradoria, a medida serve para o Ministério Público conhecer a situação financeira dos acusados e adequar os valores das multas, se houver condenação.

Também foi aceito pedido de acesso aos antecedentes criminais dos réus. Barbosa não comentou os pedidos.

Disse que, "em caso de condenação, sobrevirá a necessidade de análise dos antecedentes dos réus, para fixação da pena-base, bem como da situação financeira deles para a adequada imposição do valor da multa".

As informações não poderão ser divulgadas pelo Ministério Público Federal, pois a ação penal corre em sigilo.

A medida atinge, entre outros, o deputado cassado e ex-ministro José Dirceu (Casa Civil), o deputado João Paulo Cunha (PT-SP), presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, e o ex-ministro Luiz Gushiken (Secretaria de Comunicação).

A defesa do empresário Marcos Valério, apontado como operador do esquema, diz que a quebra do sigilo não significa pré-condenação. "É um processo normal e um pedido razoável do Ministério Público", disse o advogado Marcelo Leonardo.

A denúncia da Procuradoria-Geral, de 2006, não diz quais dados sigilosos foram obtidos na fase de inquérito.

Trecho do relatório de Antonio Fernando Souza, procurador à época, diz que o cruzamento dos dados bancários obtidos pela CPI dos Correios "possibilitou a verificação de repasses de verbas a todos os beneficiários".

Osmar Serraglio (PMDB-PR, relator da CPI dos Correios, disse que não tinha havido quebra de sigilo fiscal.

O processo deve começar a ser julgado no final do ano, mas a expectativa é que o plenário o analise em 2012.

Fonte: Folha.com

9 de mar de 2011

Música: Radiohead - The King of Limbs

Uma longa inspiração, foi o que me veio à cabeça depois que The King of Limbs, álbum novo do Radiohead, chegou ao fim. Cada faixa pede atenção e cumplicidade. Você não vai entender nada se ouvir o disco enquanto pega um ônibus ou lê um livro - o “Radiohead Experience” exige exclusividade.

Falar do álbum música a música não faria tanto sentido, já que a obra tem uma característica tão linear. Os sons sintetizados sobrepõem-se a tudo, em oposição às guitarras e timbres mais "vintage" do álbum anterior, In Rainbows (2007). Em The King of Limbs há muitas dobras de voz com guitarra e sinths, harmonias quase estáticas e pouquíssimos acordes. Quando as guitarras e a bateria aparecem mais nitidamente é quase como se reproduzissem a função dos samplers (a exemplo da faixa "Morning Mr. Magpie"), coisa de quem sabe muito bem como usar a música eletrônica a seu favor.

O interessante é que, apesar de o ritmo ser um dos elementos essenciais do disco, ele nunca funcionaria numa pista. Isso provavelmente acontece porque os loops de bateria (eletrônica ou não), apesar de estarem por todo o canto, não chegam a ser tão consistentes ao ponto de serem “dançáveis”. Mesmo o primeiro single, "Lotus Flower", em que o vocalista Thom Yorke aparece dançando descontroladamente no clipe, não mostra tanto potencial para pistas quanto teve, por exemplo, "15 steps", de In Rainbows.

O álbum soa como um aprofundamento de recursos técnico-criativos explorados pela banda em muitas outras fases e discos, uma progressão natural do trabalho do Radiohead. As canções sem refrão, os timbres sintéticos e a sobreposição de “camadas musicais” sempre existiram no grupo britânico, afinal, em maior ou menor grau. A maneira como a banda manipula esses recursos também sempre foi surpreendente e sempre esteve lá (basta escutar o álbum Amnesiac, de 2001). Essa característica também aparece em algumas faixas de Kid A (2000) e até mesmo em OK Computer (1997) - a faixa "Climbing Up the Walls" já apresentava isso, de leve.

The King of Limbs é, sim, um disco difícil, mas importante nesses tempos em que a arte tornou-se um bem de consumo quase descartável. O Radiohead preza por uma percepção mais aguçada daquilo que estamos vendo, ouvindo e sentindo, e é justamente essa autoconsciência que faz falta em outros trabalhos que estão sendo lançados atualmente.

Texto por Pedro Keiner, do Ometele.

3 de mar de 2011

Palhaço alagoano participa de novela na Rede Globo



(No Projac, Biribinha conversou com a Gazetaweb e contou como surgiu o convite para participar de Araguaia)

por Daniel Dabasi

Com cinquenta e três anos de carreira reconhecidos no título de Patrimônio Vivo da Cultura Popular Alagoana recebido no ano passado, o palhaço alagoano Biribinha agora inicia uma nova etapa em sua trajetória de graça e estripulias. Ele foi convidado para participar da novela Araguaia, exibida no horário das 18 horas, na Rede Globo de Televisão.

