Blogroll

31 de out de 2008

Liberdade Ressecada!


30 de out de 2008

Semana da Consciência Negra

Faltam poucas horas para adentrarmos no mês de novembro. Mês esse que nos trás as lembranças históricas de nossa cidade: Zumbi dos Palmares; Dia da Consciência Negra; Serra da Barriga; Luta por igualdade, liberdade, etc.

Bom, mas e ai? Alguém sabe de mais alguma coisa além disso? Bem, eu sei que ano passado se iniciou aqui na cidade um festival para comemorar o dia da consciência negra, aconteceu a chamada "Semana da Consciência Negra". Foi um projeto interessante e inovador, coisa parecida não tinha acontecido até então por aqui pelo que sei. Porém, faltou divulgação, também um pouco de organização. Foi o primeiro. Pensei comigo mesmo: Ano que vem será diferente.

Obviamente estamos em 2008. Hoje é dia 30 de outubro. Para o dia 20 de novembro faltam 21 dias. O festival deverá começar antes, imagino. Então podemos subtrair alguns dias daquele resultado. Dai pergunto: O que está certo para acontecer esse ano nas comemorações da rica história palmarina? Eu soube de algumas coisas, mas nada oficial. Quero escutar divulgação nas rádios. Quero ver cartazes pela cidade. Quero escutar as perguntas de meus colegas de faculdade e conhecidos de outras localidades sobre a programação do festival da minha cidade. Quero sentir a cidade respirando a cultura que nos pertence.

Wenndell Amaral

28 de out de 2008

ÚLTIMAS:

O prefeito Areski de Freitas juntamente com secretários e correligionários estiveram, nesse dia 28 de outurbro, vistoriando e planejando obras em vários locais do munícipio.

Segundo o Secretário de Comunicação da Prefeitura, Sr. Toni Lima, a obra de calçamento do acesso do Bairro da Vequejada foi o primeiro ponto da visita e tem prazo limite de até o final de mês de novembro para ser concluído. Depois o grupo foi visualizar o futuro terceiro acesso de entrada e saída da cidade, porém o Secretário de Comunicação não deixou claro a exata localidade da futura obra. A terceira e última parada foi no andamento da obra de prolongamento da rua Luiz Gomes de Freitas, conhecida como Rua das Piranhas. Segunda informações oficiais, a rua será totalmente calçada e entregue no prazo de 15 dias.

Todas as obras em andamento estão sob a responsabilidade da Secretaria Municipal de Infra estrutura, a qual está atualmente sob direção do Sr. Paulo César.

Fonte: tonilima.zip.net

Vamos esperar pelos resultados dessas obras. Claramente se percebe que a cidade necessita de pavimentação, calçamentos, enfim, uma infra estrutura bem melhor do que é oferecida atualmente. Mas, senhor prefeito e secretários: Não só façam pavimentar ruas, crias acessos e fazer calçadas, claro que isso é importante, só não esqueçam do famoso SANEAMENTO BÁSICO.


***

Entrevistas no blog do Josivaldo Ramos.

Nesta quinta-feira, dia 30 de outubro, no Blog do JOSIVALDO RAMOS estreará o quadro JOSIVALDO ENTREVISTA.

Esse quadro irá efetuar entrevistas com personalidades Alagoanas, principalmente pessoas que interessam direta ou indiretamente ao público palmarino. O convite já foi enviado aos primeiros nomes: DR. TÁCITO YURI (Promotor de Justiça), GENISETE DE LUCENA (Vereadora), DOUGLAS LOPES (Radialista e Jornalista, já confirmou participação), DAVI SOARES (Jornalista), MARCIÂNGELA GONÇALVES (Presidente do PSOL em União e recentemente candidata a Prefeita, já confirmou participação), serão ainda convidados: ALMIR BELO (Eleito Vereador pelo PT), Dr. EMANUEL PAULO, o Dr. PAULO DO PT (Recentemente candidato a Vice Prefeito) entre outros.

E na estréia o entrevistado será Douglas Lopes, Radialista e Jornalista alagoano. Fica aqui a dica!

Fonte: http://josivaldoramos.zip.net

***

Livro mostra 300 principais discos da música brasileira.

A frase dita por Tim Maia e reproduzida nas primeiras páginas do livro 300 Discos Importantes da Música Brasileira, reflete ainda a triste verdade: "A música brasileira é a melhor do mundo e a menos divulgada." O livro é resultado de um projeto do baterista dos Titãs, Charles Gavin, em parceria com os jornalistas Tárik de Souza, Carlos Calado e Arthur Dapieve. "É uma necessidade urgente. Quero preservar a memória da música brasileira", diz Gavin.

Nele, o baterista e os críticos musicais selecionaram 300 álbuns que, nas palavras de Gavin, "mudaram e continuam mudando a música brasileira." O livro é resultado de um trabalho que o músico começou a fazer em 1998 quando, junto com a gravadora Warner, ajudou a relançar em CD os álbuns de 1973 e 1974 dos Secos & Molhados. "A partir daí não parei mais. Em dez anos consegui recolocar no mercado mais 450 discos dos catálogos da Som Livre, Universal, Sony/BMG e Warner."

A pesquisa é dividida em cinco períodos. De 1929 a 1959 (31 títulos), de 1960 a 1969 (77 títulos), de 1970 a 1979 (104 títulos), de 1980 a 1989 (47 discos) e de 1990 a 2007 (41 títulos). "Cada um de nós fez uma pré-lista com uns 400 álbuns. Daí saíram uns 150 discos que tínhamos em comum", explica. "Naturalmente a maioria dos álbuns selecionados são da década de 70. Para nós é unânime que nos anos 70 foram produzidas no Brasil músicas de altíssima qualidade", diz Gavin.

O preço é salgado, R$ 230, e ele será vendido exclusivamente na Livraria Cultura. O cuidado na edição, no entanto, compensa o investimento. Com 434 páginas no formato 31cm x 31cm (as medidas de um LP) o trabalho é fartamente ilustrado pelas capas de todos os discos e traz de bônus dois CDs encartados, 'O Último Malandro' (1959), de Moreira da Silva, e 'Baterista Wilson das Neves' (1968), de Elza Soares. "São dois álbuns sensacionais e absolutamente essenciais. Estão fora de catálogo", diz Gavin. Parte da renda obtida com a venda do álbum será doada ao Instituto Sou da Paz. As informações são do Jornal da Tarde.

Fonte: yahoo brasil
Redação TM

27 de out de 2008

Vamos colocar tijolinhos coloridos também

Desde janeiro desse ano a cidade foi presenteada com uma praça nova. Na verdade, o que aconteceu foi a reconstrução da Praça Brasiliano Sarmento. Do que era restou só o nome. Até a finalidade antiga foi reformada, imagino eu. Fizeram dela uma praça para múltiplos eventos. Até aqui o problema é pequeno. O que acho grave é a falta de discernimento, a falta de “saber o que a população realmente precisa”, a falta de planejamento por parte da administração pública.

Pelo que andam falando, o custo da reforma da praça ficou entre 300 e 400 mil reais. Afirmo somente pelos comentários dos populares, pois não notei anúncio formal promovido pela administração pública com informações melhores e específicas. Esse montante de dinheiro talvez tivesse melhor destino empregado na construção de um prédio para uma futura Unidade de Emergência Médica Municipal ou de um novo prédio para a Maternidade que funciona no Hospital São Vicente de Paulo.

Todos estão cansados de saber o caos que se encontra a Saúde em nosso estado. Aqui em nossa cidade não é diferente, dessa forma uma outra idéia para o melhor uso desse dinheiro público seria a realização benfeitorias no único hospital da região (que atende do jeito que pode toda população palmarina e ainda as cidades de Branquinha, Santana do Mundaú e São José da Lage), o Hospital São Vicente de Paulo.

Mas não... em quase 8 anos de gestão a prefeitura não se movimentou, até aonde sei, para melhorar aquilo que é a alternativa de milhares de pessoas em se tratando de atendimento médico gratuito. Caso eu esteja afirmando besteiras, espero resposta explicando se algo foi tentado ou mesmo feito. Percebi que a prefeitura preferiu planejar, organizar as finanças para construir uma praça para eventos e festas, na qual, em sua inauguração em meio aos festejos da padroeira da cidade, foram exibidos vídeos com a trajetória dos últimos anos da gestão municipal, com depoimentos efusivos de populares dando vivas e salvas ao então prefeito e companhia (não sei porque, mas não consigo acreditar na boa-fé daquelas manifestações).

Podemos fazer um breve e simples raciocínio? Bom, então vamos lá. Caso uma dessas pessoas, as quais derramaram elogios às iniciativas da prefeitura, precisar de atendimento médico especializado, atendimento rápido, de exames emergenciais, de um pouco mais do que é oferecido aqui, aquela pessoa irá fazer quê? Viajar para Maceió para procurar um Hospital melhor? Um Hospital particular? E quem vai pagar? Vai procurar um hospital público? Estão todos lotados... O SUS? Demora muito... Não há vagas. O que vai terminar acontecendo? A pessoa vai ficar sem tratamento ou com um tratamento retardado. Pode ficar com seqüelas, pode até morrer. Pode vir a não poder mais trabalhar. Pode vir a não ter condições de ao menos tentar dançar na praça nova da cidade.

A Saúde, assim com a Educação, é direito de todos e dever do Estado. No caso, o município deve pesar o que é mais importante para a população (quando não se pode fazer tudo): se é melhor gastar 400 mil reais na total reconstrução de uma praça para festas e eventos ou se é melhor investir e procurar melhorias para a efetivação de uma assistência médica digna. Quando será que aqueles que estão no cargo de prefeito, secretários, vereadores, etc., irão aprender que o interesse político não é o interesse pessoal deles e de seu pequeno grupo?

Até a próxima festa na praça!

Wenndell Amaral

23 de out de 2008

ÚLTIMAS:

Curso à distância "Controle Social"

Controladoria-Geral da União (CGU) é o órgão do Governo Federal responsável por assistir direta e imediatamente ao Presidente da República quanto aos assuntos que, no âmbito do Poder Executivo, sejam relativos à defesa do patrimônio público e ao incremento da transparência da gestão, por meio das atividades de controle interno, auditoria pública, correição, prevenção e combate à corrupção e ouvidoria.

Dessa maneira, a CGU desenvolve o Programa Olho Vivo no Dinheiro Público para incentivar o controle social. O objetivo é fazer com que o cidadão, no município, atue para a melhor aplicação dos recursos públicos.

Diante dessa realidade e, dada a relevância do tema, a CGU, em parceria com a Escola de Administração Fazendária (Esaf), promove o curso Controle Social, com objetivo de incentivar o controle social e promover a cidadania.

Período de Realização: O curso será realizado no período de 03 de novembro a 01 de dezembro de 2008.
Inscrição: As inscrições serão realizadas no período de 24 a 30 de outubro.

Para inscrever-se, o interessado deverá acessar o site da Esaf, no link "Educação a Distância", na opção “inscreva-se aqui”, clique na turma do seu Estado.

Para mais informações, clique aqui.

***

Projeto de acesso à Serra da Barriga contempla passeio público

Projeto de engenharia desenvolvido pelo Departamento de Estradas de Rodagem está orçado em R$ 4,7 mi e prevê calçada para pedestres ao longo do percurso.

O projeto de engenharia para a execução da estrada de acesso à Serra da Barriga, em União dos Palmares, contempla, em seus 4,93 km de extensão, a construção de passeio público (calçada) de 1,20 metros de largura em cada lado da estrada. Segundo o diretor de Planejamento e Acompanhamento do DER/AL, engenheiro Sebastião Braga Mota, a calçada visa atender à demanda de pessoas que fazem o percurso a pé, desde União dos Palmares até a Serra, conforme foi reivindicado pelo Instituto Zumbi dos Palmares.

De acordo com o diretor-geral do DER/AL Ronaldo Lopes, todo o projeto foi elaborado de forma a não causar impacto negativo ao meio ambiente, uma vez que se trata de um sítio histórico e arqueológico. “O que nós fizemos foi adequar o projeto ao traçado original da estrada já existente; toda a pavimentação será feita em paralelepípedo, como já existe em alguns trechos da atual estrada”.

O projeto de acesso à Serra da Barriga foi entregue na quarta-feira, na Secretaria de Igualdade Racial, em Brasília, pelo governador Teotonio Vilela ao ministro Édson Santos. O governador disse ao ministro que será interlocutor junto aos parlamentares federais pra que sejam disponibilizadas emendas que garantam a construção desse acesso.

Ainda de acordo com o projeto de engenharia, a pista de rolamento terá largura de 9 metros e mais 1,20 m para o calçamento de cada lado da pista. O projeto está orçado em R$ 4,7 mi e o prazo de execução de uma obra deste porte, segundo o engenheiro Sebastião Braga Mota, é de aproximadamente 8 meses.

Fonte: Agência Alagoas - Vanessa Omena
Link: http://www.agenciaalagoas.al.gov.br/noticia.kmf?cod=7811087

21 de out de 2008

EMAIL: CADÊ O ZUMBI?

O ZUMBI ESPORTE CLUBE fundado no dia 15 de novembro de 1954, por um grupo de jovens desportistas da época, foi o primeiro clube do interior a disputar a primeira divisão do Campeonato Alagoano, chegando, inclusive, a ser a terceira força do estado, porém, hoje, o clube encontra-se parado, sem apoio e não dispõe sequer de um time, ou seja, só vive na lembrança de alguns palmarinos saudosos.

O nome do clube é uma homenagem ao grande mártir ZUMBI, o último chefe do QUILOMBO DOS PALMARES. No momento o time do Zumbi encontra-se inativo e o seu estádio, ORLANDO GOMES DE BARROS (ORLANDÃO), com capacidade para quatro mil pessoas, está em péssimas condições de jogo, mas, mesmo assim alguns ainda se aventuram em jogar por lá.

A última competição oficial do Zumbi foi a segunda divisão no ano de 2001, o Zumbi precisava vencer para se classificar para a segunda fase e o jogo era no estádio Coaracy da Mata, em Palmeiras dos Índios e seria contra o Igaci, mas, não se sabe por qual motivo o Zumbi não compareceu ao estádio e sendo assim o Zumbi perdeu a chance e beneficiou a equipe do CSE, de Palmeira dos Índios, que se classificou junto do Igaci. Estranho não?

Era muito bom ver o Zumbi jogar contra equipes como CRB, CSA, CORINTHIANS, ASA, era um excelente passatempo, o estádio era sempre cheio, e o Zumbi tinha bons jogadores, claro que comparado aos outros times de Alagoas, como o goleiro Índio, o volante Terto, o atacante Marcelo Fumaça, e etc, mas, é uma pena a cidade de União, que possui segundo dados do IBGE 2008, a quarta maior população do Estado, não ter um time na primeira divisão, onde podemos ver cidades menores tendo essa oportunidade, como IGACI, MURICI, BOCA DA MATA, PENEDO, SANTANA DO IPANEMA.

Quem sabe o grande time do Zumbi volta um dia a nos alegrar nas tardes de domingo, mas primeiro, cabe a PREFEITURA MUNICIPAL recuperar o estádio ORLANDÃO, construído na administração do ex- prefeito JOSÉ PRAXEDES NETO que passa no momento por problemas de ordem estrutural, muro caído, cobertura das cadeiras cativas arrancadas, além do mais, a grama do estádio precisa de um corte urgente, pois parece mais um pasto.

Mas, enquanto o Zumbi não volta, vamos torcer por mais um clube que defende o nome de nossa cidade no meio futebolístico, o UNIÃO FUTEBOL CLUBE, dirigido e treinado pelo professor de educação física, MARINALDO LIMA, que joga atualmente o CAMPEONATO ALAGOANO em duas modalidades, o sub-15 e o sub-17, organizada pela FEDERAÇÃO ALAGOANA DE FUTEBOL No sub-17 o time está no GRUPO D, com 3 vitórias, 3 empates, 12 GP e 02 GC. No sub-15 o time também está invicto, e faz parte do GRUPO C, com 2 vitórias e 2 empates, 5 GP, 1 GC. O Campeonato ainda está em curso e vamos continuar acompanhando o desempenho de nosso time.

VIVA UNIÃO! VIVA ZUMBI!

VOCÊ SABIA?
O ZUMBI subiu para a primeira divisão no ano de 1996, ficando em 6º nesse ano. Em 1997, Marcelo Fumaça, atacante do ZUMBI foi artilheiro do Campeonato Alagoano com 14 gols.

Em 1998, o ZUMBI fez sua melhor campanha no Campeonato Alagoano, ficando em 5º lugar na classificação geral. Com 11 Vitórias, 05 Empates e 06 Derrotas, 36 Gols a favor e 25 Gols contra. Já em 1999, terminou o campeonato em 10º lugar no geral, sendo assim, foi rebaixado e nunca mais voltou.
Franco Maciel
universitário palmarino

20 de out de 2008

20 DE NOVEMBRO - CONSCIÊNCIA JÁ

Durante muito tempo à questão do negro no Brasil só era lembrada na data 13 de maio, dia da assinatura da Lei Áurea, em 1888, abolindo a escravatura. Normalmente nessa data nas escolas, as crianças negras faziam o papel de escravos e a loirinha se vestia de princesa Isabel, nada era falado sobre a resistência e as lutas dos negros, o destaque era pela ação da princesa Isabel.