No Projac, o artista Teófanes Silveira, mais conhecido como 'Biriba', conversou com a Gazetaweb e contou como surgiu o convite para as gravações. “Eu estava ‘fora da civilização’ quando fiquei sabendo do convite. Estava na estrada indo participar de um festival de circo na Chapada Diamantina, na Bahia, quando vi no email o convite da produção da novela” – conta ele.

Após o convite feito por uma colega que hoje trabalha na assistência de direção do folhetim, o palhaço adiantou os trabalhos no festival e correu para Alagoas, onde arrumou as malas e seguiu viagem para o Rio de Janeiro.

“Eles estavam precisando de um palhaço com mais idade e não de um ator que interpretasse um palhaço. Então, lembraram de mim” – disse o artista que já está há uma semana gravando no Rio.

Biribinha informou que vai dar vida ao palhaço Estripulia, um espírito que aparece para a personagem mirim Madalena. As cenas gravadas por ele vão passar por uma edição diferenciada com efeitos especiais de computação gráfica. “Hoje tenho gravação noturna e em estúdio. Só volto para Alagoas no sábado”, emendou.

A primeira cena em que o palhaço arapiraquense surge em Araguaia deve ir ao ar no capítulo da próxima quarta-feira (09).

Informações: GazetaWeb

1 de mar de 2011

EDITORIAL: "o bom(?) filho, à casa torna..."

"Tenho tanto para te falar, mas com palavras não sei dizer(...)" são com essas palavras extremamente piegas que começo o editorial de fevereiro... Essa frase sintetiza perfeitamente meu sentimento em relação a esse hiato que passei longe das páginas do TM. Idéias e mais idéias jorravam da minha ignóbil mente enquanto eu tentava concatenar as mesmas de uma forma lógica para que meu pensamento tivesse menos chances de ser mal interpretado. O editorial de fevereiro estava 70% pronto; era um texto bastante longo, mas seguia uma seqüência lógica e, pelo menos a meu ver, explicitava algumas coisas bastante relevantes sobre o mundo em que vivemos. Tanto coisa aconteceu enquanto estive ausente que quis falar sobre tudo. Porém, ontem, para minha decepção, ao logar no blogspot, percebi que o arquivo que eu havia salvado o editorial estava vazio. Em branco.

Dizem os sábios antigos que Deus escreve certo por linhas tortas. Portanto, não me abati com o revés temporário. Se o texto havia sumido, e eu irresponsavelmente não tinha uma cópia de segurança, era porque não devia ser publicado. Talvez ele estivesse lógico para mim e não para vocês nobres leitores; talvez os assuntos abordados não interessassem a maioria ou simplesmente o mesmo poderia se encontrar demasiado longo, prolixo... Bem, de qualquer forma, busquei o lado bom da coisa. Com o esquema que havia sobrado na minha cachola, vos escrevo o que o texto tinha de cerne (ou ao menos deveria ter):

---

Fiquei me devendo um texto sobre as enchentes ocorridas ano passado. E me cobrava demais sobre isso. Infortunadamente esse foi o único assunto até agora na minha curta existência sobre o qual eu não consegui escrever. As palavras simplesmente não saiam. Nada brotava. Elaborava alguns rascunhos, mas não saia daquele estado meio catatônico que eu me encontrava. Para mim, foi algo absurdo, surreal. Foi algo que, levando em conta os bastidores políticos, sociais, econômicos e geográficos não dá pra resumir sem pesquisar muito. E tal fato me deixou até hoje, sem palavras para comentá-lo. O impacto visual de uma verdadeira prova de força extravagante da Natureza causou um bloqueio: os rascunhos que eu elaborara estavam sempre incompletos. Ora eu buscava abordar as possíveis causas “técnicas” da tragédia; ora eu colocava toda minha empatia em prol das pessoas que sentiram diretamente a presença do caos... Não soube dosar o texto e desisti de fazê-lo. Guardei no quarto esfumaçado e torpe das lembranças as imagens das ruas enlameadas, as faces chorosas, as casas destruídas, as lágrimas deslizantes que umedeciam os olhos de incredulidade que fitavam o rio da águas marrom com tanto pesar... Mil compêndios elaborados pelos mais elevados cientistas, escritos pelos mais observadores poetas ou descritos pelos pensadores dominadores das mais variadas técnicas, não conseguiriam atingir a verdade daquela destruição. Então o que eu teria a dizer?