Nos anos 70 com o surgimento dos Movimentos Negros, ocorreu a denuncia desse equívoco e distorção. Assim, começou uma luta para que o povo brasileiro lembrasse e conhecesse as lideranças negras e as muitas ações de resistências dos negros africanos através da história.

Um os pontos principais do Movimento Negro da atualidade foi enunciar que o dia 13 de maio não deve ser comemorado enfatizando a passividade do negro diante da ação misericordiosa do branco, afinal, durante a escravidão houve muitos movimentos de luta e resistência em diversas regiões do país. Dessa forma, atualmente os Movimentos Negros atribuem um significado político ao 13 de maio, ou seja, promovem esse dia como o dia Nacional de Luta Contra o Racismo.

O Movimento Negro também deu destaque ao dia 20 de novembro, dia da morte de Zumbi – do Quilombo dos Palmares – como uma data a ser lembrada e comemorada, já que ele é considerado um dos principais símbolos de luta e resistência contra a opressão e exclusão vivenciada hoje pelos afros-descendentes.

A intenção de comemorar essa data – 20 de novembro – se deu em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. O primeiro passo foi dado, conta o historiador Alfredo Boulos Júnior, pelo poeta Oliveira Silveira, membro do Grupo Palmares, uma associação cultural negra. Ao conhecerem o livro “O Quilombo dos Palmares”, de Edison Carneiro (baiano), os participantes dessa associação entenderam que Palmares foi a maior manifestação de resistência negra na história brasileira.

No dia 20 de novembro de 1971, no Clube Náutico Marcílio Dias, fez-se a primeira homenagem a Zumbi dos Palmares. Esse foi o primeiro passo para que ocorresse em Salvador no dia 7 de julho de 1978, uma proposta pelo MNU – Movimento Negro Unificado – para que em 20 de novembro fosse o dia Nacional da Consciência Negra. Associações e Movimentos Negros de todo o país aceitaram a proposta e essa data representa o resgate no sentido político de luta, da resistência contra a opressão social.

Assim, a partir da década de 70, Zumbi passou a ser valorizado no contexto de luta contra o mito da “democracia racial”, auxiliando na desmistificação que a história apregoa sobre o tipo de relações raciais desenvolvidas no Brasil, como sendo uma escravidão pouco violenta e de resistências sem tanta importância.

A visão da “democracia racial” ainda tenta apresentar para a sociedade a idéia de que os diferentes grupos étnico-raciais no Brasil existentes viveram e ainda vivem harmoniosamente diferentes da resistência dos outros paises. Daí a importância de Zumbi dos Palmares, sua representação ativa e rebelde se contrapõe a toda essa idéia instituída pelo branco. A imagem de Zumbi não só representa a resistência negra, mas, contribui também, para que negros e brancos compreendam, aceitem e reconheçam as diferenças humanas.

Em 2003, foi sancionada a lei 10.639/03 sendo instituída obrigatoriedade da inclusão da História da África e da Cultura Afro-brasileira no currículo das escolas pública e particular de ensino fundamental e médio. A lei também determina que o dia 20 de novembro deverá ser incluído no calendário escolar como dia Nacional da Consciência Negra.
Toda essa nova leitura sobre o negro se deve principalmente à luta da Comunidade Negra e dos Movimentos Negros de todo Brasil.

Ao relembrar toda essa trajetória de vitórias não só do negro, mas, também do povo brasileiro, por sermos um povo miscigenado e termos como herança nosso jeito guerreiro de ser - nunca desistimos - sendo assim, conclamo a todos para refletir sobre a necessidade de acolhermo-nos uns aos outros, pondo por fim o preconceito racial. Que possamos criar em nossos filhos seres melhores e um mundo melhor. A foto postada nos faz acreditar que isso é possível.
Confiemos e lutemos, pois, “sonho que se sonha junto se torna realidade”.

Texto publicado por Ilze Soares - Salvador (BA)
no blog do site overmundo.com.br

Link para a postagem original: http://www.overmundo.com.br/overblog/20-de-novembro-consciencia-ja

Depressão Econômica, iminência de Guerra.

Nos últimos dias, o que se mais vê nos telejornais são notícias alarmantes sobre as bolsas de valores em queda. Meu professor de Economia não era lá, digamos, um entusiasta do ensino; não consegui entender muito bem o que eram as bolsas e como funcionava aquele mercado de gente gritando, vendendo papel, comprando papel, etc. Então, por livre e espontânea pressão do mundo, pesquisei sobre a tal falada crise em sua raiz: as bolsas de valores:

-O que é bolsa de valores?
É o mercado organizado onde se negociam AÇÕES de empresas de capital aberto (públicas ou privadas).

-O que são Ações?
Uma empresa tem seu capital social - leia-se patrimônio - dividido em pequenas parcelas chamadas Ações. As Ações representam a menor fração do capital social de uma empresa ou seja, é o resultado da divisão do patrimônio em partes iguais. As empresas que dividem seu patrimônio com o intuito de venda na bolsa de valores são chamadas de 'empresas de capital aberto'. Nessas empresas, qualquer pessoa pode se tornar sócio apenas comprando Ações. Quanto mais uma empresa tem lucro mais aparecem pessoas querendo se tornar sócias. A negociação é diária, desse modo, o preço das ações flutua: se há muitos compradores, o preço tende a subir; do contrário, ou seja, quando há muitos investidores vendendo essas ações, o preço cai, é a lei da oferta e da procura. Até aqui não é facilmente observado nada de extraordinário. Aí mora a serpente das crises. Com a expansão da globalização milhares de empresas abriram seu capital e como a economia mundial só crescia, muitos investidores de todo o mundo compraram mais e mais Ações. Vamos tomar como exemplo-base os bancos americanos: disponibilizaram muitos empréstimos para a compra de casas. Quanto mais clientes o banco tinha, mais a procura por suas ações cresciam. Só que ninguem contava que a facilidade em contrair empréstimos também trouxera com ela a facilidade de não quita-los. Some-se ainda as guerras no Oriente Médio que fez com que a economia norte-americana deixasse de crescer, causando desemprego, reforçando o não pagamento de empréstimos. Como a taxa de inadimplencia só crescia e o dinheiro não parava de sair em forma de empréstimos, apesar de os lucros anunciados pelos bancos nos últimos anos serem altíssimo (influenciando milhares de pessoas a comprar Ações), alguns dos maiores bancos do mundo faliram, fazendo com que os preços de suas Ações caíssem violentamente, uma vez que os acionistas não tinham mais garantia se suas Ações - o pedaço do patrimônio da empresa - pederiam muito o valor. Os donos das Ações, não perderam tempo e começaram a vender sua parte a preço de banana já que as Ações não têm quase nenhum valor com uma empresa quebrada. Essa venda de Ações desesperada fez o preço do dólar subir.

-Porque mesmo com lucros altos os bancos faliram?
Ao mesmo tempo que os bancos emprestavam dinheiro, seus executivos, diretores, gerentes, ganhavam bonus por resultados. Bônus milhionários. A seguradora inglesa AIG distribuiu 400 milhões de dólares em bônus de julho a janeiro deste ano, em um escritório com 64 pessoas. Muitos desses executivos, diretores, gerentes, são corruptos e aproveitavam o monte de dinheiro disponível para lucrar e muito, especulando, maquiando balancetes, axaltando lucros, etc. Onde isso me afeta? Até agora, não dá pra sentir muita diferença. A alta de preços não será o primeiro sintoma. De início ficará mais difícil contrair empréstimos; um aumento no preço de combustíveis também é esperado. Pode haver muitas outras coisas; não sou especialista no assunto e não pesquisei tanto sobre essa parte...

-Existe solução?
Pelo que li, a única aposta é a aposta dos EUA: ajudar financeiramente os bancos falidos. Resumindo: privatizando, jpa que eles compraram a maioria das Ações. A Europa e Ásia segue na mesma linha, em ritmo mais lento. Quem diria! O discurso da democracia neo-liberalista até que fim ruiu! Os capitalistas privatizando os bancos, que praticamente são donos de quase todas as empresas - através de emprestimos. Privatizando os bancos, espera-se que a confiança dos donos de Ações volte ao normal.

-E a guerra do título, onde entra?
Com a ajuda da mídia cumplice atual, conseguesse manipular a atenção de todo o mundo para a crise financeira. A maioria das pessoas enquecem do Iraque, Afeganistão, Paquistão, Síria, Israel, Líbano, Palestina, Congo, Quênia, Somália, e tantos outros países em guerra. Bombas atômicas estão postas de frente para Moscou. Nenhum jornal alarde essas coisas. Alarda o que serve para distrair e preocupar. Alarda o futebol, as decisões populescas da justiça, alarda a crise que nem chegou ainda e que eles já sabem no que vai dar: em 1929 houve uma quebra tão grande quanto essa, pelos mesmos motivos que essa, e desembocou na 2º Guerra Mundial - ei, mas onde Hitler entra nessa história? Entra na mesma proporção que o governo chinês hoje. Depois vieram guerras menores: vietnã, coréia, golfo: todas para suprir os norte-americanos de alguma forma seja em riqueza natural ou posição estratégica. Em 1997 estourou outra crise, a asiática: o dólar aqui chegou a 2, 97. Novamente a guerra chega com a queda do word trade center. Todos sabiam que Bin Laden já não morava no Afeganistão há anos e Sadam Hussein não tinha nem bala pro soldados. Novamente uma crise financeira chega até nós e deste vez com os bancos provatizados. Agora todos os países ricos podem fazer o que quiser com o mundo, inclusive invadir o Irã. Os economistas não dizem, mas crises são corriqueiras no capitalismo, os teoricos já sabiam. Eles sabiam que do tamanho da crise (assim como sabiam de todas as outras) onde bancos quebram, pessoas com medo retiram dinheiro de suas contas, caem os pressos das ações, etc. Eles sabiam disso tudo o tempo todo. Essa não é a primeira crise, mas do resultado (abundante) dela poderá resultar uma última guerra.
Walter Jr.
Redator Chefe

19 de out de 2008

Você acha que se conhece?

Somos previsíveis quando afirmamos que agiríamos de certa forma em determinada situação. Isto ocorre porque pensamos que nos conhecemos. Mas, segundo o filme “CRASH – No Limite”, só nos conhecemos diante das circunstâncias. Assisti ao filme numa noite chuvosa, e recomendo-o, de preferência acompanhado de um saquinho de pipoca e brigadeiro. O roteiro foi dirigido por Paul Haggis e estreou no Brasil em 2005. Ele sintetiza situações de vários personagens diferentes da cidade de Los Angeles, que tem suas vidas relacionadas nas próximas 36 horas.

Nota-se que, durante todo o perpassar do filme, o que ocorre é um etnocentrismo exacerbado, presente desde em famílias menos favorecidas economicamente às mais abastadas. Essa forma de ver o mundo, analisando a cultura e os valores dos outros a partir dos seus como centro, termina gerando um aspecto de hierarquia entre os sociedades diferentes.

Dessa visão etnocêntrica, por conseguinte, nasce o preconceito, que encontra surpreendente aceitação social para existir desde os primórdios da história mundial, caracterizado por considerar uma outra cultura, sociedade, cor ou estilo de modo inferior ou menos desenvolvido. Com frutos prevalecentes até hoje, apesar de uma enorme avanço em relação aos conceitos de igualdade, o preconceito ainda é responsável por uma grande quantidade de conflitos. Ao longo do filme, percebe-se, nos diversos cenários, a existência de situações que evidenciam estes conflitos, como o uso da violência policial em um casal afro-americano; o homicídio de um rapaz negro da periferia; a desconfiança sofrida por um indivíduo mexicano especialista em chaves; a revolta de dois jovens negros, que roubam por se sentirem excluídos socialmente. É claramente visível que as relações interperssoais eram realizadas de maneira diferente, dependendo do destinatário a qual se destinava, e não de forma eqüitativa.

Um conceito totalmente contrário ao do etnocentrismo seria o relativismo, que acredita que não existem verdades em sua essência, mas que elas são apenas pontos de vista. Dessa forma, o relativismo não impõe uma visão hierárquica sobre as sociedades diferentes, pelo contrário, ele afirma que a diferença é a maior riqueza entre elas. Esta visão concederia respeito e aceitação às demais culturas e valores, diferentes dos qual o indivíduo estivesse inserido, ao mesmo tempo, que faz nascer outros conflitos, frente à aplicação dos Direitos Humanos.

No entanto, o preconceito, advindo do etnocentrismo, é o valor que permanece no filme, tendo os personagens esquecido de respeitar os valores do outro, deixando à esguelha qualquer relativismo. Sendo assim, o modo como certa cultura age e resolve seus problemas é dado como superior aos outros, conservando um pouco de xenofobia nas suas relações sociais e mantendo abstrato o conceito de igualdade. O Roteiro permite reflexões, deixando dúvidas de você para você mesmo.

Sara Albuquerque.

17 de out de 2008

MÚSICA: Amy Winehouse

CD:
Back to Black - Amy Winehouse
Universal Music, 2007.

Números:

Mais de 2 milhões de cópias apenas no Reino Unido, 5 milhões de cópias em 2007, 10 milhões no mundo até o 1º semestre de 2008, 6 indicações ao Grammy, ganhou 5 – melhor canção, gravação, artista revelação, álbum pop e interpretação feminina.

A obra:

Esses números revelam lucros astronômicos para o mundo a música e para imprensa. Back to black possui letras autobiográficas e “de lascar”. É considerado um dos álbuns mais vendidos do século XXI, desbancando o suave e intimista “Come Away With Me” de Norah Jones. Deixando Winehouse entre as grandes feras como Dido, Coldplay e os quatro rapazes de Liverpool, The Beatles.

Com notória influência jazzística já de cara, o álbum emplaca com “Rehab”, “You know I’m no good” e a faixa título, “Back to Black”. É um verdadeiro achado em tempos de “crise criativa” no meio musical. Um prato cheio para aqueles que curtem Black Music.

A autora – “Soul woman bêbada”:

Essa suburbana de Southgate, bairro de Londres, teve a voz comparada pela crítica a Sarah Vaughan (cantora estadunidense de Jazz. Junto com Billie Holiday e Ella Fitzgerald é considerada por muitos como uma das mais importantes e influentes vozes feminina do Jazz.).

Amy Winehouse, 25, branca, filha de uma família judia. Mitchell, o pai, taxista e fã de Jazz e Janis, a mãe, farmacêutica. A pequena Amy cresceu ouvindo Dinah Washington por influência do pai, obteve seu seleto destaque e abriu uma nova vertente para o futuro da soul music. Tem cara de dona-de-casa dos anos 70, se veste como uma dona-de-casa dos anos 70, assim, em seu estilo retrô, revolucionou o universo da moda. Timbre raro como Winehouse surgiu na face da terra há muito tempo, uma texana chamada Janis Joplin.

As últimas notícias sobre Winehouse são um tanto destrutivas, seu nome já é sinônimo de desastre, qualquer site de busca traz escândalos a seu respeito e os portais informativos estão à espera de seu big bang!

Bêbada, chapada, semi-nua e boatos sobre casos extra conjugais é o que rola a seu respeito pela rede mundial de computadores e nos telejornais de maior audiência no mundo.

Winehouse teve infância conturbada por conta do problemático relacionamento entre os pais, seu marido, o oportunista Blake Fielder-Civil cumpre cárcere privado por agredir o dono de um pub, o vício do crack... fatos como esses resultou em cenas como a que mais de 100 mil pessoas presenciaram no ultimo Rock In Rio Lisboa. O YouTube traz tal detalhe a público.

Jimi Hendrix, Janis Joplin, Jim Morrison, Kurt Cobain...a pergunta suge: Amy, você vai esperar chegar aos 27? Ou existem muitas pedras em seu caminho?


Nota do redator: Dica de disco do mês de outubro em repúdio a aposta de um iPOD e aos meios de comunicação sensacionalistas e oportunistas, os quais se apresentam dia após dia, esperando um fato novo dos momentos frustrados de Amy Winehouse.



Bruno Clériston
Redator

16 de out de 2008

ÚLTIMAS:

Nessa quarta-feira, dia 15, o TempoModerno atendeu ao convite do Radialista e Diretor da Rádio Zumbi dos Palmares FM, Sílvio Sarmento, para particpar, em seu aconchegante estúdio, de uma entrevista que na verdade foi mais um bate-papo com o prefeito de União dos Palmares Areski de Freitas. Quem escutou a conversa pôde ficar sabendo um pouco mais sobre o que o Prefeito "Kil" pensa, o que quer fazer ou deixar de fazer pela cidade. A entrevista foi bem produtiva e nós do TM agradecemos de modo sincero e prazero a oportunidade dada.

O TM esteve presente na entrevista nas pessoas do Wenndell Amaral e Walter Jr. Talvez possamos esperar um TempoModerno nas ondas do rádio... Num futuro próximo... Quem sabe? Fica no ar...