---

Logo após vieram as eleições! De um lado um tucano [Serra] contra uma petista [Dilma]. Coloquei-os na balança de "menos ruim". Votei em Dilma. E, para variar, me arrependi. Mas se eu tivesse votado em Serra, com certeza estaria mais arrependido ainda. Independente de quem assumisse a presidência, empacaria nos ritos funestos de bastidores que desarticulam a independência entre os 3 Poderes, nas imposições da ONU e nos ditames do modelo capitalista que gere a economia de praticamente todos os países, inclusive dos “comunistas”. Resumindo: nada mudou. Se para melhor ou pior, isso sempre será relativo. Sempre dependerá do ponto de vista e, utilizando de mais uma frase brega “só o tempo irá dizer”...

No âmbito estadual e municipal as coisas continuam um mais do mesmo elevado ao quadrado. Não queimo mais nenhum neurônio meu com isso. Continuarei observando e elaborando minhas soluções pessoais, mas não darei mais a cara para bater, afinal, não há eficácia. Existem algumas coisas que nunca mudam senão por caminhos drásticos e extremos. Alagoas continua a mesma: falta de investimento em educação, em saúde, segurança, etc. assim como a maioria das cidades brasileiras e nenhuma mudança que não seja no nível individual, no modus operandi de cada indivíduo que compõe a nossa sociedade que seja refletida no todo, surtirá efeito. Os candidatos da situação pularam de alegria com as enchentes, uma vez que choveram milhões de reais oriundos de empréstimos compulsórios do governo federal; e todo mundo sabe pra onde foi parar a maioria desse dinheiro... A cidade em que vivo continua abrigando pessoas individualistas, de egos inflados, visões distorcidas pelo poder, pelo dinheiro... Não há política que mude isso, ou melhor, a política alimenta esse modo de vida vazio e esse modo de vida vazio alimenta a política... Um ciclo sem fim que se fortalece a cada dia e que está longe de findar.

---

Natal. Reveillon. Datas comemorativas de extrema importância para o mundo ocidental. Pelo menos no tocante ao din-din. O que antes era reconhecido pela religiosidade, pela essência espiritual, hoje é reconhecido pelo consumismo. Natal =presentes e reveillon = a festa. Que fique claro que eu não tenho nada contra quem dá ou recebe presentes no natal, muito menos contra quem enche a cara no reveillon. Eu participo desse teatro também, sou mortal e errante. O que não se pode é restringir nossa percepção do que é certo ou errado baseando-se sempre no conhecimento empírico e imparcial que se pode ter sobre determinado assunto, no caso, a banalização de datas comemorativas que norteiam a Civilização [independentemente do País] há séculos. Os dois lados da moeda devem ser considerados: reflexões e atitudes condizentes a essência de cada feriado mundial deveriam ser melhor direcionadas. Ao passo que gastamos todo o décimo terceiro com mimos [na maioria das vezes supérfluos] com nossos parentes, amigos e afins, poderíamos doar um pouco de atenção a alguma instituição carente... Não há necessidade de contrapartida financeira. Alguns minutos ouvindo alguém que não conhecemos e que se encontra num asilo, necessitando de atenção bastaria seria um bom exemplo; doar uma simples refeição a quem tem fome também faria diferença assim como comungar com quem está a nosso redor nosso conhecimento, nossa visão de mundo, ajudaria uns e outros. Enfim, nada impede que sejamos pessoas menos egoístas/individualistas enquanto também aproveitamos e curtimos a vida, sempre com a responsabilidade de não interferir negativamente na vida alheia. É o que tento fazer aqui no TM: transmitir as melhores percepções e idéias para o maior número de pessoas possível, sem receber nada em troca a não ser a leitura e entendimento de vocês. Porque nunca conseguimos colocar em prática nossas promessas de fim de ano?! Cadê o amor, a paz, a saúde, o dinheiro que desejamos para nós e para quem nos rodeia?! Enquanto não entrarmos em equilíbrio com nosso eu, o mundo não entrara em equilíbrio e viveremos sempre assim: remediando e irremediável...