***

Hoje, dia 16, enquanto participava de um outro bate-papo também na Rádio Zumbi FM, o candidato a vereador não eleito, o advogado Paulo Cavalcante, soltou o verbo e fez denúncias gravíssimas sobre a conduta do candidato eleito Bruno Praxedes durante sua campanha, a qual lhe deu o primeiro lugar no total de votos para um só candidato. Dr. Paulo Cavalcante criticou a conduta do vereador Bruno Praxedes enfatizando que ele comprou votos e exagerou do poder monetário. Ainda disse também que conseguiu reunir provas de tudo de errado que ele conseguiu averiguar pela cidade, principalmente em relação ao "Bruno Praxedes, pois eu o persegui, no bom sentido", segundo as palavras do Dr. Paulo Cavalcante, e as provas já foram encaminhadas para as autoridades competentes, o Ministério Público Eleitoral e o Juiz Eleitoral de União dos Palmares.

Vamos esperar o que vai acontecer. Bem, a população palmarina nunca deixou de falar que a compra de voto existia e continua existindo. As autoridades competentes para investigar e punir essa prática devem estar bem ocupadas. Será que a Polícia Federal vai passar aqui por União também, será?

***
E nessa sexta-feira, dia 17, será a vez do Sr. Beto Baia ter voz no programa conduzido por Sílvio Sarmento na Rádio Zumbi FM. O segundo colocado no pleito eleitoral desse ano de 2008 para prefeito terá a oportunidade, mais uma vez, de falar para a população palmarina, agora sem a obrigação de angariar votos. Vamos todos escutar com atenção na 87,9 FM.

***

Municípios terão propostas culturais regulamentadas.

Municípios, produtores culturais e interessados que apresentarem propostas culturais ao Ministério da Cultura (MinC) em busca de incentivos fiscais terão as propostas regulamentadas por meio da Portaria 54/2008. A portaria informará quais são os documentos exigidos, o prazo e a forma de envio. As propostas devem ser encaminhadas com 90 dias de antecedência do inicio da execução do evento, em formulário fornecido pelo ministério.

A documentação deverá ser entregue para o MinC em Brasília ou em suas regionais de representação. Está prevista a implantação do Sistema de Apresentação de Propostas Culturais ViaWeb, no qual as propostas serão enviadas via Internet quando a implantação for definitiva.

Após o cadastramento, o MinC informará o número do Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac), que possibilitará o acompanhamento pelo site do Ministério. Informações adicionais poderão ser solicitadas enquanto a proposta estiver em análise. Caso não sejam atendidas, o processo é arquivado automaticamente.

fonte da notícia: www.alemtemporeal.com.br

Prefeitura Municipal de União dos Palmares, secretários de Turismo, Educação, Cultura, ou qualquer outras secretarias interessadas, servidores destacados para esse tipo de serviço: mãos à obra!

Redação TM

15 de out de 2008

O ser humano e a Fé.


Ultimamente tenho gasto um pouco do meu tempo observando os costumes e certos comportamentos que a raça humana eventualmente preza em ocultar, mas que quase todos possuem.

A fé é quase unanimidade entre os que acreditam em um ser superior que os criou e os protege, e até entre os que professam não acreditar nesse ser existem os que demonstram possuir essa fé!

A fé consiste basicamente na esperança que o indivíduo possui em que algo acima de sua capacidade possa ser realizado. Mas fé seria a mesma coisa que esperança? Não, pois você pode nutrir esperanças sobre um acontecimento que se realizará sem a necessidade de que algo excepcional o execute.

Por isso os seres humanos têm fé em vida após a morte, ou no paraíso, ou em reencarnação, ou no apocalipse e posteriormente na postulação do legado de Jeová estabelecido na Terra por Jesus, ou em karma, ou em qualquer tipo transcendentalismo, por ser um ser tão materialista não se conforma com o fato de um dia deixar de existir.

Embora existam alguns indivíduos dessa raça que se preocupam com o futuro do planeta, e consequentemente têm fé nisso – esses num tempo próximo poderão ser considerados santos – o resto da raça que professa fé em algum tipo de oni-potência-ciênscia-presença passa a vida tendo fé numa vida após a morte, e só se preocupam com a própria vida.

O Homo Sapiens Sapiens, criou uma sociedade onde a única preocupação é a vida de agora, a realização dos desejos materiais, seja a luxúria, a avareza, a inveja, a ira, a gula, a preguiça, a vaidade ou o orgulho. Deixo a critério encaixar onde cada um de seus desejos cabe nessa lista.

Essa raça não se preocupa com o ser superior que os criou, com o futuro do planeta, com paz, ou com uma vida melhor para todos, e se muito, se preocupa apenas com o futuro de seus parentes, e isso a teoria da evolução de Darwin explica tranqüilamente. No final o amor fica apenas da mãe para o filho e posteriormente dessa para um neto ou por ventura um bisneto.

E a fé? A fé nesse ser superior provém logicamente do medo que os humanos têm da morte, ou de suas antecessoras (doenças, calamidades, etc.). Por ser o animal mais materialista o homem não pode passar a vida com medo dessas coisas e por isso também é o único que possui fé, e é nela que se apóia para poder ter uma morte menos dolorosa, pois no final ele possui a fé de que irá reencarnar, ou que irá para o paraíso, ou que Jesus voltará e acabará com todos os maus e ressuscitará os inocentes e posteriormente na postulação do legado de Jeová estabelecido na Terra por ele, ou que irá renascer como boi para pagar seus pecados ou como um ser mais evoluído por já os ter pagado.
E é nesse comportamento que eu venho prestando atenção nos últimos dias, nessa falsa crença de fé que essa raça possui, pois basta sentir o gosto do poder – que é um sentimento quase oposto a fé, por dar a também falsa noção da não necessidade da intervenção de um ser superior por se estar podendo tudo – para deixar a fé de lado.

Os humanos só se preocupam com o aqui, o agora, e consigo próprios, porém necessitam da fé para que possam viver esse tipo de vida sem remorsos. A máxima disso é vista quando um desses indivíduos em sua situação moribunda se arrepende de todos os seus atos negativos e de não ter vivido como e para quê realmente deveria ter vivido, mais como tudo que essa raça sente, é fugaz e finda com sua morte.


Mighell "Mitoleon" Mitomari.

13 de out de 2008

LIVROS:

No dia 25 de agosto do corrente ano completou-se 108 anos da morte do filósofo Friedrich Wilhelm Nietzsche. Nietzsche, filho de pais protestantes, nascido em 1844, evitava ler outros autores quando se dispunha a escrever. Esse exemplo de atitude demonstra em menor escala a capacidade de inovação do filósofo num tempo em que cada vez mais buscava-se, independente da vertente científica, um aval de pensadores do passado.

Nietzsche pensava ao contrário: durante seus estudos na Universidade de Leipzig na antiga Prússia (atual Alemanha) conhece as idéias de Schopenhauer (O Mundo como Vontade e Representação, 1818) despertando sua verve filosófica e o fazendo afastar-se de vez da teologia herdada do pai, um pastor evangélico. Aos 25 anos é nomeado professor de Filologia ( ciência que estuda uma língua, literatura, cultura ou civilização sob uma visão histórica, a partir de documentos escritos) na universidade de Basiléia. Adota então a nacionalidade suíça. Desenvolve durante dez anos a sua acuidade filosófica no contato com o pensamento grego antigo - com predileção para os Pré-socráticos, em especial para Heráclito e Empédocles.

Em 1879 seu estado de saúde obriga-o a deixar o posto de professor. Sua voz, inaudível, afasta os alunos. Começa então uma vida errante em busca de um clima favorável tanto para sua saúde como para seu pensamento (Veneza, Gênova, Turim, Nice, Sils-Maria...) : "Não somos como aqueles que chegam a formar pensamentos senão no meio dos livros - o nosso hábito é pensar ao ar livre, andando, saltando, escalando, dançando (...)." Em 1882, ele encontra Paul Rée e Lou Andreas-Salomé, a quem pede em casamento. Ela recusa, após ter-lhe feito esperar sentimentos recíprocos. No mesmo ano, começa a escrever o Assim Falou Zaratustra, quando de uma estada em Nice. Nietzsche não cessa de escrever com um ritmo crescente. Este período termina brutalmente em 3 de Janeiro de 1889 com uma "crise de loucura" que, durando até à sua morte, coloca-o sob a tutela da sua mãe e sua irmã.

No início desta loucura, Nietzsche encarna alternativamente as figuras míticas de Dionísio e Cristo, expressa em bizarras cartas, afundando depois em um silêncio quase completo até a sua morte. Estudos recentes se inclinam antes para um câncro (câncer) do cérebro, que eventualmente pode ter origem sifilítica. Sua irmã falseou seus escritos após a sua morte para apoiar uma causa anti-semita. Falácia, tendo em vista a repulsa de Nietzsche ao anti-semitismo em seus escritos. Entretanto, sua irmã morre confortavelmente sob a tutela nazista. Durante toda sua vida sempre tentou explicar o insucesso de sua literatura, chegando a conclusão de que nascera póstumo, para os leitores do porvir. Muitos estudiosos da época tentaram localizar os momentos que Nietzsche escrevia sob crises nervosas ou sob efeito de drogas (Nietzsche estudou biologia e tentava descobrir sua própria maneira de minimizar os efeitos da sua doença).

Crítico da cultura ocidental e suas religiões e, conseqüentemente, da moral judaico-cristã. Associado equivocadamente, ainda hoje, por alguns ao niilismo e ao nazismo - uma visão que grandes leitores e estudiosos de Nietzsche, como Foucault, Deleuze ou Klossowski procuraram desfazer - juntamente com Marx e Freud - Nietzsche é um dos autores mais controversos na história da filosofia moderna. Nietzsche quis ser o grande “desmascarador” de todos os preconceitos e ilusões do gênero humano, aquele que ousa olhar, sem temor, aquilo que se esconde por trás de valores universalmente aceitos, por trás das grandes e pequenas verdades melhor assentadas, por trás dos ideais que serviram de base para a civilização e nortearam o rumo dos acontecimentos históricos. E assim a moral tradicional, e principalmente esboçada por Kant, a religião e a política não são para ele nada mais que máscaras que escondem uma realidade inquietante e ameaçadora, cuja visão é difícil de suportar. A moral, seja ela kantiana ou hegeliana, e até a catharsis aristotélica são caminhos mais fáceis de serem trilhados para se subtrair à plena visão autêntica da vida.

Nos dias de hoje, Nietzsche é possivelmente um dos pensadores que mais causa efeitos nos escritores que se debruçam sobre os aspectos morais e anticristãos contemporâneos, doravante através da obra de outros autores como os pensadores franceses Jacques Derrida, Guiles Deleuze, Michel Foucault, entre tantos outros.

Inúmeras palestras e cursos são ministrados diariamente com o intuito de debulhar suas idéias. Existem hoje mestres e doutores na filosofia de Nietzsche. Há muito mais estudo sobre ele do que sobre qualquer outro filósofo antigo ou moderno. Por isso é fácil afirmar, que depois de Sócrates, Nietzsche foi o maior filósofo que a humanidade produziu.

Por toda sua contribuição para que enxerguemos o mundo sem representações desnecessárias, fazemos essa homenagem, ao super-homem - Übbermensch, ao pé da letra "sobre-humano"- termo cunhado pelo próprio para definir aqueles homens de espíritos-livres, pensadores, que duvidam até da própria dúvida. Não se deixem abater pela densa leitura; depois que se absorve o que tem a nos dizer, tudo fica claro, como a água.

Clique aqui, baixe e conheça as idéias de Nietzsche no nosso HD Moderno.

Obras Postadas:

-A Origem da Tragédia
E de quebra também postado, Quando Nietzsche Chorou, de Irwin D. Yalom:
Romance que conta a história do pai da psicanálise Sigmund Freud e seu mentor o médico Joseph Breuer que se vêem envolvidos com um paciente, no mínimo intrigante: Friedrich Nietzsche. Imperdível.

Walter Jr.
Redator Chefe

Ofício

Ofício nº 01/2009
União dos Palmares/AL, 09 de fevereiro de 2009.

Assunto: solicitação de esclarecimentos e abertura objetiva de direito de resposta.

Sr. Secretário,

Através deste, o Tempo Moderno, por intermédio de seu colaborador fixo abaixo subscrito, vem solicitar a vossa senhoria esclarecimentos em relação ao artigo publicado na página do blog na internet, no dia 07 de fevereiro do corrente ano, com o título “Estamos de Olho”, devidamente assinado pelo seu autor, artigo este que deve ter se mostrado controverso de alguma maneira para com a pessoa do Secretário de Cultura, algo que pode ser concluído por uma ligação efetuada por vossa senhoria, direcionada a um parente de dois de nossos colaboradores fixos. Ligação que tinha como fundamento perguntas acerca do já referido artigo.

Queremos saber exatamente o que pode ter atingido de qualquer maneira a pessoa física ou o intelecto do Sr. Secretário de Cultura, para que, dessa maneira, não haja qualquer mal entendido ou outro tipo de mal estar entre o blog e este departamento do Poder Executivo Municipal, pois o foco do artigo publicado não foi o de denegrir a imagem ou a moral de quem quer que seja, muito menos esse é o cerne do blog Tempo Moderno, e sim, é o de exercer seu direito garantido fundamentalmente pela Lei Maior deste país, e esta, por sua vez, enaltece que é assegurado a todos o direito à informação.

O prezado Secretário, querendo, pode ter seu direito de resposta atendido e publicado, podendo gozar de, se for o caso, uma retratação em nome do Tempo Moderno, consoante o texto de nossa Carta Magna em seu inciso V do art. 5º.

Por isso, o Tempo Moderno e todos os seus colaboradores fixos entendem a total falta de necessidade de o ora agente público no cargo de Secretário de Cultura ter entrado em contato com uma pessoa estranha às atividades do blog para buscar informações, pessoa que não tem ou tinha qualquer relação com o conteúdo publicado muito menos qualquer responsabilidade ou informação a dar, tendo em vista as várias maneiras de entrar em contato que o blog disponibiliza: dois endereços de e-mail divulgados na página, a página do site de relacionamentos de cada um dos colaboradores e também o espaço para comentários abaixo de cada texto publicado.

Ficamos nos perguntando se o Sr. Secretário queria de alguma maneira usar de sua influência no exercício do cargo e afetar diretamente a vida pessoal de alguns de nossos colaboradores. Queremos negativar essa alternativa que nos aparece como única pela falta de contato da presente Secretaria por meio de um representante seu.

Desde já deixamos claro que o blog Tempo Moderno faz seu papel dentro dos limites e deveres impostos por lei, fiscalizando e opinando no que é de direito o ser, de acordo com o que está expresso na Constituição Federal deste país em seu art. 5º, inciso IV, que é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato, pois, ainda segundo o referido estatuto jurídico, todo poder emana do povo e por ele é exercido por meio de representantes eleitos ou diretamente.

Também, consoante as legislações que versam sobre a administração pública e dispõem o direito e dever para todo cidadão, entre outras coisas, de fiscalizar os atos dos agentes públicos, opinar e concorrer para o desenvolvimento do local onde ele vive. E os citados agentes públicos devem agir mediante o atendimento dos princípios constitucionais que regulam a função administrativa: legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência. Seguindo esse raciocínio e para evitar controvérsias, sugerimos que a Secretaria de Cultura divulgue mais e melhor seus atos.

Aproveitando esse expediente e de acordo com a fundamentação expressa, solicitamos:

1- O cronograma de trabalhos e projetos da Secretaria Municipal de Cultura de União dos Palmares para esse ano de 2009;
2- A prestação de contas referente a participação da Secretaria Municipal de Cultura de União dos Palmares no Evento “Palco Alternativo” da Festa de Santa Maria Madalena.

A resposta desse Ofício pode ser entregue pessoalmente em mãos de algum de nossos colaboradores fixos, os quais podem ser identificados na página inicial do blog. Não sendo possível, aguardaremos a resposta via e-mail, no prazo razoável de 10 (dez) dias, através do seguinte endereço: tempo_moderno@hotmail.com ou, ainda, caso não haja resposta antes das maneiras anteriores, compareceremos nas dependências da Secretaria de Cultura no para tomar ciência da resposta por escrito até o limite do mesmo prazo acima referido.

Sem mais por hora, renovamos aqui nossos votos de estima e que possamos contar sempre com a presente Secretaria por meio de seu representante e funcionários que devem fazer jus ao anseio da Sociedade Palmarina, sobretudo daqueles que prezam a cultura como um todo, sobretudo a dessa cidade histórica.

O blog continuará “de olho”, assim como todo cidadão deve proceder.


Atenciosamente,


Wenndell de Azevêdo Amaral
Colaborador fixo e organizador


Ao Sr.
Elson Davi

Secretário de Cultura do Município de União dos Palmares
União dos Palmares/AL

12 de out de 2008

MÚSICA: Wado

No último dia 03 desse mês de outubro compareci a um chamado mental. Este que se mostrou um chamado visual, auditivo e irresistível. Foi um chamado mental pois fiquei em uma espécie de transe... Esperando... Pensando...