---

Água. Fogo. Terra. Ar. Enquanto olhamos para nosso próprio umbigo e apontamos os defeitos e problemas que assombram nosso país, estado e cidade, a natureza, utilizando-se de seus elementos básicos derrama sua fúria sobre nós, perpetradores de seu equilíbrio. Dezenas de vulcões voltaram “à vida” em diversos lugares do globo, temperaturas insuportáveis foram registradas nos termômetros de todo o mundo. E as enchentes não foram uma “dádiva” só para nós nordestinos; a região sudeste também sentiu na pela a ira dos deuses: no Rio de Janeiro deslizamentos mataram centenas de pessoas e destruíram cidades, incluindo a histórica Petrópolis; Santa Catarina, Curitiba e Rio Grande do Sul também registraram perdas, assim como São Paulo (ontem a cidade estava literalmente debaixo d´água)... O avanço do mar foi notório em alguns locais de nosso litoral assim como diversas erosões em nossas montanhas, serras e afins.

Como se não bastasse as investidas da mãe natureza, a situação geopolítica do mundo está cada vez mais complicada. 2011 começou com os países denominados “ricos” em apuros financeiros: os EUA observaram atônitos o desaparecimento de milhões de vagas de emprego nos 3 setores da economia enquanto observavam o dólar ser desvalorizado dia após dia assim como a “Guerra ao Terror” só despende mais e mais gastos sem nenhum sinal de estabilidade no Oriente Médio ser lançado; assim como os países mais desenvolvidos da Europa presenciaram suas economias empacarem, o preço do euro despencar e os investimentos sumirem sem falar nos gastos bélicos já que a Europa também financia as guerras... Em contrapartida os países emergentes [Brasil, China, Índia, Tigres Asiáticos] presenciaram um crescimento monumental de investimento já que os investidores estrangeiros lucram muito mais pagando mão-de-obra do Terceiro Mundo e revendendo mercadorias a lucros altíssimos em qualquer lugar do planeta. Esse crescimento dos países emergentes começa a despertar de vez a atenção dos “donos do mundo” [multinacionais protegidas pelas políticas protecionistas tanto norte-americana quanto européia]: EUA investiu e ganhou os governos Chileno, Colombiano, Paraguaio... Venezuela, Equador e Bolívia são países que não permitem interferências e o nosso Brasil continua sempre em cima do muro...

Todo esse mosaico de situações políticas, econômicas, sociais e geográficas, culminaram nas Revoluções que hoje assistimos na TV: Iêmen, Líbia, Egito, Omã, e outras nações árabes-mulçumanas que viveram 30, 40 anos sob o domínio de ditadores se rebelaram patrocinadas pelos EUA uma vez que esses ditadores não estavam “controlando o terrorismo” em seus territórios... Pois é, a Guerra Fria voltou desestabilizando governos e executando golpes de Estados em busca de riquezas naturais que possam suprir o modo de vida norte-americano...

2011 será o ano em que tudo começará a sair do controle. E a “bonança” que vivemos hoje irá acabar junto com a falência das grandes potências que hoje, mais do que nunca, sugam todos os recursos possíveis dos países emergentes. Mas continuemos nossas vidas. Continuemos fingindo que o “mundo ninguém fez”... Continuemos crendo que não temos nada haver com nada disso. Afinal, meu mundo particular é muito mais importante que o mundo natural que nos concedeu a vida. Voltamos para o início do ciclo: destruir para reconstruir um mundo do nada. Preparem-se psicologicamente e fisicamente. A situação tende a se agravar, pois uma hora nós teremos que escolher que caminho seguir e o Brasil do jeito que está alienado, sem identidade nacional própria, com o povo embriagado pelo american way of life, será um alvo fácil. Infelizmente ou felizmente, chega uma hora que temos que finalizar aquilo que não está mais funcionando para que, com as experiências adquiridas, possamos novamente recomeçar. A humanidade hoje, pode ser comparada com uma flor-de-lótus: nasce no meio dos mais fétidos pântanos porém é a mais linda flor já vista. Feliz 2011.

---

“Já estou cheio de me sentir vazio. Meu corpo é quente, estou sentindo frio. Todo mundo sabe, ninguém quer mais saber afinal amar ao próximo é tão démodé... E essa justiça desafinada é tão humana e tão errada! Nós assistimos televisão também... Qual é a diferença?! Não estatize meus sentimentos, pro seu governo, meu Estado é independente...” Baader Meinhof Blues - Legião Urbana

Fevereiro, 2011.

PS.: A frase de Roberto Carlos que abre a matéria foi necessária posto que, na maioria das vezes, penso tanto que um labirinto de ideias se forma na minha mente e consequentemente, começo a achar que as palavras não são o bastante para explicitá-las...

PS2.:O editorial de março já está na agulha... Depois do carnaval publico. E dessa vez serei mais cuidadoso para não perder... Abraço a todos.

Walter A.

contato: @walter_amaral [twitter] ou wjr_stoner@hotmail.com