Depois que li um anuncio informativo na parte cultural de um site de notícias fiquei contando os dias. Era o show do cantor e compositor WADO, natural de Santa Catarina, Wado reside em maceió desde 2007 e se declara alagoano de coração.

O show foi no Espaço Cultural Linda Mascarenhas, que pertence ao Instituto Zumbi dos Palmares (IZP), e fez parte da primeira apresentação do Projeto Linda. "Esse é o nome da iniciativa que visa colocar permanentemente o Espaço Cultural Linda Mascarenhas na pauta das produções culturais em Maceió", segundo consta site do IZP. Além da apresentação do WADO, a noite contou também com a exposição de trabalhos do artista plástico Suel, trabalhos muito interessantes, diga-se de passagem.

Fui ao show esperando por uma apresentação do WADO com banda e todo o resto que se percebe em seus cd´s. Mas o que acabei assistindo foi a um Wado intimista, com um violão e acompanhado pelo tecladista Dinho Zampier (quem também toca com a lendária banda alagoana Mopho). E gostei. Além de os arranjos terem sofrido adaptações interessantes e inusitadas, combinou ainda mais com o intuito do projeto.

Wado é daqueles artistas que conseguem angariar fãs fiéis, claro que isso não seria possível sem toda a qualidade colocada em seus trabalhos. Escutes e saberás do que estou falando. Tanto é assim que o teatro do Espaço Cultural do IZP ficou lotato, com gente atrás da mesa de som, sentada nas escadas e ainda um tanto esperando na entrada do teatro e no salão de exposições pra ver se conseguiam uma brechinha para entrar.

Parafraseando meu amigo Bruno Bouer, pergunto: Você conhece Wado? Se não conhece passou da hora de conhecer. Ele já lançou quatro cd´s. "O Manifesto da Arte Periférica", de 2001; "Cinema Auditivo", de 2002; "A Farsa do Samba Nublado", de 2004; e "Terceiro Mundo Festivo", de 2008. Todos muito elogiados pela crítica e pelo público. Conseguiu mostrar evolução a cada CD lançado, mesmo cada um contar com suas peculiaridades e qualidades. O meu favorito é o seu terceiro trabalho, A Farsa do Samba Nublado, aonde encontrei arranjos primorosos, letras impactantes e absurdamente bem feitas, com simplicidade.

Saiba mais no site oficial: www2.uol.com.br/wado
Nesse endereço, além de outras coisas, tem também o link para os vídeos-clips no youtube e todos os quatro cd´s disponível para baixar.
Fique à vontade.


Clip de "Tormenta", música do CD A Farsa do Samba Nublado.

Wenndell Amaral

10 de out de 2008

Alquimia da falsidade... Sucesso?

O culto a química da idade média é proliferado de forma adversa a seus preceitos. Foge do material e é incorporado nas ações do homem em seu cotidiano.

Podem ser delírios de um “catador de palavras”, “costureiro de textos”, mas a necessidade faz emergir a espontânea vontade do descarte de termos pejorativos.

Pois tão maldito quanto o mais reluzente ouro, metal que atiça a cobiça do bicho homem, é a falsidade e a enganação que move a máquina humana, a qual, de uma forma ou de outra sobe os degraus do sucesso, pisando na ingenuidade dia após dia.

E o homem acaba se tornando tão astuto na manipulação dessa química que há de se comparar a antiga transformação dos metais em ouro.

No decorrer da história, o homem vem cultuando e explorando os caminhos da falsidade. Seja de forma despercebida, espontânea, criativa ou até então absorvida em forma de aprendizado, forçadamente.

Shakespeare disse: “Que formosa aparência tem a falsidade”. E Millôr Fernandes: “Nada é mais falso do que uma verdade estabelecida”.

A mentira, o engano, a falsa aparência , a esnobação e a desfaçatez são gêneros de primeira necessidade nos relacionamentos entre as pessoas.O orgulho e a busca de reconhecimento trazem consigo a necessidade quase inadiável de aparentar algo que não se é.

A falsidade se tornou a ética do mundo. O nobre jurista brasileiro, Rui Barbosa, afirmou certa vez, dentre outras coisas, que de tanto ver triunfar a mentira e a falsidade, tinha até vergonha de ser honesto.

É fácil tornar um relato mais interessante acrescentando a ele alguns detalhes, como também é fácil fraudar uma história quando lhe dispensamos uma omissão ou ação. É simples deduzir que não existe o que se pode chamar de “falsidade particular”, ou seja, uma informação fora do verdadeiro não prejudica somente a pessoa que a pratica. É a corrida pelo ouro! E se você não garimpar, vai ficar para traz!!

Bruno Clériston

9 de out de 2008

Mudança (?)

Depois do resultado obtido nas urnas nesse último dia 05 percebe-se que muitos eleitores não perderam o valor como é o costume se dizer. A Câmara Municipal de União dos Palmares foi quase totalmente renovada de representantes do povo. Ao menos que eu esteja muito enganado, houve um claro objetivo rumo à mudança (boa?).

Era notório o não contentamento com muitos dos que estavam ali, os quais a partir de janeiro de 2009 saírão da casa legislativa palmarina sem deixar saudades (outros ficaram, mas... Nada é perfeito). Devo ser justo e separar um nome: Genisete Lucena. A vereadora que mais se mostrou sensível às necessidades da cidade, que mais quis fiscalizar e manter a ordem moral no Executivo Municipal. Vai ser uma lástima sua saída. Mesmo assim, essa grande parlamentar poderá continuar seus trabalhos sociais e culturais, como já avisou nessa semana em declarações num programa de rádio.

Alguns dos que entraram são esperanças e poderão fazer valer a fé por mudança que grande parte da população palmarina colocou nas urnas. Espero ver um trabalho decente no sentido de criação de leis necessárias, requerimentos cabíveis, cobrança e fiscalização apertada para com o Executivo Municipal, projetos culturais, sociais e educacionais. Estarei de olho e participando na medida do possível, como se mostra a obrigação de um cidadão.

Wenndell Amaral

8 de out de 2008

ÚLTIMAS:

ELEIÇÕES 2008.
UNIÃO DOS PALMARES, NÚMEROS FINAIS.

Total do Eleitorado: 40,591
Eleitorado Apurado: 40,591
Comparecimento: 32,341

Seções de Votação: 117

Total de Votos Apurados: 32,341

Votos Válidos: 29,315
Nulos: 2,441
em Branco: 585

PREFEITO:

14 - Kil -
coligação PTB / PRB / PHS / PRP / PMN / PV / PTN / PT do B / PSL / PSC / PMDB
Votação: 15 ,265
52% dos votos válidos.


11- Beto Baia - coligação
PP / PT / PR / PPS / DEM / PSB / PSDB / PC do B

Votação: 13,525
46,14 % dos votos válidos.

50- Marciângela - PSOL
Votação: 525
1,79 % dos votos válidos.


VEREADORES ELEITOS*:

Bruno Praxedes - coligação PP / PT / PR / PPS / DEM / PSB / PSDB / PC do B
Votação: 1.246
4,09 % do votos válidos.

Fabian Holanda - coligação PTB / PT do B / PSL
Votação: 1.216
3,99% dos votos válidos.

Bobo - coligação PTB / PT do B / PSL
Votação: 1.102
3,62 % dos votos válidos.

Almir Belo - coligação PP / PT / PR / PPS / DEM / PSB / PSDB / PC do B
Votação: 1.005
3,30% dos votos válidos.

Tutu - PTN / PV / PMN
Votação: 942
3,09% dos votos válidos.

Manoel Feliciano - PP / PT / PR / PPS / DEM / PSB / PSDB / PC do B
Votação: 917
3,01% dos votos válidos.

Biu Crente - PHS / PRP / PRB
Votação: 826
2,71% dos votos válidos.

Gildo Brito - PHS / PRP / PRB
Votação: 757
2,49% dos votos válidos.

Elvinho - PTN / PV / PMN
Votação: 572
1,88% dos votos válidos.


Fonte: justicaeleitoral.gov.br


*Obs: Poderá ocorrer mudanças na lista desses vereadores eleitos, pois o candidato a vereador Célio Duarte tem sua candidatura sob-judice, pois foi impugnado aqui em União, 21ª Zona Eleitoral, pelo TRE em Maceió, estando seu caso agora, para julgamento no Superior Tribunal Eleitoral em Brasília, podendo ser julgado a qualquer momento. Se as duas decisões forem mantidas, os votos (726) serão repassados ao partido, por conseqüência, à Coligação (PHS / PRP / PRB), podendo alguns candidatos que foram eleitos perderem seu mandatos e outros novos adentrarem, logicamente.

FILMES:

Wood & Stock. Sexo, Orégano e Rock n´Roll.

No início dos anos 80, depois de quase vinte anos de um duro regime militar, o país voltava a respirar os ares da abertura, com o ressurgimento dos partidos políticos pluralistas. O povo retomava o direito de escolher seus governantes, seus parlamentares e as discussões políticas ganhavam novamente as ruas.

Foi nesse clima que diversas revistas de quadrinhos nacionais chegaram às bancas. Geralmente elas tinham como principal característica a crítica de costumes, com personagens como Geraldão (Glauco), Os Piratas do Tietê (Laerte), Níquel Náusea (Fernando Gonzalez), que até hoje podem ser vistos nas tiras dos principais jornais do país. Dentre essas revistas, a de maior destaque foi Chiclete com Banana, na qual puderam desfilar uma infinidade de tipos criados pelo humor anárquico e urbano de do cartunista Angeli.

Tudo se passa no Reveillon de 1972, na casa de Cosmo. Os jovens Wood, Stock, Lady Jane, Rê Bordosa, Rampal, Nanico e Meiaoito vivem o movimento hippie. Trinta anos depois, os personagens sentem o peso do tempo passado em suas realidades adultas. Para tentar retomar os velhos tempos, eles promovem um reencontro de sua antiga banda de rock.

Criação da Otto Desenhos, dirigida por Otto Guerra, que já havia se aventurado num longa de animação em 1994, com Rock & Hudson: Os Caubóis Gays, outros personagens de tirinhas de jornais.

A produção de Wood & Stock traz algumas curiosidades. Entre layouts, cenários e animações foram feitos aproximadamente 40 mil desenhos, que consumiram cinco anos de trabalho da equipe. Algumas cenas foram construídas em cima de músicas dos Mutantes, que tinham muito a ver com o espírito do filme. Nesse clima nostáugico-psicodélico, vocês encontrarão um achado de Alagoas: a canção "Quando você me disse adeus" da banda Mopho, tema dos personagens Wood e Lady Jane.

Bruno Clériston

7 de out de 2008

EDITORIAL: LIBERDADE DE EXPRESSÃO


Reza o dicionário Michaelis: é o DIREITO de manifestar LIVREMENTE opiniões, idéias e pensamentos. O mesmo dicionário assim discorre acerca da censura, a inimiga número um da liberdade de expressão: cargo ou dignidade de censor; poder do Estado de interditar ou restringir a livre manifestação de pensamento, oral ou escrito, quando se considera que tal pode ameaçar a ordem pública vigente; corporação encarregada de examinar as obras submetidas à sua aprovação; exame; crítica; repreensão.

Escrevo não para alfinetar o que já está espetado e sim para aproveitar o ensejo e fazer um breve histórico liberdade de expressão no Brasil com a ajuda do google:

No Brasil, desde a Constituição do Império havia a garantia da liberdade de expressão, o que foi preservado ate a Constituição de 1937. Já no período conhecido como Estado Novo durante o governo do presidente Vargas, o principio constitucional da liberdade de pensamento desapareceu. Foi adotada a censura como meio de impedir a publicação ou a reprodução de determinadas informações.

Com o período da redemocratização, a Constituição de 1946 foi responsável por colocar e assegurar, no novo ordenamento jurídico, a manifestação do pensamento. O texto constitucional dispunha a livre manifestação do pensamento, sem dependências da censura, salvo quanto a espetáculos e diversões publicas, respondendo cada um, por abusos cometidos, conforme disposição legal.

Quando Getulio Vargas ocupou o poder novamente, ele se preocupou em editar a lei da imprensa ( Lei 2083 de 1953) com a devida regulamentação dos crimes de imprensa. Em seu bojo, a lei trouxe vários defeitos, como a exacerbada repressão a liberdade de imprensa.

A Constituição de 1967, já outorgada nos governos militares, não aboliu o principio da liberdade de pensamento, mas impôs uma delimitação que restringia sua aplicação, condicionando-os aos parâmetros da ordem publica e dos bons costumes. O ordenamento jurídico de 1967 restringiu ainda a liberdade a livre manifestação do pensamento ao impor sansões jurídicas a todo aquele que abusasse do direito individual como o objetivo de opor-se ao governo.

Ontem começou uma discussão aqui no blog acerca do tema. Uns preferiram observar os fatos pelo ângulo não da liberdade de expressão ou censura e sim da "adequação". Adequação a quê? A quem? Idéias e pensamentos devem se "adequar"? Se expresso minha indignação contra a censura devo adequá-la ao gosto do leitor? Ou devo apenas expressá-la de forma natural e deixar que o próprio leitor à "adéqüe" à suas próprias idéias? (essas perguntas não são retóricas.)

PS.: Desde a primeira edição desse informativo, a liberdade de expressão foi um objetivo e não uma conseqüência. Quando convidei as pessoas para escreverem sempre deixei claro que poderiam escrever o que quisessem da forma cm quisesses. Isso é uma ideologia. Quase um dogma. Vivemos em um Estado que nos garante inúmeros direitos fundamentais mas, nós, cidadãos não os fazemos valerem! Renunciar a um direito tão importante é deixar que os poderosos nos amordacem. Descartar pensamentos apenas para agradar a uma maioria não está certo, afinal deve-se respeitar a opinião alheia. Infelizmente dois de nossos colaboradores estão deixando de escrever por não concordarem em completo com esse direito. Fica aqui o agradecimento pelo tempo dispensado e a espera de que voltem a escrever um dia.

Walter Jr.
Redator Chefe
Outubro, 2008.

5 de out de 2008

O poder intrínseco em alguns minutinhos

Ainda à espera do dia em que completarei 18 anos e terei alcançado a maioridade dentro da minha sociedade, o voto em minhas mãos é considerado facultativo. Eu poderia ter me esquivado, fugido de enfrentar aquela fila esporadicamente lotada, arranjado outra coisa para distrair. Mas eu queria sentir como era exercer aquilo que chamam de ‘Cidadania’. O meu primeiro voto não seria em branco, apesar de eu ter pensado bastante nisso. Porém, após analisar as propostas e o histórico de alguns, acabei dando-lhes os créditos do meu precioso teclar nas urnas. Talvez, por não possuir uma vida financeira abastada, eles não pudessem fazer campanhas milionárias, como observei em muitos nessa eleição. Contudo, a dignidade de ambos me dava a certeza de que eu estaria tomando a escolha certa.

Na Democracia grega, os cidadãos decidiam a respeito de determinados assuntos, através de reuniões que aconteciam numa Assembléia. Cidadãos que condiziam a homens apenas. Além das mulheres, não poderiam participar das decisões nem escravos nem estrangeiros. No Brasil, durante muito tempo, a história não foi diferente. O primeiro país a dar o direito do voto às mulheres foi a Nova Zelândia, em 1823. E, aqui, as mulheres não podiam votar até o ano de 1934, em que o voto passou a ser obrigatório para todos os cidadãos brasileiros. Agora, em 2008, era a minha vez de exercer de forma legal a escolha os meus representantes.

Menos de 3 minutos: apresentação do título acompanhado de um documento com foto; uma assinatura simples; alguns números; a confirmação; o barulhinho indicando o fim. Missão cumprida! E, em algumas horas, teria que acompanhar os mandatos dos escolhidos pelo povo, durante os próximos quatro anos. Era isso que me fazia acreditar na evolução para uma democracia participativa: a vontade de cobrança, a estrutura educacional para exigir e um sentimento de dever cumprido. O que me sobrou materialmente foi um pequeno papelzinho retangular, comprovando a minha participação nas Eleições Municipais deste ano. Espiritualmente, sede de mudanças.

As verdadeiras transformações não se concretizam à espreita da espera acomodada, sentada em frente a uma televisão, assistindo à Novela das Oito. É preciso lutar, mais que telepaticamente, por elas. Meu direito agora se confunde com meu dever: exigir. Farei o possível.

Sara Albuquerque.

1 de out de 2008

ÚLTIMAS:

O Ministério da Educação disponibilizou em homenagem ao centenário da morte de Machado de Assis mais de 300 escritos entre romances, críticas, poemas, prosa, etc.

o link direto para as obras do autor: Clique aqui.

Quem quiser olhar outras obras de diversos autores nacionais e "importados" podem acessar gratuitamente: http://www.dominiopublico.gov.br/



**************

SHOWS DO QUEEN NO BRASIL!

A banda Queen, com Paul Rodgers nos vocais, desembarca no Brasil em novembro, para duas apresentações em São Paulo. O trio britânico traz o país a turnê "Cosmo rocks", nos dias 26 e 27, na casa de shows Via Funchal. O preço dos ingressos ainda não foram divulgados.

Fonte: Yahoo Notícias.


Redação TM.